09/10/18 - 14:33:43

90% dos acidentes nas estradas são decorrentes de falha humana

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 90% dos acidentes ocorridos nas estradas são causados por falha humana. Rodovias com má sinalização ou problemas de pavimentação e as falhas mecânicas correspondem aos demais 10% do total dos acidentes (5% cada). Estes e outros dados fazem parte do infográfico sobre segurança na estrada divulgado pelo Seguro Auto (www.seguroauto.org), um dos portais mais visitados no Brasil sobre seguro de automóveis.

Falta de atenção é o principal fator de risco

Dados da Polícia Rodoviária Federal, também presentes no infográfico, refletem a gravidade da falta de atenção nas estradas. Por conta deste fator, 1.844 pessoas morreram nas estradas federais e 34.406 acidentes foram causados.

Além da falta de atenção, outros motivos foram listados pela PRF como os principais responsáveis pelos acidentes rodoviários: velocidade incompatível (10.420 ocorrências), ingestão de álcool (6.441), não manter distância (5.816), desobedecer a sinalização (5.195) e problemas mecânicos (4.640).

O infográfico Segurança na Estrada também ressaltou que a rodovia com maior índice de vítimas fatais a cada 10 quilômetros é a DF-40, que liga Brasília ao Rio de Janeiro, com 9,52 mortes. Em seguida estão SP-381, com 6,90 mortes, e PR-116, com 4,76 mortes a cada 10 quilômetros.

A ingestão de bebidas alcoólicas é também uma situação alarmante. Conforme os dados apresentados, mais de 19.000 motoristas foram flagrados dirigindo alcoolizados, sendo que 5.994 foram detidos por apresentarem índice de álcool no organismo maior do que o limite da infração. O estado do Paraná foi o que mais teve autuações e prisões por embriaguez ao volante em 2017: foram 3.982 multas e 716 detenções.

As estradas brasileiras tiveram no total 89.318 acidentes graves em 2017, número abaixo dos 96.590 apresentados em 2016, ano em que 6.419 vítimas fatais foram registradas. Em 2017 o número de óbitos caiu para 6.244, sendo que 1.904 mortes ocorreram em colisões frontais.

Confira o infográfico completo abaixo.

Por Aline Matos