24/09/18 - 16:02:47

No senado, Jackson Barreto trabalhará pela cultura de Sergipe

Educação e cultura serão as bandeiras do mandato de Jackson Barreto no Senado federal. Em Brasília, JB pretende direcionar emendas para ampliar o ensino profissionalizante em Sergipe e construir ou reformar equipamentos culturais.

Jackson entende que as duas áreas devem andar juntas, embasando a formação de jovens e crianças para o mercado de trabalho. “Educação e cultura se complementam. Temos que trabalhar nossa identidade, nossas referências históricas paralelo à educação escolar. Assim, formaremos estudantes capacitados para os desafios do mercado de trabalho e com consciência crítica”, afirmou.

No Senado, Jackson poderá buscar emendas para construção e/ou reforma de equipamentos culturais do estado, como bibliotecas, centros culturais, teatros, além de legislar pelo fortalecimento do ensino profissionalizante, o qual foi ampliado durante sua gestão de governador, saltando de três para 14 escolas profissionalizantes no período de 2014 até agora. Outras três novas unidades estão em construção, totalizando uma rede de 17 em todo o estado.

“O ensino profissionalizante verdadeiramente começou na nossa gestão. Duas escolas foram inauguradas pelo ex-governador Marcelo Déda: Ronaldo Pacheco, em Neópolis e a José Figueiredo Barreto, aqui em Aracaju. Além dessas, nós construímos a Escola Profissionalizante Maria Fontes, em Boquim, a Escola Ulisses Guimarães, no município de Umbaúba, a Escola Profissionalizante da Colônia Sergipe, em Indiaroba, além da Escola Profissionalizante Berila Almeida, em Nossa Senhora das Dores”, pontuou o candidato ao Senado Federal.

Ainda foram reformados e ampliados o Colégio Estadual Cleonice Soares da Fonseca, em Boquim; o Colégio Estadual Murilo Braga, em Itabaiana e o Joana de Freitas, na cidade de Propriá. Também foram erguidos o Centro de Educação Profissional Governador Marcelo Déda, em Carmópolis; a Escola Profissionalizante Neuzice Barreto e a Escola Profissionalizante Governador Seixas Dória, ambas no município de Nossa Senhora do Socorro; o Centro de Educação Profissional Ulisses Guimarães e o CEEP Dom José Brandão de Castro, em Poço Redondo. “A Escola Dom José Brandão de Castro, no Assentamento Queimada, no município de Poço Redondo, foi considerada a primeira grande escola do Brasil construída numa área de assentamento da reforma agrária. Temos compromisso com a educação de nossos jovens e a educação profissionalizante oportuniza qualificação para o mercado de trabalho”, enfatizou o ex-governador, ressaltando que atualmente, 3.366 alunos estão matriculados no ensino profissionalizante no estado, sendo 2.151 nos cursos técnicos e 1.215 do total fazem parte dos cursos de formação inicial e continuada – FIC.

Equipamentos culturais

Na área cultural, Jackson pretende apoiar grupos culturais, por meio de emendas, além de trabalhar pela construção de novos equipamentos culturais como museus, teatros, centros que promovam educação e interdisciplinaridade no fomento às atividades culturais, aliando música, dança, teatro, artes visuais, a exemplo do que foi feito no Centro de Criatividade, no Espaço Zé Peixe.

Jackson também vai trabalhar para buscar parcerias com a iniciativa privada para reformar  equipamentos públicos, como o convenio firmado com a Centrais Elétricas de Sergipe (Celse) para recuperação da biblioteca Epifânio Dória, Arquivo Público e teatro Tobias Barreto. A Celse é a empresa responsável pela construção da termoelétrica na Barra dos Coqueiros, um investimento de R$ 5 bilhões. O protocolo para promover ações de preservação do patrimônio cultural e histórico de espaços públicos que integram o meio ambiente cultural de Sergipe tem duração de cinco anos.

“Precisamos preservar nosso patrimônio e incentivar a produção cultural. Fizemos isso com a construção do Largo da Gente Sergipana, um monumento a céu aberto de nossas tradições populares que, atualmente, servem de subsídios para professores, pesquisadores, além de ponto turístico. Irei estreitar relações com a iniciativa privada em busca de parcerias para construção e recuperação de nossos espaços culturais e de lazer, temos que buscar alternativas de fomento em meio à crise”, explicou o futuro senador.

Já o presidente da Celse, Pedro Litsek, afirmou que é uma satisfação poder contribuir para a restauração de prédios públicos tão importantes. “Estamos duplamente satisfeitos ao dar a partida nas obras da Biblioteca. Primeiro porque estamos contribuindo de forma importante em projetos culturais e educacionais para um estado que nos recebeu de braços abertos. Segundo porque, assim como fizemos no Arquivo Público, contratamos a reforma da Biblioteca com uma empresa sergipana”, ressaltou.

Fonte e foto assessoria