05/09/18 - 15:04:57

Municípios já estão aptos para a utilização do Sistema Nacional de Triagem Neonatal

A coordenação do Programa Estadual de Triagem Neonatal da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e o Hospital Universitário (HU) capacitaram, na manhã desta quarta-feira, 5, os gestores municipais que estão ligados ao processo de realização do teste do pezinho, para que possam utilizar o Sistema Nacional de Triagem Neonatal Biológica (SISNEO). O login e a senha para acesso ao site serão enviados para o e-mail de cada um que preencheu hoje o cadastro. O evento aconteceu no auditório do Hospital Universitário (HU), entre 8 e 12h e contou com a participação de representantes dos 75 municípios do estado de Sergipe.

Além da apresentação do sistema, uma atualização sobre toda a parte técnica em relação à coleta do teste do pezinho também foi feita. “Aproveitando esse momento de apresentação do sistema SISNEO, a enfermeira Fábia que faz parte do Programa Neonatal Estadual, está fazendo uma capacitação sobre o teste propriamente dito. Como há muita rotatividade na atenção básica dos municípios e entre os encarregados pela coleta, é sempre bom a gente estar capacitando novamente essas pessoas. Então, hoje, ela mostrou o local em que o exame deve ser feito, os insumos necessários, orientando quanto à conduta pós-coleta, o que as mães precisam fazer para não sangrar, pois elas ficam com muitas dúvidas, falando sobre o período ideal de coleta que é do terceiro ao quinto dia, ensinando como preencher o papel filtro, o que fazer para evitar contaminação da amostra, enfim, toda a parte técnica sobre a coleta do teste do pezinho Fábia está mostrando agora” explicou a coordenadora do programa da SES, Luciana Alves.

Para a coordenadora do Serviço de Referência de Triagem Neonatal do HU, Flávia Oliveira da Costa, é um momento muito feliz. “Estamos muito alegres porque quanto mais cedo a gente consegue resgatar alguma criança que apresente um problema, é importantíssimo para o sucesso do programa. O que estava demorando em torno de 15 a 20 dias para ser concluído, hoje é feito pela manhã e a tarde já está liberado. Houve um interfaceamento muito legal e agora a segunda parte do nosso projeto é essa, capacitar os municípios para que eles possam entrar no sistema e aquele exame que já está pronto eles já imprimem, com muita agilidade. Nossa proposta e o nosso compromisso é sermos o padrão ouro do Brasil. Então queremos em três dias, após chegar o papel de filtro aqui, processarmos os exames e já liberarmos o resultado. Depois de 20 anos de triagem neonatal , é uma felicidade grande para a gente e para todos os envolvidos, principalmente para nossas crianças”, enfatizou Flávia.

A enfermeira responsável pela Saúde Materno-Infantil do município de Areia Branca, Jordana Rosa, disse que a grande vantagem desse novo sistema SISNEO é a questão da intersetorialidade que contribui para a triagem neonatal e a eficiência dos serviços de saúde no SUS. “É uma grande vitória porque vai trazer agilidade, o município vai poder acompanhar melhor cada paciente e suas individualidades e poder prestar uma melhor assistência. A eficácia será gritante. O tempo era um grande problema porque a gente recebia os resultados com 30 e até 40 dias e agora vai permitir o tratamento em tempo hábil de algumas patologias que precisam ser tratadas entre sete e quinze dias, por exemplo. Muitos pacientes perdiam com isso porque não recebiam o tratamento no tempo adequado”, comentou Jornada.

Já para a técnica de enfermagem e responsável pelo teste do pezinho na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) do município de Aracaju, Lidiane Oliveira, “o sistema traz maior agilidade nos resultados, na busca ativa dos recém-nascidos (RN) que apresentem alguma patologia e que podemos detectar em tempo hábil com o acesso mais rápido aos resultados dos exames, o que é uma grande vitória”, afirma Lidiane.

Foto: Flávia Pacheco ASCOM SES