20/11/18 - 11:32:32

Clóvis diz que “está na moda Sergipe ter os piores índices em tudo”

O conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE), Clóvis Barbosa afirmou na manhã desta terça-feira (20) que 89% dos municípios estão com os gastos com pessoal acima do Limite Prudêncial, como determina a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e ironizou ao afirmar que “como está na moda Sergipe ter os piores índices do Brasil em tudo, Sergipe tem a maioria dos municípios com gasto de pessoal acima do limete”, contou Clóvis.

Durante a entrevista que concedeu ao radialista Alex Carvalho, no Comando Geral, o conselheiro explicou que é preciso “enxugar a máquina” fazendo redução de gastos e para isso os municípios terão que se adequar.

Clóvis informou ainda que tem realizado reuniões com gestores e informou que “os municípios vão ter que se adequar com o limite de 54%. Veja por exemplo Rio de Janeiro tem apenas 20% acima do limite, enquanto Sergipe tem 80%”, comentou o conselheiro.

Ele falou também sobre a reunião que teve com a prefeita em exercício de Aracaju, Eliane Aquino, para resolver a situação quando a compra de medicamentos. Clóvis disse que ouviu da prefeita que “esse é um problema que precisa ser resolvido mas que o Ministério precisa ter conhecimento, já que estão comprando remédios acima do limite”, disse afirmando ainda que “é lamentável que esses fornecedores teimem em não cumprir a legislação”.

Sobre o município de Itabaiana, Clóvis informou que irá enviar documentos para o Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), sobre o matadouro. “Inclusive nós estamos fazendo um trabalho em cima da questão do matadouro, já ouvimos algumas pessoas, mas a questão está no Deotap, inclusive eu mandar para o Deotap aquilo que nós temos no Tribunal de Contas, já que eles estão à frente e há um processo crime que está m andamento. Outros municípios também estão com esse problema”, informou.

Ao final, o conselheiro comentou sobre uma carreta com equipamentos para a saúde e que foi adquirido em sua gestão, quando foi presidente do TCE. Segundo Clóvis, o dinheiro estaria na conta do estado, porém não foi feito o repasse para a empresa que preparou a carreta. “Nós deixamos recursos para compra de duas carretas. É lamentável isso, porque  desde junho que está à disposição do governo de Sergipe, mas infelizmente o estado não pagou e a empresa diz que só entrega quando receber”, disse Clóvis explicando que a carreta é para diagnosticar câncer de mama e útero. “Acredito que esse dinheiro foi gasto com outra coisa”, afirmou.

Munir Darrage