05/03/18 - 13:38:53

Sindpen diz que “luta” no Copemcan é eventual e por conta da superlotação

Na manhã do último sábado (03), circulou  um vídeo nas redes sociais mostrando detentos do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão lutando.

Após a divulgação do vídeo, a Secretaria de Estado da Justiça e do Consumidor (Sejuc), também se pronunciou sobre o assunto e disse que o caso está sendo investigado.

No final da manhã desta segunda-feira (05) o Sindicato dos Agentes Penitenciários e Servidores da Sejuc (Sindpen) emitiu ma nota informando que isso “ocorre eventualmente no Copemcan”.

Ainda segundo o Sindpen, há uma superlotação no presídio que tem capacidade para 800 detentos e hoje abriga cerca de 2500, quase que três vezes a mais que sua capacidade.

Veja o que diz a nota pública do Sindpen

O Sindicato dos Agentes Penitenciários e Servidores da Sejuc (Sindpen) vem a público prestar esclarecimentos sobre o vídeo que circula nas redes sociais e na imprensa com imagens de  uma briga entre detentos no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão.

Esse tipo de situação – na qual detentos brigam entre si e promovem lutas similares a MMA – ocorre eventualmente no Copemcan. A principal razão é a superlotação. A unidade foi construída para receber 800 detentos, mas abriga 2500. Os pavilhões com capacidade para 160 pessoas têm atualmente 530; e as alas que deveriam ter até 80 pessoas, abrigam 250.

Infelizmente, por causa do baixo efetivo, os agentes ficam impossibilitados de intervir na situação. Cada plantão tem dois ou três agentes por pavilhão, o que deixa a categoria impossibilitada de agir com eficácia e segurança nesses casos.

O Sindpen, por diversas vezes, já fez alertas aos órgãos públicos e à sociedade sobre a superlotação e a fragilidade da segurança no Copemcan. Recentemente, o Sindpen protocolou em diversos órgãos públicos de Sergipe e no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília, um extenso documento com informações sobre a situação caótica em que se encontra o sistema prisional sergipano, incluindo um relatório da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE, classificando o Copemcan (principal presídio de Sergipe) como uma bomba relógio.