15/12/18 - 00:01:13

VETO NAS DISPARIDADES SUGERIDAS

DIÓGENES BRAYNER – plenario@faxaju.com.br

Está uma calmaria. Por enquanto não se percebe nenhum movimento de setores aliados ao Governo para encaixar nomes na equipe que fará a administração. O governador Belivaldo Chagas (PSD) já escolheu a metade deles e nenhum demonstra que pretende fazer política. Pode até acontecer mais adiante, mas agora o caráter técnico predomina, sem expor compromissos partidários. O governador não esconde que deseja reformular o jeito de administrar o Estado e deixa claro que valerá a disposição e competência.

Já há nos bastidores as conversas discretas sugerem nomes. Mas um fato chama atenção nesse novo estilo: o secretário aceito pode ter vinculação política com quem o indique, mas vai trabalhar dentro do projeto que vem sendo implantado para o futuro período administrativo. Ninguém imagine que será nomeado algum auxiliar que ocupe lugar no Governo, mas preste contas ao seu líder político. Tudo terá que ser conferido pelo chefe do Executivo, para que não se monte uma gestão paralela.

Um fato definido: só será aceita a indicação daqueles que tiverem todo o conhecimento da área que comanda. Ninguém vai indicar um médico para a Agricultura, por exemplo, porque ele não terá competência para fazer um trabalho que amplie a capacidade da produção agrícola e nem confunda “colheita” com “coleta”. Ou até mesmo “quiabo” de “maxixe”. Todos devem ter profundo conhecimento da atuação da Pasta e condições de ampliar o seu desempenho.

Tudo indica que não será aceito nomes já conhecidos que servem a políticos. Antes, os indicados ouviam o que era para fazer dos seus mandantes e executava o que interessava politicamente a eles. Está diferente: hoje primeiro ouve o governador e depois mobiliza a Secretaria em torno do projeto tratado. Um Governo não pode ter vários comandos, mas uma única direção para que não perca o rumo traçado por toda a mudança que o Estado deseja por em prática.

E fica claro: só vai ocupar cargos majoritários, quem tiver apto a seguir orientação traçada para uma administração que tentará mudar um sistema obsoleto e que levou Sergipe à situação em que se encontra. O veto será comum nas disparidades sugeridas.

Contas desaprovadas

Às vésperas da diplomação, o TRE-SE está trabalhando duro para julgar prestação de contas dos eleitos e não aprovou mais duas que embolam o meio campo.

Foram recusadas contas de Rogério Carvalho (PT), eleito para o Senado.

E de Fábio Henrique (PDT), eleito para Câmara Federal.

Rogério esclarece

O senador eleito Rogério Carvalho (PT) esclareceu que a desaprovação de suas contas eleitorais ocorreu porque ele adquiriu empréstimo consignado para pagar fornecedores.

A regulamentação eleitoral orienta que este empréstimo deveria ter sido quitado antes.

Coisas fiquem claras

Rogério diz que é preciso que as coisas fiquem claras. E que a imprensa de Sergipe se detenha à verdade dos fatos e não a espetacularização que é feita por alguns setores da comunicação.

– Sempre fui correto com o povo de Sergipe. E assim será durante todo o mandato.

Confirma decisão

A assessoria do deputado federal Fábio Henrique confirma que as contas deles foram rejeitadas, porém sem despesas não comprovadas e nem devolução de recursos.

A rejeição ocorreu por contratações feitas por Fábio antes da abertura da conta.

Todos serão diplomados

Apesar de terem as contas rejeitadas pelo TRE, todos os candidatos eleitos serão diplomados em sessão solene que se realiza na próxima segunda-feira.

Também não impedirá que assumam seus mandatos.

Valdevan estaria solto

Ontem pela manhã comentários em Estância, inclusive na Câmara, diziam que Valdevan havia sido solto. Repórteres buscaram informações com o advogado.

Mas até às 15 horas, o advogado Evaldo Campos não havia sido informado.

Ainda não foi julgado

A questão das contas de Valdevan ficou para a próxima segunda-feira e há informação que a PRE quer entrar com cautelar para impedir diplomação do deputado eleito.

O problema de Valdevan está se complicando.

Transferência para Bahia

A sergipana Selma Fontes Araújo Andrade, filha do saudoso Jaime Araújo, foi transferida da base da Petrobras na Amazônia, para trabalhar na Bahia.

Por mérito, Selma Fontes será gerente geral da Petrobras no Estado.

Recado das urnas

O senador eleito Alessandro Vieira disse a ‘O Antagonista’ que o recado das urnas foi claro e que a eleição do Congresso reflita o desejo de renovação da população.

– Não se trata do nome de Renan ou não, mas de um perfil de presidente, disse.

Conversa sobre assunto

Alessandro Vieira revelou, ainda, que tem conversado com outros colegas que vão desembarcar em Brasília para cumprir o mandato a partir do próximo ano.

– Vamos encontrar um nome que possa evitar um presidente com o perfil de Renan.

Belivaldo e empresários

O governador Belivaldo Chagas participou, ontem, de almoço com empresários. Fez um balanço do seu Governo e expôs dificuldades do Estado.

