15/10/18 - 13:28:17

No Dia do Professor, Aracaju promove ato em defesa da democracia

Trabalhadores ocupam as ruas por um Brasil sem retrocesso e que acredita na educação e inteligência dos brasileiros

por: Iracema Corso

‘Mais livros, menos armas’, este é o lema do ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA que mobilizou trabalhadoras e trabalhadores a ocuparem as ruas de Aracaju na tarde desta segunda-feira, dia 15 de outubro, quando se celebra em todo o Brasil o Dia do Professor. A concentração está marcada para as 15h, na Pça General Valadão, Centro de Aracaju.

Mentiras divulgadas através de notícias falsas espalhadas pelo whatsapp, Facebook e demais redes sociais tentam definir o resultado das eleições presidenciais no Brasil. Por isso o ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA pretende dialogar com a população desfazendo boatos e divulgando os reais projetos que estão em disputa nessas eleições.

Através da manipulação de brasileiras e brasileiros, o retrocesso pode vencer as eleições. Corremos o risco de perder direitos consolidados que norteiam nossa democracia como o combate ao racismo, a igualdade de oportunidades para homens e mulheres, visto que o candidato com maior intenção de votos defende em seus discursos a violência contra homossexuais, o uso de armas, o machismo, a tortura, entre outros absurdos.

O discurso chocante do candidato de extrema direita esconde suas propostas antipopulares que estão no seu plano de governo: fim da estabilidade dos servidores públicos; defende a privatização e não diz de quais nem quantas empresas; é contrário à política de cotas raciais; defende aumentar o imposto de renda das pessoas que tem menos dinheiro, entre outros. Sobre educação, parece brincadeira de mau gosto, mas é verdade: o candidato da extrema direita afirmou que quer implantar Educação à Distância, a partir do Ensino Fundamental.

A Central Única dos Trabalhadores reforça a convocação dos sindicatos filiados. “Faltam poucas horas para a gente iniciar a concentração do ato de luta pela liberdade. Todos vocês que defendem a democracia, vamos para a Pça General Valadão para de lá sairmos em passeata contra o fascismo e o retrocesso com mais perda de direitos”, convidou o presidente da CUT/SE, Rubens Marques, o professor Dudu.