01/09/18 - 07:17:25

MNSL é candidata a receber o selo Hospital Amigo da Criança

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES),  é referência por desenvolver sua missão com humanização, praticando a política cidadã, levando benefícios aos pacientes que dela precisam. A MNSL é programada para atender em alta complexidade e mantêm suas portas abertas  com uma assistência de qualidade em saúde e é por isso que é candidata a receber o selo Hospital Amigo da Criança (IHAC). Para discutir a meta com os profissionais da instituição, acontece no dia 1º  de setembro,uma capacitação no auditório, durante os turnos da manhã e tarde. Informa a enfermeira Magda Doria,gerente do Banco de Leite Marly Sarney.

“A MNSL, está se preparando para desenvolvendo um processo de qualificação voltada para os profissionais da instituição, com o objetivo de fazer cumprir os 10 passos para o sucesso da amamentação. Nesse momento o mais importante é a capacitação dos profissionais, com objetivo de desenvolver a cada dia um trabalho ainda mais adequado, visando adquirir o selo de Hospital Amigo da Criança e Hospital Amigo da Mulher (Portaria 1153/2014 )”, disse Magda.

Ela explica que desde abril de 2018, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), abriu as portas para os avaliadores da Iniciativa Amigo da Criança (IHAC), que representa o Ministério da Saúde, a Unicef, Nessa iniciativa, que tem como finalidade mostrar qualidade na assistência ao recém-nascido, dentro da lógica de uma alimentação saudável, na prevenção e na redução do óbito neonatal, através das diretrizes do IHAC, Magda explica que o trabalho se volta para fortalecer o aleitamento materno.

Capacitação

“Para discutir a meta, Magda realizará uma capacitação que acontece, nos dias 1º, 22 e 29 de setembro, no auditório da MNSL, durante os dois turnos. Ela observa que a IHAC é um selo de qualidade conferido pelo Ministério da Saúde aos hospitais que cumprem os 10 passos para o sucesso do aleitamento materno, instituídos pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Para ser considerado Hospital Amigo da Criança, há normas que as unidades de saúde devem cumprir. Uma delas é respeitar os critérios relacionados ao cuidado e humanização em relação à mulher, durante o pré-parto, parto e o pós-parto. Ainda, garantir livre acesso à mãe e ao pai e permanência deles junto ao recém-nascido internado, durante 24 horas, e cumprir a Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças na Primeira Infância (NBCAL)”, atentou a coordenadora do IHAC.

Ela disse que a MNSL foi pré-avaliada em abril de 2018, em cumprimento aos requisitos da portaria 1153 e obteve o prazo de mais três meses, contando a partir de julho para cumprir as diretrizes. “A Iniciativa Hospital da Criança passa por três momentos: auto avaliação (quando a MNSL vai avaliar os passos perante seu olhar), o segundo passo é a pré-avaliação onde a Secretaria do Estado encaminha avaliadores (quando ela é vista por avaliadores estaduais).

E o terceiro passo que é avaliação global , é vista por avaliadores Estadual e por avaliadores nacional, encaminhados pelo Ministério da Saúde, que durante três dias emergem dentro da instituição para avaliar todos os 10 passos e os 7 critérios amigo da Mulher, disse a coordenadora da Iniciativa Hospital Amigo da Criança, Magda Dória.

“Parabenizo a MNSL, e a reconheço como referência em alto risco no Estado de Sergipe, com uma capacidade de 72 leitos. É uma unidade que acolhe a todos, pois possui porta aberta, parabenizo a unidade pelo desafio de querer, de desejar e estabelecer um compromisso de, orientar e qualificar seus profissionais diuturnamente” declarou a Referência de Gestão/da Rede Materna Infantil, Helga Miller Mengel,

Ela disse que a iniciativa é promotora do aleitamento materno, sabendo que toda criança é incentivada a isso na primeira hora de vida. “Ela têm 2 meses de constatação de aleitamento materno, Creio que se você passa 24 , 48 horas ou mais dias em uma maternidade, que respira o aleitamento materno, que trabalha as questões do cuidado amigo da mulher , do acompanhante no serviço, auxiliando esse movimento, do pai presente, do familiar presente, auxiliando essa mulher no início desse convívio, dessa construção que é a família, me coloco como defensora, enquanto referência técnica”, ressaltou Helga Miller.

Fonte e foto assessoria