28/09/18 - 16:05:25

Psiquiatra fala sobre suicídio na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

Valorizar a vida é preciso. O suicídio é a pior escolha. É com essa abordagem, que a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou nesta sexta-feira, 28, às 9h, palestra com o tema “Segurança e Saúde no Trabalho – Setembro Amarelo”, ministrada pela médica psiquiatra Ana Angélica Salmeron Menezes. Em seguida foi aberta uma roda de conversa. Participaram do evento, servidores, psicólogos, estudante de medicina, médicos, público técnico, colaboradores em geral e usuários da unidade.

“O Setembro Amarelo é uma campanha anual que foi criada com o intuito de promover a prevenção do suicídio e valorização da vida. Durante o mês, diálogos são criados com o objetivo de reduzir os riscos de suicídio”, disse Ana Salmeron. O Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina no Trabalho (SESMT/FHS) e o Núcleo de Educação Permanente (NEP/MNSL) promoveram o evento na maternidade onde as psicólogas e psiquiatra da  instituição tiraram dúvidas do público, respondendo questionamentos e orientando a prevenção.

Para a enfermeira do trabalho do SESMT, Rita de Cácia Cardoso Ferreira, a saúde mental não é uma situação específica de uma categoria e os servidores também devem ser cuidados. Ela observou que a roda de conversa foi bastante proveitosa, Foram expostos vários questionamentos à respeito de como lidar com o suicídio e também o suicídio como a segunda causa de morte entre os adolescentes e jovens, principalmente do sexo masculino.

“Relacionamos os questionamentos à respeito do adoecimento no trabalho proveniente do ambiente e de outras situações. Contamos com a contribuição dos serviços de psicologia, psiquiatria e serviço social nas discussões. “A palestra com a Drª Ana Salmeron nos mostrou como devemos prevenir o suicídio decorrente de várias situações que passamos, e também como podemos valorizar a vida e reduzir os riscos de suicídio no local de trabalho”, disse a enfermeira Rita Ferreira.

Saúde mental

“Brilhante evento, mostrou de maneira clara e objetiva alguns sinais que podem ser observados para ajudar na prevenção do suicídio. Forma mais simples de alimentar a saúde mental”, comentou a enfermeira do Núcleo de Educação Permanente, Maria do Carmo Pereira.

Andreza Carvalho Rabelo, professora da Faculdade Estácio disse que  o curso foi excelente e mostrou a importância e atenção que deve ser dada aos filhos desde criança para que no futuro eles não se sintam abandonados e frustrados em relação à existência neste planeta, procurando meios para se suicidarem e desistirem da vida. Muitas vezes por conta disso a prevalência de suicídio tem aumentado bastante, esquecendo o SER e procurando só o TER”, disse a psicóloga da MNSL,  Kátia Cristina Santana.

Ela ressaltou que foi um momento de interação entre profissionais e estudantes da área de saúde, onde houve reflexões sobre os sinais e sintomas do suicídio no meio cotidiano’,  A psiquiatra informou, ainda, que o comportamento suicida consiste em todo ato deliberado e executado pelo próprio indivíduo, cuja intenção seja a morte de forma consciente e intencional usando um meio que ele acredita ser efetivo. Durante a palestra ela falou dos fatores de risco, prevenção e tratamento.

Ainda sobre fatores de risco: isolamento social, abandono, exposição a violência familiar e social, história de abuso físico e/ou sexual, transtorno mental, dependência de substâncias psicoativas, eventos estressores ao longo da vida desde a gestação, suporte social deficitário, conflitos de identidade sexual.

Fonte e foto assessoria