16/08/18 - 13:31:34

PROJETO VISA REDUZIR IMPACTOS DO USO AGROTÓXICOS EM SE

Devido ao incremento no uso e manipulação aleatória de agrotóxicos, tem acendido o sinal de alerta de autoridades do setor quanto à contaminação de alimentos, mananciais, do próprio profissional que aplica esses agrotóxicos em suas lavouras, bem como a resistência de determinadas pragas e doenças. Pensando nisso, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), antecipando às discussões, vem articulando junto às prefeituras municipais a implantação do Projeto de Educação Sanitária para Redução dos Impactos de Agrotóxicos, que visa desenvolver ações que promovam mudança de comportamento do produtor rural e da sociedade no tocante ao uso de defensivos agrícolas.

O projeto, que conta com a parceria da Secretaria de Agricultura dos Municípios envolvidos, Ministério Público Estadual, organizações rurais, Associação de Revendedores de Defensivos Agrícolas de Sergipe, dos próprios revendedores de agrotóxicos e agentes financeiros, visa sensibilizar a comunidade sobre a importância nos cuidados no uso dos agrotóxicos, desde a aquisição do produto até a devolução adequada das embalagens vazias, atitude esta que precisa de maior sensibilização do produtor rural.

Dentre as metas do projeto, destaca-se a instalação de pontos de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos nos municípios, onde possa haver a coleta itinerante, medida que visa facilitar a devolução dessas embalagens pelos produtores rurais e revendedores, os quais, na grande maioria das vezes, não possuem local adequado para o seu armazenamento e cujo recolhimento ficará a cargo da Associação dos Revendedores de Defensivos Agrícolas de Sergipe (Ardase), que dará a destinação final delas, ou seja, sua reciclagem.

Atribuições

Para a execução do projeto, ficaram estabelecidas as seguintes atribuições: a Secretaria Municipal de Agricultura será a responsável por articular junto às Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Educação e Saúde, além de organizações rurais a mobilização dos participantes para as reuniões e palestras técnicas, bem como identificar as escolas do município que tenham interesse em participar do projeto; a Emdagro participará efetivamente das reuniões com parceiros, ministrará todas as palestras técnicas, tanto para produtores rurais quanto para os estudantes, realizará cursos para aplicadores de agrotóxicos, além de elaborar conteúdos para a divulgação nos meios de comunicação, elaboração de folder´s e banner´s e arte para a confecção de camisa.

Os parceiros revendedores terão como responsabilidades custear os cursos para aplicadores de agrotóxicos, confeccionar o material gráfico, bem como realizar a coleta itinerante das embalagens vazias; já o Ministério Público Estadual realizará o acompanhamento e apoio da execução do projeto; os agentes financeiros participarão com patrocínio de material de divulgação e orientação sobre a importância da implantação e manutenção do projeto; e, por fim, as organizações rurais deverão divulgar e apoiar a execução do projeto, como também, na coleta itinerante das embalagens vazias.

Segundo a Coordenadora do setor de Defesa Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, o projeto tem a duração de 01 ano, período pelo qual espera alcançar bons resultados. “Dentre os resultados esperados nesse projeto, podemos destacar a construção de um público consciente e capacitado, com mudanças de hábitos profundas, a formação de multiplicadores na comunidade, o fortalecimento das OCS´s e a efetividade e sustentabilidade das ações envolvidas ao longo do tempo, com ganhos efetivos para a saúde dos trabalhadores rurais que se utilizam dos agrotóxicos, do consumidor e do meio ambiente”, frisou.

Por Carlos Mariz

Foto Ascom Emdagro