30/10/18 - 08:14:34

GLÓRIA: CÂMARA DE VEREADORES GASTA R$ 215 MIL EM DIÁRIAS

Câmara de Vereadores de Glória gastou mais de 215 mil reais em diárias em 2017 e 2018

O Movimento Atitude Sergipe (MOVA-SE) apresentou uma representação ao Ministério Público Estadual solicitando que o órgão pudesse fazer uma averiguação nos gastos efetuados com diárias feitas pela Câmara de Vereadores de Nossa Senhora da Glória com o intuito de verificar se há observância aos princípios legais da administração pública.

O montante gasto na legislatura atual que iniciou-se em 2017 já somam R$ 219 500 reais. Um valor considerado alto pelo movimento se levado em conta a dificuldade financeira que os municípios atravessam ultimamente nas contas públicas.

Esses gastos com diárias são utilizadas para que os vereadores e servidores da casa legislativa municipal possam participar de encontros e seminários de agentes públicos normalmente realizados em outros estados. O que chama atenção do MOVA-SE é se um gasto deste tamanho é necessário e quais os benefícios trazem para os cidadãos de Nossa Senhora da Glória.

Outro ponto que fez com o MOVA-SE acionasse o MPE foi que as notas fiscais acessadas através da lei de acesso a informação da Câmara e apresentadas para prestação de contas muitas vezes foram repetidas na prestação de contas de outros servidores, além de seus valores totais não representarem nem 1/2 dos valores  empenhados.

A concessão de diárias é legal e praticada por todas as esferas do serviço público, o que destoa da realidade são os altos valores disponibilizados, enquanto um cidadão comum trabalha 30 dias para conseguir um salário mínimo de R$ 954, em um único dia um vereador, secretário ou servidor embolsa R$ 800, além dos proventos do salário.

Para Inácio Santana, membro do MOVA-SE, “é necessário que haja uma maior participação da sociedade como vigilantes dos gastos públicos” e segundo outro membro do movimento, Uilliam Pinheiro, “esse é o papel do MOVA-SE, incentiva cada vez mais a participação dos cidadãos na fiscalização e na escolha dos gastos públicos”.

Uilliam Pinheiro – Membro do MOVA-SE