20/09/18 - 08:28:17

Corpo técnico do TCE passa por capacitação para aprimorar relatórios de auditoria

O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), por meio da sua Escola de Contas, concluiu nesta quarta-feira, 19, o terceiro módulo do Curso de Auditoria Avançada, desta vez com foco nos relatórios de Auditoria. A ação, iniciada na segunda-feira, 17, teve o objetivo de qualificar os analistas de controle externo II e analistas de controle externo de I, das Áreas de Auditoria Governamental e Engenharia.

A primeira etapa do Curso ocorreu em abril, quando foi trabalhada a melhor maneira de planejar a auditoria. O segundo módulo, em agosto, detalhou a execução da mesma.

Nesta terceira etapa, o auditor de controle externo, Tiago Modesto Costa, que é secretário de controle externo do Tribunal de Contas da União, no Mato Grosso do Sul (TCU/MS), ensinou como desenhar um relatório que as pessoas queiram ler, ao mesmo tempo em que seja metodologicamente ajustado, e como fazer valer o que o Tribunal de Contas decidiu sobre o relatório para que haja uma transformação nos processos de trabalho da administração pública.

“É importante pensar em cada usuário do relatório. É ter empatia no sentido do que aquela pessoa quer. Como o relatório vai se encaixar na vida daquela pessoa. Durante muito tempo, tivemos como único usuário o próprio relator do processo, mas hoje temos que ter como usuário a sociedade, o gestor, as partes interessadas; se for uma estatal, também os acionistas; se for algo na educação, os professores vão ser interessados; temos que construir um relatório que seja bom para todo mundo”, explica o auditor.

Transformação

Tiago Modesto defende a ideia de que o relatório é apenas uma semente. A partir do momento que foi lido, cumpriu seu papel. Contudo, é preciso que a partir daí se tenha um relacionamento mais próximo com o gestor até o momento da mudança. “Pode ser que aquela deliberação que a gente fez originalmente não resolva o problema. Então, precisamos revisitar até que o problema seja resolvido”, esclarece o palestrante.

A analista de controle externo II, Shara Lessa, destacou a dinâmica de ensino do orientador do curso. “O professor é muito motivador e ele faz com que a gente tenha cada vez mais responsabilidade com aquilo que a gente faz como agente de transformação da realidade, como agente transformador social […] O curso tem um viés motivacional, permite que cada técnico se sinta cada vez mais responsável pelo trabalho que desempenha dentro do Tribunal de Contas”, opina a servidora.

Já a analista de controle externo I, Rosiane Azevedo, ressaltou a importância dessa provocação para que haja uma transformação da realidade auditada. “É importante que o relatório impacte a vida do cidadão e que o problema seja resolvido, que possa transformar a realidade identificada. Isto traz a gente para uma responsabilidade e grau de envolvimento maior”, declara a servidora do TCE.

Fonte e foto TCE