16/11/18 - 07:44:13

2018 já era

Embora o calendário 2018 ainda se arraste até 31 de dezembro, em termos políticos o ano acabou no último dia 28, com as eleições para governador e presidente da República. Depois da campanha do 2º turno, as lideranças políticas vitoriosas comemoram o resultado das urnas, enquanto se arrumam para as festas de diplomação e de posse. Em sua grande maioria, os políticos derrotados colocaram as violas no saco, só devendo voltar a afiná-las ano que vem, de olho nas eleições de 2020. Na Assembleia Legislativa o ritmo também é de fim de feira, até porque o cidadão não está interessado nos discursos proferidos pelos deputados. Portanto, nesta reta final de 2018, a preocupação da maioria do povo é mesmo com os presentes de Natal e as festas do Ano Novo.

Atrás da liberdade

A defesa do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PR), quer vê-lo em liberdade o quanto antes. Para tanto, impetrou um habeas corpus no Tribunal de Justiça de Sergipe e outro no Superior Tribunal de Justiça. Por sua vez, a vice-prefeita Maria do Carmo Mendonça (PSC) torce que o ex-aliado permaneça preso para que ela assuma a prefeitura. Pelo visto, muita água ainda passará por debaixo desta ponte. Marminino!

Malas prontas

O presidente estadual do PPS, Clóvis Silveira, está de malas prontas para deixar o partido. Como o comando do PPS em Sergipe deve ser entregue ao senador eleito Alessandro Vieira (Rede), Silveira só permanecerá na sigla se lhe derem um cargo na executiva nacional. Diferente de Clóvis, os deputados estaduais eleitos Samuel Carvalho e Dilson de Agripino ainda não disseram se pretendem pular a cerca ou se permanecerão no PPS sob nova direção.

Desigualdade

O sistema tributário brasileiro provoca um tipo mais profundo de injustiça, pois onera proporcionalmente os mais pobres em relação aos mais ricos. Estudo do Instituto de Estudos Socioeconômicos revela que os 10% mais pobres da população comprometem 32% da renda com o pagamento de tributos. Para os 10% mais ricos, o peso dos tributos cai para 21%. Nos 10% mais pobres da população, 68,06% são negros e 31,94%, brancos. A faixa mais desfavorecida é composta por 45,66% de homens e 54,34% de mulheres. Uma lástima!

Sem médicos

E o senador eleito Rogério Carvalho (PT) criticou a forma como o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) tratou os cubanos integrantes do Programa Mais Médicos: “A ignorância, o preconceito e a discriminação aos médicos cubanos, presentes nas declarações do presidente Bolsonaro, trarão um dano irreparável à saúde de milhões de brasileiros e uma desassistência enorme à população”. Aff Maria!

Luto

Foi cremando, ontem, o corpo do senhor Mário Barreto Alves, pai da prefeita de Japaratuba, Lara Moura (PSC), e sogro do deputado federal André Moura (PSC). Com 81 anos, Mário Barreto morreu no Hospital Primavera, onde estava internado. Após ter sido velado por algumas horas em Aracaju, o corpo foi transladado para Salvador, onde ocorreu a cremação.

Definindo o norte

E quem esteve reunido em Brasília com o presidente nacional do PSC, pastor Everaldo, foi o deputado federal eleito por Sergipe, Valdevan Noventa. Segundo ele, o encontro serviu para traçar o norte da bancada do PSC na Câmara Federal. Além de Noventa, participaram da reunião os deputados federais eleitos Irmão Lázaro (BA) e Sandro Mabel (GO). Segundo Valdevan, juntos eles vão realizar “muitas coisas boas para o estado e o nosso tão querido país”. Então, tá!

Prestando contas

Os candidatos e partidos políticos que disputaram o 2º turno têm até às 19h deste sábado para prestar contas da campanha à Justiça Eleitoral. Nas prestações de contas devem ser discriminados o total de recursos arrecadados e as despesas de campanha. O candidato que não prestar contas não poderá ser diplomado. A sanção para o partido que não informar quanto gastou é a perda do direito ao recebimento dos recursos do fundo partidário. Crendeuspai!

Infância perdida

Quase 14% das meninas brasileiras de 6 a 14 anos afirmam trabalhar ou já ter trabalhado para terceiros. Pesquisa contratada pela Ong inglesa Plan International, revela que uma em cada três das meninas disse não ter tempo suficiente para brincar e estudar. Mais de 37% das entrevistadas que dizem trabalhar prestam serviço na casa de outras pessoas, cuidando das crianças, fazendo faxina e outras atividades domésticas. Cerca de 5% das entrevistadas revelaram que trabalham nas ruas vendendo coisas e recolhendo material reciclável. Terrível!

Lucro menor

O Banco do Estado do Sergipe registrou lucro líquido de R$ 18,447 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 14,8% na comparação com o mesmo período de 2017. A carteira de crédito teve expansão anual de 2,1%, a R$ 2,221 bilhões. As despesas com provisões para devedores duvidosos registraram queda de 11,6%, a R$ 23,7 milhões. A inadimplência subiu para 1,33%, de 1,30% no segundo trimestre. O retorno sobre o patrimônio (ROE) ficou em 16,6%, de 16,4% no segundo trimestre. O índice de Basileia caiu para 14,6%, de 15,1%. Esta informação é do jornal Valor Econômico.

Fundo do poço

A situação de Sergipe é de petição de miséria. O estado faliu. Falta dinheiro para pagar em dia a folha de pessoal, a Polícia está perdendo a guerra para a criminalidade e as estradas que cortam o estado se transformaram numa tábua de pirulito. Claro que tudo isso é consequência da crise financeira que assola o Brasil, porém se o governo estadual não adotar medidas para aumentar a arrecadação, Sergipe chegará ao fundo do poço. Misericórdia!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Gazeta Socialista, em 12 de julho de 1952.

Resumo dos Jornais