25/07/18 - 13:30:27

SES capacita municípios para campanha de vacinação contra paralisia e sarampo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realiza nesta quarta e quinta-feiras, 25 e 26, uma reunião preparatória com os técnicos responsáveis pelo programa de imunização dos 75 municípios sergipanos. O evento, que acontece no auditório do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha, tem o objetivo de prepará-los para a campanha de vacinação contra a paralisia infantil e o sarampo.

O encontro também irá focar o panorama da campanha contra a gripe, realizada no mês passado, e a situação da vacinação de rotina em crianças menor de um ano. Para o treinamento desta quarta-feira, 25, foram chamados os técnicos dos municípios que compõem as Regiões de Saúde de Aracaju, Propriá e Nossa Senhora do Socorro, ficando para quinta, 26,os profissionais das regionais de Lagarto, Estância, Nossa Senhora da Glória e Itabaiana, segundo informações da gerente do Programa Estadual de Imunização, Sândala Teles.

Em relação à campanha contra a paralisia e o sarampo, a gerente explica que a vacinação será indiscriminada para todas as crianças com idade entre um ano e menos de cinco anos que forem aos postos de vacinação no período de 6 a 31 de agosto. Adultos não serão vacinados, como informa Sândala Teles, salientando que a campanha objetiva reforçar a imunização dos pequenos que já foram vacinados e buscar aqueles que ainda não receberam as doses da pólio e da tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba).

A vacinação contra o sarampo já estava prevista independente do surgimento de surtos da doença no país. “A cada quatro anos realizamos a imunização contra o sarampo, evento que ficou convencionado como campanha de segmento”, disse a gerente, informando que desta vez será a ela adicionada a vacinação contra a paralisia como medida preventiva para evitar a reintrodução da doença no país já que a cobertura vacinal contra a doença está baixa no território brasileiro.

Quanto aos outros tópicos da reunião, Sândala Teles situou os municípios em relação à vacinação contra a gripe e a de rotina, voltada para crianças com menos de um ano, e alertou para a necessidade de os municípios construírem um resultado homogêneo de cobertura vacinal que se conquista quando a grande maioria dos municípios alcança a meta de 95%. “Atualmente a cobertura tem sido heterogênea, ou seja, um município alcança 100% e outro 70%. Essa situação é preocupante e favorável à reintrodução de doenças”, enfatizou a gerente.

ASCOM SES