18/07/18 - 09:38:10

SES: estado gasta R$ 10 milhões em reforma e pode ser “despejado”

Belivaldo diz que vai recorrer da ação de despejo e que a SES deve mais de R$ 10 milhões, além de manter empresa terceirizada prestando serviços com contrato vencido e diz que “serviços são terceirizados e quarteirizados”

Após ser comunicado de que os proprietários do prédio onde funciona a sede da secretaria de saúde, o Taj Mahal, teriam entrado com uma ação de despejo, por conta do atraso de três meses de aluguel no valor de R$ 450 mil, sendo R$ 150 ao mês, o governador Belivaldo Chagas (PSD), afirmou na manhã desta quarta-feira (18) que irá buscar meios judiciais para reduzir o valor do aluguel.

Belivaldo Chagas fez uma explanação sobre o que foi gasto com a reforma do prédio, que segundo o governador foram cerca de R$ 10 milhões apenas com a reforma e que ainda não foi concluída, e informou que a Secretaria de Estado da Saúde tem uma dívida de mais de R$ 200 milhões.

Ainda sobre a SES, Belivaldo Chagas se mostrou preocupado com os serviços que estão sendo prestados pela empresa terceirizada, Embrapes, que segundo o governador está com o contrato vencido desde o dia 27 de janeiro, mas que continua prestando os serviços.

Sobre a dívida da SES, Belivaldo afirmou que “há faturas de 2015, 2017 e 2018 que não foram pagas. Ai vem o problema dos fornecedores se recusarem de fazer a entrega de medicamentos, o que é natural, já que não estão recebendo. Eu quero que todos entendam que a secretaria deve mais de 200 milhões e eu não vou deixar de pagar os fornecedores de medicamentos para pagar aluguel. Eu estou governador e não estou para brincar”, afirmou o governador em entrevista ao radialista George Magalhães, no jornal da Fan.

Durante a entrevista, uma informação passada pelo governador, terminou por chamar a atenção, quando ele disse que contrato com a Embrapes está vencido desde janeiro, e por conta disso, já que a terceirizada continua prestando serviços, já há pedidos de indenização. “Veja, a Embrape continua prestando serviços. A Ebrape virou um guarda-chuvas e tudo ela faz. Por exemplo, deu problema nos elevadores do Huse e ai ela vai e terceiriza, quarteiriza o serviço. Enfim, um problema que precisa ser resolvido imediatamente”, informou.

Ao final da entrevista, o governador explicou que reconhece a dívida do aluguel do “Taj Mahal”, mas que irá questionar na justiça o valor cobrado e que irá tentar uma negociação para diminuir o valor. “Foi gasto mais de dez milhões na reforma de um prédio que não pertence ao estado e ainda tem coisa para fazer. Portando vamos negocias com os proprietários que eu tenho certeza que são gente de bem”, afirmou.

Munir Darrage