07/08/18 - 08:59:54

Embrapa e Cohidro planejam novas parcerias em reunião de gestores

Chefes da unidade ‘Tabuleiros Costeiros’ da Empresa Brasileira de Pesquisa Agrícola (Embrapa) e diretores da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) tiveram reunião para tratar de pautas em comum às duas instituições, nesta segunda-feira (6), na sede da estatal sergipana. A empresa estadual tem interesse que surjam novas parcerias de transferência de tecnologia alocadas em seus perímetros irrigados, já a federal conta com a cooperação para a perfuração de poço em seu campo experimental de Itaporanga d´Ajuda, visando o uso da água para irrigação.

As transferências de tecnologia de unidades da Embrapa para com a Cohidro já vêm ocorrendo há algum tempo. Como em 2010, quando a unidade Pecuária Sudeste, de São Carlos-SP, cedeu as informações e acompanhamento necessários para que em Tobias Barreto, no Perímetro Irrigado Jabiberi, fosse implantado o programa “Balde Cheio’ de produção de leite, com a parceria do Sebrae-SE. Na época, a junção de esforços e representatividade destas três instituições deu aporte necessário aos pecuaristas fazerem financiamentos no Banco do Brasil para os investimentos no sistema.

O Balde Cheio consiste na subdivisão do pasto em diversos piquetes em que o gado faz o uso durante um dia, de forma que quanto findar a ocupação do último dos cercados, o primeiro já estará recuperado pela irrigação contínua e a adubação, pronto para abrigar novamente os animais. Um ano após implementado no perímetro de Tobias Barreto, a produção de leite dos micro-pecuaristas aumentou de 1.080 litros para cerca de 2,5 mil por dia.

Hoje a própria Cohidro se encarrega de replicar a tecnologia, empregada no Jabiberi, para seu perímetro irrigado de Canindé de São Francisco, o Califórnia, onde já existe um projeto piloto do Balde Cheio em plena produção. Já o Sebrae-SE usa da experiência no projeto em que participou, em 2010, como base para criar outras quatro unidades do sistema nos municípios de Riachão do Dantas, Boquim, Itabaianinha e Lagarto.

Carlos Fernandes de Melo Neto, diretor-presidente da Cohidro, considera muito importante que as duas instituições públicas tenham parcerias na troca de suas informações e tecnologias. “A Embrapa já é uma parceira importante aqui da Cohidro. Nós já desenvolvemos no perímetro de Canindé, no ‘Califórnia’, estudo juntamente com a Embrapa para produção de uva de pera e maçã, ou seja, são culturas que agregam muito mais valor à produção e a terra, para o agricultor. É importante que a gente esteja sempre conversando, desenvolvendo parcerias para ser feito um convênio permanente e implementar pesquisas já feitas em outras áreas, para incrementar e agregar produção aos nossos perímetros irrigados”, considera.

No ‘Califórnia’, dois campos experimentais de uva implantados pela Embrapa Semiárido, de Petrolina-PE, já tiveram duas safras e um terceiro de pera aguarda a sua primeira florada para daqui cerca de um ano e meio. Da mesma forma também ocorreu no Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto, com a maçã, pera e caqui. Em ambas unidades da Cohidro, a empresa federal atuou fornecendo mudas, sistema de irrigação por gotejo e fertirrigação, materiais para construção dos espaldeiras, os insumos para a adubação e a assistência técnica pelo período de 2 anos. Nesses casos, os agricultores que acolhem os projetos em seus lotes só arcam com a mão de obra empregada nesses plantios.

Marcelo Ferreira Fernandes, chefe-geral da unidade da Embrapa em Sergipe, informou que ele e sua equipe já visitaram outras instituições congêneres, como a Codevasf, Sebrae e a Emdagro, visando a melhoria das relações e firmar parcerias. “Procuramos a Cohidro e foram levantadas várias questões: a da agropecuária e da diversificação de culturas, que são temas muito alinhados com a ação da Embrapa que nós temos interesse na capacitação para essas cadeias (produtivas). Podemos apresentar e contribuir com o que nós temos gerado e a Cohidro, podendo contribuir nas áreas de atuação dela, com essa capacitação, na organização de eventos (técnicos) e na disponibilização de áreas para fazer as unidades de transferência de tecnologia nas áreas de atuação da Cohidro”, previu o gestor.

Campo de Itaporanga

Também conhecido como Reserva do Caju, o Campo Experimental ocupa área de 1.030 hectares, onde os pesquisadores da Embrapa em Sergipe fazem pesquisas, desenvolvimento, validação e transferência de tecnologias, com foco em práticas agrícolas agroecológicas sustentáveis e do uso do solo em agroecossistemas. “Temos também uma demanda pontual que é muito importante, que é a solicitação de perfuração de poços, quando for possível, para que a gente possa melhorar a demanda de algumas culturas que nós temos em Itaporanga d´Ajuda”, complementou Marcelo Ferreira, sobre a solicitação feita à Cohidro.

Convencido do benefício que Sergipe ganha em tecnologia agrícola pesquisada e desenvolvida pela Embrapa no estado, o presidente Carlos Melo autorizou à sua Diretoria de Infraestrutura o início de estudos geológicos para a perfuração do poço solicitado pela empresa federal, acrescendo a demanda ao cronograma de perfurações que a Cohidro tem para executar no estado.

Participaram também da reunião o chefe-adjunto de Administração da Embrapa em Sergipe, Paulo César Silva de Carvalho e o assessor da chefia-geral, Márcio Rogers Melo; o diretor de Infraestrutura Hídrica da Cohidro, Paulo Henrique Machado Sobral, responsável pela parte de perfuração poços e o diretor de Irrigação, João Quintiliano da Fonseca Neto, responsável pelo desenvolvimento e gestão da agricultura irrigada nos perímetros da empresa estadual.

Fonte e foto assessoria