13/08/18 - 13:26:31

SESSÃO ESPACIAL NA CÂMARA COMEMORA OS 50 ANOS DA UFS

A Câmara Municipal de Aracaju (CMA) realizou na manhã desta segunda-feira, 13 de agosto, uma Sessão Especial em comemoração aos 50 anos da Universidade Federal de Sergipe (UFS),  que aconteceu em 15 de maio de 2018. O requerimento n* 161/2018, de autoria do vereador Elber Batalha, foi aprovado por unanimidade pela Casa. A solenidade contou com a presença do Reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, Iara Maria Campelo, vice-reitora da Ufs; Dilton Cândido Maynard, pró-reitor de Graduação; Mário Adriano dos Santos, pró-reitor de assuntos estudantis; Presidente da Fundação Aperipê, Chiquinho Ferreira; 1ª Tenente Maralisa Correia, representando a Capitania dos Portos de Sergipe; Coronel Roberval Leão, assessor institucional do Exército em Sergipe, representando o 28ºBC; dentre outros mestres e doutores da instituição, além dos vereadores Lucas Aribé (PSB) e Iran Barbosa (PT).

O vereador Elber Batalha, autor do requerimento, salientou as parcerias da UFS para o desenvolvimento da sociedade. Elber lembrou do Mestrado em Turismo, instituído enquanto o parlamentar foi secretário de Turismo do Estado de Sergipe. Ele lembrou também das diversas parcerias entre a Secretaria de Cultura, quando também foi secretário, e a UFS. “Isso foi ganho recíproco, já que ganha a sociedade e a Universidade por oferecer à comunidade a oportunidade de conhecimento. A relação dos alunos com a UFS é de pertencimento, a universidade é a segunda casa deles. Talvez nunca no Brasil se tenha precisado tanto da educação e das universidades. É necessário que tenhamos a noção do momento difícil que estamos vivendo. O momento não é bom e podem nos levar para um caminho ruim e o meio universitário tem papel decisivo para que isso não ocorra. Somente a educação propiciará isso. Longa vida a esta instituição que tanto orgulha o povo sergipano”, finalizou Elber o seu discurso.

Já o reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, destacou as parcerias e o trabalho do vereador Elber Batalha que, segundo o reitor, sempre se empenhou para que houvesse essa ligação entre gestão e universidade. “A sua lucidez me agradou muito. Você é um amigo pessoal, um amigo da UFS. A defesa fundamental da universidade passa fundamentalmente por esta casa com pessoas como você que está sempre em nossa defesa. Nossos números durante esses anos são espetaculares; Triplicamos o número de vagas na graduação, com 28 mil alunos; temos hoje cerca de 1100 doutores e isso fez com que toda a pesquisa crescesse com os nossos 16 cursos de doutorado. Isso faz com que a universidade modifique seu jeito de pensar e o conhecimento seja elaborado dentro daquela casa. Mas, o mais importante foi o crescimento acompanhado da interiorização. Tudo isso não seria tão importante se não fosse pensado numa política pública para os jovens. 50% de nossos alunos são egressos de escolas públicas. A UFS precisa servir a toda a sociedade e é preciso que as cotas reparem um erro, não como ato de bondade, mas como um ato de política de estado. Num futura próximo teremos uma sociedade mais igual. As políticas públicas devem ser a mola das universidades brasileiras para que elas cumpram seu papel social”, afirmou.

O pró-Reitor de Graduação, Dilton Cândido Maynard, depois de fazer um retrospectivo histórico da UFS, destacou a importância das universidades para o desenvolvimento dos povos e inclusão da sociedade. “É importante ter uma universidade porque ela expande o conhecimento. É impossível pensar os séculos XX e XXI sem a UFS. No sertão de Sergipe, a UFS chega em sintonia com os arranjos da economia local, onde os filhos de camponeses poderão se formar e mudar os quadros da região. A UFS foi a  primeira universidade a utilizar o sistema de cotas, além de que, 50% dos alunos da UFS vêm da escola pública. Quero destacar também que a iniciativa do vereador Elber Batalha nos conforta e nos faz acreditar que a UFS faz sentido”.

Histórico da UFS

A criação da Faculdade de Ciências Econômicas e da Escola de Química (1948), seguida da Faculdade de Direito e Faculdade Católica de Filosofia (1950), Escola de Serviço Social (1954) e Faculdade de Ciências Médicas (1961), fez com que fosse atingido o número mínimo necessário de escolas superiores para que se pleiteasse a fundação de uma universidade em Sergipe.

Em 1963, a então Secretaria de Educação do Estado deu início ao processo de criação da universidade, concretizado em 1967 pelo Decreto-Lei nº 269 e efetivado em 15 de maio de 1968. À época, havia duas possibilidades de regime para a instituição: a autárquica, defendida pelo diretor da então Faculdade de Medicina, Antônio Garcia Filho, e a fundação federal, defendida por dom Luciano José Cabral Duarte, então presidente do Conselho Federal de Educação (CFE).

Institui-se, então, a Fundação Universidade Federal de Sergipe integrada ao sistema federal de ensino superior, incorporando todos os cursos superiores existentes no estado.

Hoje, a UFS possui, além do campus localizado em São Cristóvão (Cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campos), os seguintes campi: Aracaju (Campus da Saúde Prof. João Cardoso do Nascimento Júnior); Itabaiana (Campus Prof. Alberto Carvalho), instalado em 14 de agosto de 2006; Laranjeiras, instalado em 28 de março de 2007; Lagarto (Campus Prof. Antônio Garcia Filho), instalado em 14 de março de 2011; e Nossa Senhora da Glória (campus do Sertão), cujas atividades iniciaram em 23 de novembro de 2015.

Por Luciana Gonçalves

Foto: Cesar Oliveira