29/11/18 - 07:42:06

Prefeito manhoso

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) perdeu o rebolado ao ser chamado de “manhoso” enquanto discursava. Foi enquanto o comunista anunciava as atrações contratadas para o Réveillon de Aracaju. Sem ainda ter recebido o cachê do show que fez no Forró Caju, o músico “Jacaré”, do Trio Pantanal, implorou a Edvaldo para pagar aos artistas sergipanos. Enquanto Nogueira prometia recebê-lo após a solenidade, “Jacaré” soltou o verbo: “Um radialista de Caruaru me disse que o prefeito de Aracaju é o mais manhoso do Brasil”. O músico foi retirado do recinto e, apesar da saia justa, a solenidade prosseguiu. Misericórdia!

Conta gotas

O governo de Sergipe começa a pagar, sábado agora, a folha salarial deste mês. Vai Receber depois de amanhã quem ganha até R$ 3 mil, além do pessoal da Educação, Ipesaúde, Sergipe Previdência, Segrase e Agrese. Os demais servidores com salários acima de R$ 3 mil só colocarão a grana no bolso no distante dia 12 de dezembro. Aff Maria!

Retorno negado

O Superior Tribunal de Justiça manteve Valmir Monteiro (PSC) afastado da Prefeitura de Lagarto. Os ministros rejeitaram os Embargos de Declaração impetrados pela defesa do gestor, acusado de doar terrenos do município a aliados políticos. Diante da decisão do unânime do STJ, já tem gente apostando uma mariola como dificilmente Valmir reassumirá a prefeitura. Homem, vôte!

Efeito cascata

Resolução aprovada pelo Tribunal de Justiça de Sergipe reajusta os salários dos magistrados em 16,3%. Isso quer dizer que os vencimentos dos juízes e desembargadores passarão de R$ 30,4 mil para R$ 35,4 mil. Para a grana cair na conta dos doutores, basta o Legislativo estadual aprovar a resolução do TJ. A majoração dos magistrados terá efeito cascata na Assembleia, Ministério Público, Tribunal de Contas de Sergipe e câmaras municipais, etcétera e tal. Quem pode, pode, quem não pode, se sacode!

Aqui não, violão!

E quem está invocado com o presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá, é Benedito Figueiredo, que preside da Fundação Ulisses Guimarães em Sergipe. Bené considera uma intervenção descabida querer “renovar” antes do tempo a direção da entidade. Segundo Figueiredo, Jucá não pode adotar qualquer providencia nesse sentido, pois fere a legislação e desrespeita o mandato da diretoria, que vai até maio de 2019.

Parceria festiva

O governador Belivaldo Chagas (PSD) festejou a parceria entre a Prefeitura e o governo para a realização do Réveillon em Aracaju. Segundo ele, essa união é muito importante “para que possamos encerrar 2018 de forma festiva”. Chagas também ressaltou que o evento programado para a Orla de Atalaia vai atrair milhares de turistas, aquecendo a economia. O Réveillon da capital será patrocinado pelo Banco do Estado de Sergipe e o sindicato das empresas de ônibus. Então, tá!

Atrás de encrenca

Após publicar no jornal O Globo recorte de um jornal informando que “Eduardo Bolsonaro propõe que Brasil se envolva no conflito entre sunitas e xiitas no Oriente Médio”, o jornalista sergipano Ancelmo Gois conclui: “É como se diz em Frei Paulo, tem gente que procura sarna pra se coçar”. Crendeuspai!

Aprendendo o beabá

O senador eleito Alessandro Vieira (Rede) está participando, em Brasília, do ciclo de palestras “Conhecendo o Senado”. Promovido pelo Instituto Legislativo Brasileiro, o evento visa orientar sobre o funcionamento do Senado. Segundo Vieira, trata-se de uma ação importante “para garantir que os novos parlamentares possam atuar com efetividade já no início do mandato”. Ah, bom!

Tapa na macaca

O senador Eduardo Amorim (PSDB) votou contra o projeto descriminalizando o cultivo de maconha para uso pessoal terapêutico. Segundo o tucano, o Estado é incapaz de controlar o cultivo da Cannabis sativa, “além da impossibilidade de se dimensionar a quantidade suficiente para o uso do paciente”. Apesar do voto contrário de Amorim, o projeto foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado e agora vai para análise do plenário. Marminino!

Cavalice

Agentes de trânsito apreenderam, esta semana, dois cavalos que perambulavam pela Praça Fausto Cardoso, centro de Aracaju. Foi o bastante para o “Zé Povinho” batizar os pangarés de Pé de Pano, a montaria do endiabrado Pica-Pau, e Incitatus, o cavalo nomeado senador de Roma pelo imperador Calígula. Teria esse danado se juntado a Pé de Pano para visitar a Assembleia e a Câmara de Vereadores da capital? Cruz, credo!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Folha Popular, em 16 de julho de 1955.

Resumo dos Jornais