16/11/18 - 10:36:33

ADVOGADO AFIRMA QUE SITUAÇÃO DE SUKITA É COMPLICADA

O Tribunal Superior Eleitoral de Sergipe (TSE/SE) negou na última quarta-feira (14) o pedido de Habeas Corpus ao ex-prefeito da cidade de Capela, Manoel Messias Sukita.

Sukita continua preso no presídio no presídio de Nossa Senhora da Glória e na manhã desta sexta-feira (16), o advogado de devesa do ex-prefeito, Dr. Emanoel Cacho, disse que a situação de seu cliente é complicada, mas que irá que irá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ainda segundo o advogado, o TSE ainda vai julgar o mérito da causa.

O advogado explicou também que ainda não saiu o recurso especial, que irá julgar o mérito da causa e isso pode mantê-lo preso por pelo menos mais seis meses. A defesa analisa ainda os recursos que poderão ser interpostos e afirma que recorrerá até a última instância, no STF.

Durante a entrevista que concedeu ao jornal da Fan, Cacho disse ainda que a situação financeira de seu cliente é complicada e que estaria fazendo a defesa, juntamente com sua filha, Dra. Anna Cecília Cacho, que também é advogada, por amizade. “A situação financeira de Sukita é complicada e ele que é cliente nosso há tanto tempo, nós não poderíamos abandoná-lo e eu minha filha, que trabalha comigo no escritório estamos fazendo a defesa dele”, explicou o advogado.

Em nota enviada à redação, o advogado Emanuel Cacho explica que “esse processo é um processo eleitoral criminal sobre o “BOLSA AJUDA” à pessoas carentes de Capela e Foi acompanhado por advogados eleitorais. Não teve acompanhamento ou defesa de advogados criminais”.

O escritório de Emanuel Cacho assumiu a defesa no processo apenas na fase de recurso. Ou seja, após a condenação, uma vez que seus advogados renunciaram a sua defesa após o julgamento pelo TRE/SE.

O Habeas Corpus julgado no TSE versou apenas sobre a necessidade e oportunidade para a prisão antes do trânsito em julgado da condenação.

O Recurso Especial sobre a decisão do mérito, se mantém a condenação ou absolve ainda será julgado.

Prisão – o ex-prefeito Sukita foi preso no último dia 14 de setembro, após sair sentença condenatória para cumprimento de prisão de 13 anos em regime fechado,  por corrupção eleitoral, desvio de verbas públicas e autorização de despesas não previstas em lei.

Matéria atualizada para acréscimo de informações