09/08/18 - 10:05:25

Corpo técnico do TCE recebe nova capacitação na área de Auditoria Avançada

O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), por meio da sua Escola de Contas, promove a partir desta quarta, 8, até a próxima sexta-feira, 10, o segundo módulo do Curso de Auditoria Avançada. A primeira etapa foi realizada em abril. A ideia é qualificar os analistas de controle externo II e analistas de controle externo de I, das Áreas de Auditoria Governamental e Engenharia.

Responsável por ministrar o curso, o auditor de controle externo _MG_5147.JPGTiago Modesto Costa, que é secretário de controle externo do Tribunal de Contas da União, no Mato Grosso do Sul (TCU/MS), explicou que na primeira etapa foi trabalhada a melhor maneira de planejar uma auditoria, já nesta segunda etapa o foco está sendo na execução.

“Abordamos as melhores técnicas de auditoria, como as evidências são colecionadas, e como organizar todos os fatos para o relatório ficar eficiente para as pessoas se interessarem a ler”, esclarece.

O auditor do TCU destacou a importância das evidências para uma auditoria bem feita. “A evidência é a base de toda e qualquer afirmação que o Tribunal vai fazer. É preciso coletar evidências que sejam exatas, que sejam suficientes e relevantes é a parte fundamental. É o sangue da auditoria”, afirma Tiago Modesto, que encerrará o curso com o terceiro módulo, em setembro, sobre relatório e monitoramento de auditoria.

Coordenador da Escola de Contas, Ismar Viana diz que este curso avançado sobre auditoria tem sido realizado por diversos tribunais do Brasil e a experiência do TCU revela que os agentes públicos que atuam diretamente na área de fiscalização precisam passar por esta capacitação para se qualificar ainda mais.

“Se para atuar nos órgãos de execução de políticas públicas é exigida uma qualificação adequada daqueles que desenvolvem algum tipo de atividade para garantir a melhoria na prestação dos serviços públicos, nos tribunais de contas, responsáveis pela fiscalização e controle dessas políticas, essa qualificação adequada precisa ser bem mais exigida”, justifica.

Fonte e foto TCE