17/08/18 - 08:39:30

“Isso não é um favor, está previsto em lei”, diz Kitty sobre demora da SMTT

A demora da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Aracaju em dar continuidade ao recadastramento dos carroceiros e ao emplacamento das carroças que circulam pelas ruas da capital foi duramente criticada pela vereadora Kitty Lima (Rede) nesta quinta-feira, 16, na Câmara Municipal de Aracaju (CMA).

Em um contundente discurso que refletiu sua indignação por ter o pleito acerca do assunto frustrado pela inoperância do órgão municipal, Kitty voltou a cobrar a realização da segunda etapa do processo. A demora, explica a vereadora, fere o cumprimento das leis municipais e compromete a mobilidade urbana da capital, o meio ambiente e a causa animal.

“A SMTT silenciou-se sobre esse assunto. Houve a primeira etapa do recadastramento após muita insistência minha, que batia na porta do superintendente todas as semanas para cobrar a retomada dessa atividade. Percebemos diversas falhas durante a primeira etapa como animais desmaiados e machucados, que mesmo após passar pela avaliação de veterinários eram liberados para voltarem com seus tutores para casa, uma situação inadmissível que não permiti que acontecesse. Esse e tantos outros pontos negativos foram levados ao órgão que se comprometeu em melhorar o processo, mas há mais de uma semana aguardo esse retorno sobre a data para a realização da segunda etapa do cadastro e até agora a SMTT não se manifestou. Isso não é um favor, está previsto em leis que versam sobre a mobilidade urbana, a preservação do meio ambiente e a garantia de bem estar dos animais utilizados nesta atividade”, pontuou.

A parlamentar disse ainda tem pressionado a SMTT para definir uma data para a continuidade do cadastro dos trabalhadores e emplacamento do veículos de tração animal, porém, “todas as vezes que eu ligo cobrando é a mesma desculpa, sempre estão conversando isso ou aquilo, com fulano e sicrano, mas a gente sabe que na verdade o que o órgão está fazendo é empurrando com a barriga essa obrigação, infringindo totalmente a lei que obriga a gestão municipal a realizar essa atividade”.

Kitty lembrou que os dados coletados darão subsídio para o município promover o fim gradativo das carroças, previsto no projeto de lei de sua autoria que propõe um fim à circulação de veículos de tração animais na capital no prazo de até seis anos a partir de sua sanção. A proposta contempla ainda os carroceiros e suas famílias com cursos de alfabetização e profissionalizantes.

“As ações da SMTT estão muito devagar e precisamos agilizar isso o mais rápido possível porque ainda neste semestre será apreciado na Câmara meu projeto de lei sobre o fim gradativo das carroças. Precisamos dos dados envolvendo esses trabalhadores, os veículos e os animais para que possamos desenvolver um trabalho eficaz a fim de extinguir as carroças da área urbana e oferecer melhores condições de vida para os carroceiros, suas famílias e também para os animais. Já pedi, inclusive, urgência para a apreciação dessa matéria e por isso não podemos mais prolongar esse cadastro”, alertou Kitty, que não descarta medidas mais drásticas para assegurar que as leis do município sejam atendidas.

“Se precisar recorrer à Justiça eu farei, o que não podemos aceitar é que essa ação fique parada como está. Não há motivos para a prefeitura de Aracaju ficar nesse marasmo enquanto estamos trabalhando para melhorar a qualidade de vida da população. Adoraria poder conversar com o prefeito Edvaldo Nogueira, que já se manifestou dizendo apoiar a causa animal, sobre esse assunto, mas é curioso como a agenda dele nunca tem disponibilidade para mim. Prefeito, faço aqui um convite ao senhor, vamos conversar sobre o que podemos fazer para melhorar para Aracaju?”, colocou Kitty.

Foto Gilton Rosas

Por Felipe Maceió