21/09/18 - 07:15:15

SES alerta idosos sobre importância de manter caderneta de vacinação atualizada

O idoso, tanto quanto a criança e o adolescente, possui caderneta de vacinação específica implantada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e até mesmo por alguns serviços privados. A informação é do médico infectologista da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Marco Aurélio, alertando as pessoas com idade a partir dos 60 anos que, nessa fase da vida, a imunidade é diminuída e com isso pode ocorrer o desenvolvimento de algumas doenças por isso a importância da prevenção.

“Na realidade o Programa Estadual de Imunização abrande todas as fases da vida. É claro que a maior parte das vacinas está na infância porque elas vão proteger a pessoa ao longo da vida e a maior parte delas de forma permanente. A gente destaca principalmente a anual, que é a vacina contra a influenza porque a gripe ainda é uma das principais causas de internação do idoso por descompensação de uma doença que ele já possui causar uma patologia pulmonar ou ainda evoluir para uma pneumonia. Sempre que tem campanha é importante se vacinar o mais cedo possível”, aconselhou Marco Aurélio.

Há também a vacina que previne a pneumonia, tomada junto com as campanhas, dependendo se o idoso está imunizado ou não. Outra muito importante para o idoso é a antitetânica porque ele está quase sempre exposto a pequenos ferimentos como enfatiza Marco Aurélio. “Às vezes, até mesmo com um graveto o idoso pode ser contaminado pelo bacilo que causa o tétano e esta é uma doença  totalmente evitável”, reforçou o infectologista.

Outras vacinas também que têm surgido para o idoso, mas ainda não disponibilizadas amplamente pelo SUS, entre elas a da herpes zoster, doença conhecida também como fogo selvagem, causada pelo mesmo vírus da catapora, que fica no organismo quando a gente a adquiri na infância. Com o passar da idade a herpes zoster pode aparecer e se manifesta como bolhinhas, parecendo a catapora, só que localizada no trajeto de um nervo.

Particularidades

Estimulador da vacinação do adulto, o infectologista salientou particularidades próprias do idoso no quesito vacinação que merecem atenção. Uma delas é que nem toda vacina ele pode tomar porque algumas têm uma toxidade maior e só devem ser aplicadas após uma avaliação do vacinador. A mais típica nesse contexto é a imunização contra a febre amarela, que só é recomendada para o idoso quando ele está em área de alto risco de transmissão.  Marco Aurélio diz que o ideal é que a pessoa se vacine antes de chegar à idade para ser protegido da infecção.

Programa

O Programa Saúde do Idoso trabalha com o estímulo à utilização da caderneta do idoso pelos municípios, incentivando-os a terem um olhar mais atento àquele idoso que vai à unidade de saúde. “As equipes devem se lembrar que vacinação e caderneta não são só para criança, mas para o adulto e o idoso também”, sugeriu Marco Aurélio, salientando que é importante a pessoa saber que para ser um idoso saudável é preciso ser um adulto saudável, que se vacina para coisas que têm que se vacinar antes de chegar à idade.

Foto: Flávia Pacheco

ascom SES