27/09/18 - 12:44:30

Agricultores de mais quatro colônias recebem autorização oficial para uso da terra

Assentados das colônias agrícolas Antônio Conselheiro, Manoel Ricardo, Karl Marx e Auto da Bela Vista, no município de Canindé do São Francisco, receberam esta semana o convênio que oficializa a posse para uso das terras nas áreas desapropriadas. A ação vem sendo realizada desde abril pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) em parceria com o Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra).São áreas desapropriadas pelo Estado em 2007 que estão sendo oficializadas em nome dos agricultores.

A secretária da Agricultura Rose Rodrigues disse que essa oficialização das terras além de beneficiar os agricultores famílias, representa uma importante homenagem ao ex-governador Marcelo Déda e a todos os trabalhadores e trabalharas que lutaram pela desapropriação destas terras. “São áreas que foram desapropriadas na gestão dos governadores Marcelo Déda, mas que agora, antes de encerrar a atual gestão, consolidaremos o acesso à terra com a entrega de um documento a cada família”, disse  a secretária da Agricultura.

“Além de segurança jurídica, o documento vai possibilitar o acesso dos agricultores ao crédito e às políticas públicas de desenvolvimento a exemplo de infraestrutura dos lotes, custeio e comercialização disponíveis para áreas com atividades produtivas”, acrescentou.

A agricultora Carmelita Rodrigues da Silva, 57 anos, do Assentamento Auto da Bela Vista, falou da felicidade de poder mostrar essa conquista para seus filhos. “Sou viúva, com sete filhos para criar sempre tive que batalhar muito. Com esse documento posso mostrar pra eles que não se luta em vão. Estou muito feliz”, expressou Carmelita.

“Quando passar esse período de seca é esse documento que vai me ajudar a pegar um dinheirinho no banco e comprar umas ovelhas”. Diz confiante Antônio Justino da Silva 67 anos, assentado na Colônia Antônio Conselheiro.

O assessor técnico e coordenador do Programa de desapropriação na Seagri, Cláudio Lima, detalha que muitas das famílias vivem e produzem nos assentamentos há mais de cinco ano. “A seca tem prejudicado muito mas todos produzem alguma coisa, seja nas áreas irrigadas com atividade agrícola, ou nas áreas de sequeiro como atividade pecuária e criação de pequenos animais”, explica o assessor.

Ele destacou ainda que ao longo da implementação das colônias foram investidos 60,4 milhões de reis, sendo 10% da contrapartida estadual. Ao todo são 30 colônias agrícolas estaduais, que, neste ano de 2018, com a concessão das autorizações de uso, vai garantir o acesso às políticas públicas e principalmente a segurança jurídica às 1200 famílias sergipanas contempladas pela reforma agrária realizada pelo Estado.

Fonte e foto assessoria