26/12/18 - 21:51:51

Nome de André para Anvisa causou ciúmes e condenação de última hora

O líder do Governo no Congresso Nacional, deputado federal André Moura (PSC), que deixa o mandato em fevereiro, logo após o recesso, concedeu nesta quarta-feira (26) entrevista ao Faxaju Online vai primeiro aguardar um tempo para analisar equívocos que prejudicaram a oposição e avaliar a política do Governo Belivaldo Chagas (PSB), para adotar uma posição.

Admite que os próximos meses serão voltados “a nos preparar para dar a volta por cima”, disse ele, consciente de que precisar preparar o seu partido, o PSC “para os desafios do futuro”. Sem mandato, mas consciente de que realizou um trabalho voltado para Sergipe, sem distinguir cores partidárias e ideológicas, André Moura diz que vai  permanecer na oposição “como sempre fizemos, de forma republicana, ajudando quando for preciso, como fizemos até agora, e como fizemos quando estava no governo o ex-governador Jackson Barreto.

Sobre a sua indicação pelo presidente Michel Temer para um diretoria da Anvisa, que não fora votada pela senadora Marta Suplicy, na Comissão do Senado, André Moura crê que “muita gente ficou incomodada, para não dizer enciumada, com a minha indicação pelo presidente da República! Teve até condenação de última hora, denúncias na imprensa de temas já bastante requentados e algumas tentativas de me desqualificar moralmente”.

Entrevista com André Moura:

Faxaju Online – Qual o projeto político para 2019?

André Moura – A princípio, observar o cenário e aguardar para ver como as pedras vão se mexer no tabuleiro. Também devemos nos dedicar a organizar o partido – o PSC – e prepará-lo para os desafios futuros. Saímos de um processo político que, sem dúvida, prejudicou a oposição. Os próximos meses serão voltados a nos preparar para dar a volta por cima.

Faxaju Online – Será oposição, formará bloco ou vai esperar mais um pouco para ver o cenário estadual e nacional?

André Moura – Como disse, vamos aguardar! Muita coisa local depende do que ocorra no plano nacional. As reformas necessárias para garantir o pleno restabelecimento da economia nacional terão reflexos aqui em Sergipe e nos demais estados. Temos também as eleições no Congresso Nacional, outro ponto importante para determinar o cenário futuro. Do ponto de vista local, temos um bloco com vários bons nomes, alguns com mandato. Vamos permanecer na oposição como sempre fizemos, de forma republicana, ajudando quando for preciso, como fizemos até agora, e como fizemos quando estava no governo o ex-governador Jackson Barreto. Mesmo sem mandato, faremos uma oposição responsável, com ética, com coerência, ao mesmo tempo que vamos trabalhar para fortalecer o nosso grupo, nos preparando para o que virá pela frente.

Faxaju Online – Se oposição, terá o mesmo tipo e estilo da ação dura, de adversário, que apenas contesta?

André Moura – Nunca fizemos oposição apenas para contestar. Aliás, pelo contrário. Mesmo sendo oposição ao governo estadual, à prefeitura de Aracaju e a diversas prefeituras do interior, trabalhamos de forma indistinta para garantir uniformemente a liberação de verbas. Mais de um bilhão e oitocentos milhões de reais foram liberados através do nosso mandato junto ao Governo Federal não apenas para as gestões, mas também para instituições como a UFS e a Codevasf, entre outras. No que depender de nós, a ação será sempre de apontar o que estiver errado, de forma coerente e justa, mas também fazer o que estiver dentro dos nossos limites para ajudar, claro.

Faxaju Online – A sua visão continuará dentro de um estilo republicano de ajudar sempre Sergipe?*

André Moura – Sempre foi assim e jamais mudarei. Minha missão de vida é contribuir para ampliar o desenvolvimento econômico e social deste Estado, não importa se com mandato ou não. O povo sabe que poderá sempre contar comigo.

Faxaju Online – O que aconteceu com a Anvisa?

André Moura – Creio que muita gente ficou incomodada, para não dizer enciumada, com a minha indicação pelo presidente da República! Teve até condenação de última hora, denúncias na imprensa de temas já bastante requentados e algumas tentativas de me desqualificar moralmente. Mas sigo tranquilo, pois entendo que, da mesma forma como prestei um serviço proativo e qualificado no Congresso Nacional nos últimos oito anos, também o farei onde estiver, seja no setor público ou no privado. Modestamente, me preparei para exercer tarefas de liderança e agora, sem dúvida, estou mais experiente (risos).