09/08/18 - 15:04:50

Comando do CBM cobra explicações sobre denúncias feitas por blog

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe, coronel José Erivaldo Mendes, encaminhou ofício externo, tombado sob o nº 524/2018, endereçado ao presente da AMESE (Associação dos Militares do Estado de Sergipe), Sargento Jorge Vieira da Cruz, afirmando que as denúncias feitas pelo blog Espaço Militar e pelo assessor jurídico da entidade, Dr. Márlio Damasceno, sobre as condições de trabalho dos bombeiros militares, têm causado prejuízo à imagem da corporação.
Em seu ofício encaminhado o comandante diz que: ” … Considerando que nos últimos dias a Corporação vem sofrendo uma grande ofensiva sobre a sua imagem perante a população sergipana e até mesmo no cenário nacional, devido a amplitude de alcance das redes sociais, quando da divulgação de denúncias, especificamente na área de manutenção de viaturas, embarcações e outros equipamentos.  Considerando que as denúncias estão partindo sempre do blog Espaço Militar, com entrevistas do advogado da AMESE, Márlio Damasceno, e que o Comando da Corporação nunca foi procurado pela AMESE ou pelo seu advogado para apresentar explicações acerca dos fatos que foram publicados em redes sociais …”.
Inicialmente esclarecemos que o blog Espaço Militar não pertence a AMESE ou qualquer outra associação, sendo um blog independente e está à disposição do comando para publicar qualquer resposta às denúncias efetuadas, tanto é que já publicou matérias enviadas pelo próprio comandante do CBMSE, através do whatsapp, Portanto, se quisesse ou queira se pronunciar sobre denúncias feitas, é só encaminhar as devidas justificativas através do whatsapp que é do conhecimento do senhor comandante.
No tocante às denúncias feitas pelo Dr. Márlio Damasceno, todas são feitas de forma ética e responsável, com fotos e documentos, mostrando a verdade do que está sendo denunciado, tanto é que a imprensa sergipana repercute, inclusive checando e comprovando a veracidade das denúncias, bem como, o próprio Ministério Público Estadual, através da Promotora de Justiça Dra. Euza Missano, que é cientificada dos problemas que ocorrem, inclusive tais denúncias fazem parte de ação civil pública que tramita na justiça sergipana, após representação feita pela AMESE, através do Dr. Márlio Damasceno. Será que existem inverdade nas denúncias? O MPE juntaria tais denúncias a ação civil pública e a imprensa repercutiria se fosse denúncias irresponsáveis e mentirosas? O vereador Cabo Amintas inclusive repercutiu também as denúncias no plenário da Câmara Municipal de Aracaju, confirmando as denúncias que foram apresentadas.
Na verdade o que o blog Espaço Militar e o Dr. Márlio Damasceno buscam, é condições de trabalho para os bombeiros militares e um melhor serviço à população sergipana, que é quem paga os impostos e tem o direito de ter um serviço prestado a contento por parte do CBMSE. Jamais as denúncias desrespeitaram a corporação ou seus integrantes, ao contrário, cobra, como já dito, condições de trabalho e e zelo com o dinheiro público.
O comandante do CBMSE diz que não é oportunizado ao mesmo a solução dos problemas denunciados antes de publicar, porém, como por exemplo no caso da viatura APA (Alta Plataforma Aérea), já foram feitas diversas denúncias e a mesma está fora de operação há quase 06 (seis) meses por falta de manutenção, tendo inclusive, em um incêndio ocorrido em Itabaiana, tendo que se valer de um caminhão da Prefeitura de Itabaiana, que faz manutenção da rede elétrica, para auxiliar no combate ao incêndio, pela falta da APA. No tocante as viaturas operacionais amarradas de cordas, em entrevista a uma TV, o comandante disse que era normal, pois os bombeiros trabalham com corda, porém, discordamos, pois os BMs trabalham com rapidez no atendimento, pois segundos podem ser decisivos para salvar vidas, e em se amarrando as portas das viaturas com cordas, certamente vai demorar algum tempo para desamarrar, fato que seria resolvido com a troca de molas, que vendem aqui no Estado, e se não vendessem, seriam facilmente encontradas na cidade vizinha de Salvador, e ao invés de adquirir as molas para que as portas funcionassem de forma correta e original, prefere-se fazer adaptações (porque não dizer “armengues”, colocando ferrolhos, que também prejudicam o serviço dos bombeiros militares, pois se estivem em uma ocorrência utilizando luvas, certamente terão que retirar as luvas para abrir o ferrolho, retirar o equipamento que precisa, e depois recolocar as luvas, demandando algum tempo.
Outro fato que lembramos, é de uma viatura marca Ford, modelo Ka, que estava parada há cerca de 03 (três) meses, simplesmente por não terem comprado uma bateria nova para o veículo e só após a denuncia feita pelo blog Espaço Militar, é que fizeram a aquisição da bateria.
O que dizer das motos aquáticas e das lanchas que estão paradas também por falta de manutenção e até compra de bateria? E os equipamentos de uma academia, que são importantes para o condicionamento físico da tropa e que estão expostos às intempéries? Importante salientar que todos estes equipamentos são caros e custaram o dinheiro da sociedade, que é quem paga os impostos, os quais devem ser revertidos em prol desta mesma sociedade.
Sabemos que o comandante tem suas limitações, mas a denúncia não tem cunho de ordem pessoal, mas sim tem o cunho de cobrança ao Estado, para que viabilize as soluções dos graves problemas apresentados nas denúncias.
Continuaremos denunciando, de forma responsável e ética, as faltas de condições de trabalho aos bravos e competentes bombeiros militares sergipanos, que certamente, sabem muito bem, que tais denúncias não maculam a imagem destes, pois o que se busca são melhorias para o trabalho dos mesmos, tendo o blog Espaço Militar e o Dr. Márlio Damasceno, recebido, elogios da tropa.
Confiram abaixo algumas fotos de denúncias que foram feitas:

 

Viatura APA parada há cerca de quase 06 meses, por falta de manutenção

 

Portas das viaturas operacionais dos bombeiros amarradas de cordas, devido as molas estarem cansadas, bastando a simples troca das mesmas

 

 

Depois que se denunciou que as portas das viaturas operacionais do CBMSE estavam amarrando de cordas, ao invés de trocarem as molas e resolver o problema, preferiram fazer outro paliativo, qual seja, colocaram ferrolhos nas portas, o que é inadequado

 

Motos aquáticas e lanchas sem manutenção e expostas às intempéries em local aberto

 

 

Viatura do CBMSE que ficou parada por cerca de 03 meses, simplesmente pela não compra de uma bateria nova

Equipamentos caros, que parte foram doados pela SENASP e outros comprados pelo CBMSE, para a academia da corporação, agora estão expostos às intempéries

Fonte  e fotos do blog Espaço Militar