16/11/18 - 05:16:01

#VetaTemer!, escreve o economista Uillian Pinheiro

*Uilliam Pinheiro

No dia 07 de novembro de 2018, numa votação relâmpago diga-se de passagem, o Senado aprovou um reajuste de R$ 33,7 mil reais para R$ 39,3 mil reais nos salários dos ministros do STF e com essa medida criou há possibilidade de um efeito cascata sobre os vencimentos de todo o Judiciário e em altos cargos do Legislativo e Executivo podendo gerar um impacto nas contas públicas da ordem de R$ 5 bilhões a R$ 8 bilhões.

O Brasil passa por um dos momentos de maiores dificuldades econômicas de sua historia, onde a classe trabalhadora é a que mais sofre e como demonstração disso a taxa de desemprego chega a 12,4%, segundo o IBGE, ou seja são 13 milhões de pessoas desocupadas atualmente. Já o déficit nas contas públicas do Governo Federal chega R$ 148,171 bilhões segundo a previsão do Ministério da Fazenda para 2019. Algo extremamente preocupante.

Mas o que se viu na noite de 07.11 foram senadores que votaram a favor desse reajuste desconectados da realidade brasileira. Enquanto os cidadãos clamaram  nas urnas que querem ser ouvidos e não aceitam mais pagar o “pato” de decisões como essas, o que se notou foi os senadores darem “de ombros” a esse clamor mostrando uma indiferença aos problemas existentes. É como se falem-se: “Que se dane o povo brasileiro!”

Cabe agora ao presidente Michel Temer até a próxima semana realizar um ato de grandeza vetando o reajuste. No seu governo impopular, o presidente tem a oportunidade de fechar seu ciclo com um ato de decência e nobreza, mostrando que vale mais pensar no Brasil do que numa exigência de um grupo restrito, mesmo que esse grupo seja poderoso.

Os movimentos da sociedade civil estão cumprindo seu papel e  pressionando o presidente Temer na tentativa de que haja o veto. O abaixo-assinado iniciado pelo partido NOVO já contabiliza mais de 2,5 milhões de assinaturas. O povo está gritando: Basta, não suportamos mais!

Faz-se necessário sim a mobilização de toda a sociedade, pois é desmedida tal proposta aprovada. Como explicar a sociedade que paga uma das maiores cargas tributárias do mundo que eles devem aceitar um reajuste para uma das classes que possui um dos melhores salários do país enquanto isso a população não tem uma saúde pública de qualidade, vivem com altos índices de violência por falta de segurança pública. E ouvem o discurso de seus representantes de que faltam recursos para esses serviços, mas para reajustar salários de um classe que desconhece a vivência de um hospital público ou de uma periferia que não possui saneamento básico, tem dinheiro. Soa muito estranho nos ouvidos da sociedade.

A justificativa dada pela maioria dos senadores para o reajuste é o fim do auxílio-moradia, que cá para nós é de uma imoralidade tremenda, pelo reajuste aprovado. Porém, estudo realizado pelo próprio Senado afirma que o fim do auxílio-moradia não compensa o impacto causado pelo reajuste de 16,38% nos salários dos ministros do STF.

Toda a classe de servidores públicos, incluído o Judiciário, merece ter seus salários reajustados. É um direito! Mas, meritíssimos ministros do STF, o momento não é agora.

Então, Sr. Presidente Michel Temer é hora de Vossa Excelência mostra hombridade e veta esse reajuste. Mostre que está a favor do Brasil e abra o caminho para um novo rumo em nosso pais!

#Veta Temer!

*Uilliam Pinheiro Graduado em Economia(UFS) e membro do MOVA-SE