17/04/18 - 03:52:40

Alunos de Biomedicina da UNINASSAU alertam para uso indevido de jaleco

Por Suzy Guimarães

Os alunos foram as ruas e mostraram os riscos do mau uso do equipamento. Ação foi uma iniciativa dos alunos do curso de Biomedicina da UNINASSAU

O curso de Biomedicina da UNINASSAU Aracaju, se mostrou preocupado com o uso indevido do jaleco em todas as áreas de saúde. Diante disso, alunos do 5º período desse curso, foram até as ruas da capital na quarta-feira (11), para informar as pessoas dos riscos de contaminação que podem ser adquiridos através dos jalecos, quando usados de forma inadequada.

Foi realizada uma ação na Praça Tobias Barreto, zona-sul da cidade. O evento foi supervisionado pelo coordenador de Biomedicina, da faculdade, Ítalo José. A noite houve exposição com banners e material utilizado nos laboratórios da UNINASSAU, para que os alunos aprendam como identificar e isolar as bactérias. Durante a exposição foram postas a mostra, placas conhecidas como Petri, usadas para desenvolver as bactérias de forma isolada a fim de serem estudadas e reconhecidas.

A professora do curso de Biomedicina, Maria Angélica Valença, disse que o jaleco é equipamento de proteção industrial – EPI e não roupa de passeio. “O jaleco que se usa no laboratório se levado nas ruas, fica impregnado de bactérias. Ocorre o que denominamos de contaminação cruzada. Pessoas que trabalham em diversas instituições com o mesmo jaleco, acabam por levar bactérias de um local para o outro, promovendo uma troca perigosa”, alertou a biomédica.

RISCOS

Ainda segundo a professora, a situação se agrava quando o profissional vai de um hospital para o outro. “As bactérias se cruzam nos hospitais, podendo levar às pacientes infecções graves”, observou.

Ela enfatiza que o jaleco tem de ser mantido limpo e higienizado com cuidados especiais. “O jaleco deve ser lavado em um recipiente isolado, e deve ser guardado em local reservado para que não haja contato com as outras roupas. Sempre fora do guarda-roupa”, disse.