O pessoal entendeu que o momento não era para discussão.

Encontro na segunda-feira

Está marcada para segunda-feira uma reunião, na Casa Civil, entre o governador e o secretário da Fazenda com alguns empresários que participaram do almoço.

Em pauta: os aumentos de tributos que foram anunciados.

Janier uma parceria

A deputada eleita Janier Mota (PR) se mostra tranquila em relação ao caso Valdevan e explicou que o contato com ele foi apenas político.

– Apenas fiz parceria para troca de votos, mas sem envolver recursos…

Pessoal fala mal

Os adversários de Janier Mota, entretanto, acusam a deputada eleita de também ter se envolvido financeiramente com Valdevan Noventa, durante a campanha eleitoral.

Revelam que seus assessores teriam recebido depósitos.

Ficção científica

Marcio Macedo (PT) disse ontem que poderia ser mais um filme de ficção científica, mas é realidade: os robôs de Bolsonaro continuam funcionais e operantes.

– A automatização da mentira foi arma dominada por Bolsonaro e segue ativa.

Encontro casual

O governador Belivaldo Chagas teve encontro casual com o senador Eduardo Amorim, em uma churrascaria de Brasília. Amorim disputou o Governo contra Chagas.

Eduardo estava com o irmão Edvan e conversaram en passant.

Marca do Porvir

Eduardo Amorim disse a Belivaldo Chagas que algumas coisas que ele está anunciando “eu também iria fazer” em caso de ter sido eleito.

Uma delas foi o Porvir como marca do Governo.

Pediu desculpas

Há algumas semanas, Belivaldo Chagas pediu desculpas à desembargadora Vilma Leite Amorim, mulher de Eduardo, durante encontro no embarque de um voo.

Razão: anúncio na campanha que Vilma teria sido promovida por influência política.

À época, o então candidato ao ver o vídeo mandou retirá-lo imediatamente.

Notas

Lula volta a virar réu – A Justiça Federal em São Paulo tornou Lula réu sob acusação de lavagem de dinheiro por receber R$ 1 milhão do grupo ARG. Para o Ministério Público, o dinheiro foi pago ao Instituto Lula como forma de ocultar a atuação do presidiário em favor da empresa na Guiné Equatorial, do ditador Teodoro Obiang.

0x0

Controla publicidade – Jair Bolsonaro, disse que revisará contratos de publicidade da Caixa Econômica Federal, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco do Brasil e da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom). Ele fez afirmação na sua conta do Twitter.

0x0

Cidades concentram riquezas – O jornal da Band divulgou ontem que seis cidades brasileiras concentram 28% de toda a riqueza produzida pelo país. Um levantamento divulgado pelo IBGE mostra ainda que a administração pública move a economia de mais da metade dos municípios.

0x0

Abuso sexual de João de Deus – Força-tarefa criada pelo Ministério Público de Goiás apurou denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus em seis países. Possíveis vítimas procuraram o grupo para denunciar casos de abuso sexual, mesmo vivendo na Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, nos Estados Unidos e na Suíça.

0x0

Ganhava sem trabalhar – Funcionária legislativa ligada ao deputado fluminense e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) desde 2007, Nathalia de Melo Queiroz trabalhou como recepcionista em uma rede de academias no Rio no mesmo período em que aparecia na folha de pagamento da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

0x0

Renan é passo atrás – Senador eleito pelo Espírito Santos, Marcos do Val (PPS), disse que “já escutei que negociam gabinete, apartamento… Eu não estou entrando em nada disso. Renan presidente do Senado? Pô, é um passo atrás. Espero que meus colegas aí não aceitem acordo nenhum e a gente mostre para o brasileiro que é possível renovar tudo.”

Conversando

Confira na Justiça – Prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro, perdeu ontem no STJ mas pode recorrer. Diz que confia na Justiça e insiste que não fez nada que está no processo.

Vai à posse – Belivaldo Chagas esteve hoje na posse da desembargadora Vilma Leite Amorim como presidente do Tribunal Regional do Trabalho em Sergipe.

Para diplomação – Muita movimentação para diplomação dos deputados eleitos e reeleitos, que acontece na segunda-feira. Alguns com prestação de contas em dúvida.

Para a posse – Assembleia Legislativa abre credenciamento para a posse do governador Belivaldo Chagas e da vice Eliane Aquino, dia primeiro de janeiro.

Está bem – Eduardo Amorim desceu do palanque já há tempo e tem demonstrado isso. Conversa com adversários sem qualquer problema.

Fechar contas – Cidades do interior se preparam para os festejos do interior, mas a maioria delas sente problemas para fechar as contas.

Fazer mudanças – A partir de março o MDB vai conversar para valer e fazer mudanças em sua direção regional. Fábio Reis deve ser o novo presidente da sigla em Sergipe.

Também muda – Quem também vai promover mudanças é o PPS, a partir do próximo ano. Terá outro nome, mudará estatuto e pode trocar de cara.

Muito silêncio – Anotem bem: podem acontecer surpresas para a disputa da Prefeitura de Aracaju em 2020. Um nome surge ainda em silêncio. Muito silêncio.