08/10/18 - 13:04:15

Veja cinco motivos para se tornar um detetive particular

Profissão pode gerar altos ganhos mensais

Lembrada geralmente pela ficção, a profissão de detetive particular tem diversas vantagens. Para quem pensa em seguir a carreira, é importante conhecê-la mais a fundo antes de tomar a decisão. Saiba os principais motivos para cogitar essa opção:

Curiosidade

O detetive particular é a profissão ideal para quem é naturalmente curioso. Focado em investigar situações como traições amorosas e até sequestros, o profissional não tem rotina certa e está sempre envolvido em novas histórias.

Para quem não se imagina atrás de uma mesa o dia todo e prefere resolver problemas, a área de investigação é perfeita. No caso do detetive particular, nem é preciso ter uma formação específica, mas é recomendável fazer cursos específicos.

Ganhos

Por ser autônomo, o detetive particular ganha por produtividade. Em geral, os profissionais cobram em média R$ 100 por hora de trabalho. Portanto, se um detetive trabalha 8h por dia durante toda a semana útil, os ganhos podem chegar a R$ 16 mil.

Porém, vale notar que esses ganhos variam de acordo com o nível de dificuldade e a experiência do profissional. Apesar de haver a possibilidade de os ganhos serem por hora, o melhor é resolver a investigação o mais rápido possível. Então, o “salário” do detetive pode variar bastante.

Sem rotina

Na maior parte das vezes, os detetives particulares não têm uma rotina fixa. Tudo depende da demanda a que estão submetidos. Para alguns clientes, pode ser necessário investigar todos os dias, enquanto outros podem exigir menos tempo.

Para quem abre mão da rotina e gosta de viver o inusitado, a profissão de detetive é um prato cheio. Nenhum dia é igual ao outro, pois nenhum caso é igual ao outro. Histórias é o que não faltam para essa profissão.

Não exigem tantos recursos

Para ser um detetive particular não é preciso abrir uma grande empresa, nem contratar funcionários. Diferente de profissões como dentista, que necessitam de um espaço para operar, no caso do investigador o mais importante é a própria capacidade.

Além de precisarem ser cautelosos e atenciosos, os detetives também precisam dispor de uma boa câmera fotográfica. Mas isso pode ser adquirido em uma loja de revenda ou de um modelo não tão novo, para o começo da carreira.

Profissão regulamentada

Em 2017, foi aprovado o projeto de lei Projeto de Lei da Câmara (PLC) 106/2014, que reconhece a profissão de detetive particular. De acordo com o documento, esse profissional pode coletar informações não criminais, para uso público e privado.

Na prática, a regulamentação traz mais garantia para os profissionais. Agora, os detetives particulares podem ser equiparados a outros trabalhos tradicionais, como professor ou comerciante.

Por Aline Matos