06/09/18 - 00:14:02

Rogério: servilismo político decorre de estrutura anacrônica e ultrapassada

O ex-deputado federal Rogério Carvalho (PT) não foi modesto quando declarou, em entrevista ao Faxaju Online, nesta quinta-feira (06): “eu quero ser a voz para acabar a mudez dos senadores sergipanos, e defender os direitos e os interesses de Sergipe no Senado, da mesma maneira e com a mesma capacidade que os outros estados, e garantir conquistas para a nossa gente”.

Para Rogério, que faz uma campanha colado na imagem do ex-presidente Lula, “o servilismo político decorre de uma estrutura política partidária anacrônica e ultrapassada. É preciso redefinir em lei o que são os partidos políticos. Eles precisam de fato se transformar em instrumentos democráticos de participação da sociedade na vida política através do exercício de cargos eletivos: presidente, governador, senador, deputados”.

– O Senado hoje em dia é visto como um troféu para políticos que já tiveram diversas oportunidades em mudar a vida população e que na maioria das vezes não conseguiu. Assim como as relíquias, esse políticos tiveram importância no passado mas já deram sua contribuição, disse Rogério.

Entrevista com Rogério Carvalho

Faxaju – Rogério, por que você pretende ser eleito para o Senado?

Rogério Carvalho – Eu quero ser a voz para acabar a mudez dos senadores sergipanos, e defender os direitos e os interesses de Sergipe no Senado, da mesma maneira e com a mesma capacidade que os outros estados, e garantir conquistas para a nossa gente. Por exemplo o Pré-sal, o estado do Rio de Janeiro e São Paulo tem tido a preferência dos investimentos da Petrobrás na exploração e produção do petróleo. Acredito que um trabalho bem feito e atuante como Senador, eu posso garantir a prioridade para a exploração do Pré-Sal em Sergipe e gerar mais de 30 mil empregos de uma só vez.

Faxaju – Tem propostas de mudanças na atual política econômica que ture o País do caos que se encontra?

Rogério Carvalho – Sim. É preciso, ao contrário do que vem sendo feito, estimular o investimento a partir das empresas estatais, do barateamento do crédito, promover a construção civil com a realização de projetos de infraestrutra para a população, retomar e ampliar os programas sociais com a redução do pagamento de juros abusivos pagos a instituições financeiras que o país destina através do pagame. É preciso sair da paralisia provocada pelo estrangulamento que a política econômica de Temer provocou.

Faxaju –  Como acabar com o servilismo político e propor uma reforma que deh seriedade a um País que trata trabalhador com um toque escravagista?

Rogério Carvalho – O servilismo político decorre de uma estrutura política partidária anacrônica e ultrapassada. É preciso redefinir em lei o que são os partidos políticos. Eles precisam de fato se transformar em instrumentos democráticos de participação da sociedade na vida política através do exercício de cargos eletivos: presidente, governador, senador, deputados. Ou seja, os partidos políticos como instrumentos públicos de participação da sociedade. É preciso que existiam regras universais de funcionamento para todos os partidos, registradas em lei com liberdade para os ideais que cada grupo defende. Também precisamos consolidar o financiamento público e abolir da legislação atual, a institucionalização do abuso do poder econômico. O que significa isso: quem é rico compra a sua eleição. É necessário que isso acabe. Hoje há um desequilíbrio quem tem mais dinheiro leva vantagem sobre quem depende apenas do financiamento público. E ainda, consolidar partidos reais. Do ponto de vista partidário, isso diminui a dependência do poder econômico para se viabilizar enquanto instrumento político. Do ponto de vista da sociedade, apenas com um estado mais transparente, mais permeável e com regras claras de relacionamento do Estado com pessoas físicas e jurídicas de forma pública e aberta. Em relação à situação do trabalhador, a gente precisa primeiro rever a reforma trabalhista aprovada pelo atual governo, a fim de assegurar o equilíbrio de poder na relação entre empregados e empregadores que foi quebrada com essa reforma que deu muito mais poder ao patrão, deixando o trabalhador numa condição desfavorável.

Faxaju – Qual assistência que dará ao Estado de Sergipe no Senado, caso eleito, para que ele fortaleça sua economia.

Rogério Carvalho – Vou defender investimentos em setores estratégicos para o desenvolvimento econômico do estado com o reposicionamento da Petrobrás, do ponto de vista do fortalecimento das suas atividades e investimentos na exploração de petróleo, a partir do nosso Pré-Sal que tem um potencial de produção de mais de 250 mil barris de petróleo/dia – que significa 8 vezes ou mais da produção atual. Um grande impacto na economia de Sergipe com a geração de milhares de empregos. É minha intensão também defender linhas de créditos para o desenvolvimento de indústrias de base local associadas à varias cadeias produtivas de agricultura e de outras cadeias produtivas. Fixando essas empresas regionalmente e gerando milhares de empregos. A regionalização consolida e fortalece a nosso economia.

Faxaju – no seu entender o que falta para termos um Brasil melhor?

Rogério Carvalho – Mais amor dos políticos pelo país e pelo povo brasileiro, que se traduz sob a forma de compromisso em diminuir a distância entre os ricos e os pobres.

Faxaju – Qual a visão que o senhor tem de um Senado para o futuro, sem os vícios que levaram o País ao caos?

Rogério Carvalho – O Senado hoje em dia é visto como um troféu para políticos que já tiveram diversas oportunidades em mudar a vida população e que na maioria das vezes não conseguiu. Assim como as relíquias, esse políticos tiveram importância no passado mas já deram sua contribuição. Pela importância do Senado de ter uma representação igual entre os estados, tem que ser uma casa de gente mais disposta, determinada, e mais atuante. E assim, haver as mudanças e adequações da legislação para não existir tanta subjetividade nas leis que provocam brechas facilitadoras para a proteção daqueles que estão no poder.