08/01/19 - 13:37:45

São Cristóvão: Um novo olhar recai sobre a educação do município

Um ano de reconstrução, metas traçadas e alcançadas. Em 2018, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) passou por transformações essenciais para alçar voos mais altos. A rede foi reestruturada e a qualidade do ensino diário foi discutida e repensada. A parte educacional recebeu mais atenção no tocante às questões pedagógicas, com o intuito de reerguer a base educacional dos mais de sete mil estudantes. Foi um ano em que o prefeito Marcos Santana esteve dentro das escolas conversando com os alunos e também com o corpo profissional. Ao final de 2018, a Prefeitura de São Cristóvão recebeu do Ministério Público Estadual o reconhecimento por ações voltadas à alimentação escolar. Literamente, o município saiu das páginas policiais e os alunos estão sendo tratados com carinho e atenção.

“Inserimos em 2018 um método de gestão onde a legislação que rege a educação foi melhor observada, do ponto de vista da qualidade do ensino, da oferta da educação, da quantidade de dias letivos e horários de aula. Alguns diretores já estão trabalhando nesta linha de ação, intervindo nos processos educacionais mês a mês, para que subam os níveis da qualidade de ensino de nossos alunos. Implantamos um programa de acompanhamento pedagógico às escolas quinzenalmente para mapear o desempenho dos alunos, identificando nível de aprovação dos estudantes nas provas, absenteísmo, quem deixou de frequentar na escola, tudo para que possamos intervir nestes processos ainda durante o ano letivo”, contou a secretária de educação, Quitéria de Barros.

São Cristóvão passou a enxergar a educação como base para a mudança social. A gestão do prefeito Marcos Santana, por meio da Secretaria de Educação (Semed), vem se empenhando em oferecer à população uma educação de qualidade, readequando escolas, melhorando os serviços de transporte e alimentação para os alunos. Neste quesito, vale relembrar que em 2018, tanto o prefeito quanto a secretária de educação, Quitéria de Barros (e equipe) participaram no auditório da Secretaria Estadual de Educação (SEED), em Aracaju, da 8ª Audiência Pública do Projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc), promovido pelo Ministério Público de Sergipe e Ministério Público Federal, com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (SEED), onde foram discutidas as políticas educacionais aplicadas para o cumprimento do pacto pela educação sergipana. Na ocasião, a gestão sancristovense expôs dados dos três últimos anos, e mostrou que conseguiu avançar em áreas como: estrutura, transporte e alimentação.

“Mesmo com os desafios que enfrentamos no início da gestão, como professores desestimulados, salários reduzidos e outros percalços, conseguimos alcançar alguns avanços, mas ainda não são satisfatórios, queremos melhorar mais. Vamos continuar nosso trabalho para garantir bons indicadores, e espero que ao final da minha gestão, eles apontem índices positivos na educação de São Cristóvão em todos os aspectos, não apenas na questão estrutural das escolas, como também, e principalmente, na qualidade do ensino”, destacou o prefeito Marcos Santana.

Avanços

São Cristóvão obteve vários ganhos na educação municipal, como o aumento no número de professores de 288 para 303, além 117 contratados por meio de um Processo Seletivo Simplificado (PSS), implantação do “Projeto Aula Digital”, com capacitação de professoras para a utilização desta inovadora plataforma, 23 cuidadores ativos nas três creches municipais, reformas e readequação das escolas municipais além da utilização dos recursos próprios da Prefeitura de São Cristóvão para a alimentação escolar, com destaque para o programa “Primeiro Lanchinho”, que fornece refeições aos alunos na hora que chegam à escola.

“As visitas do prefeito Marcos Santana e do diálogo dele com as crianças tivemos o aporte para mudanças estruturais. O Programa “Primeiro Lanchinho”, que recebeu menção honrosa por parte do Ministério Público Estadual, surgiu justamente destas conversas com os alunos, onde identificamos que várias crianças estavam indo à escola sem tomar um café da manhã. Mudamos isto! Agora ao chegarem às escolas nossos alunos recebem já um alimento inicial dando suporte até a hora do intervalo, tudo antes de irem para suas salas de aulas. Investimos mais na Casa da Merenda, contratamos outra nutricionista para fortalecer o trabalho que a coordenadora Andréa Magalhães já realiza. Qualificamos também o cardápio e ofertamos formação continuada aos nossos manipuladores de alimentação escolar, através de cursos em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS)”, revelou Quitéria.

Outro ponto de destaque diz respeito ao transporte dos alunos sancristovenses. Atualmente, a Secretaria Municipal de Educação possui uma frota composta por 26 ônibus, destes, sete veículos são do próprio município (adaptados para transportar também estudantes com deficiência), oito micro-ônibus, além de vans e carros particulares que facilitam o trajeto tanto das residências às escolas quanto para as atividades extracurriculares. “Estamos caminhando para melhorias no transporte escolar. Quero lançar um programa onde teremos leituras dentro dos ônibus que transportam nossos alunos. Estamos em análise dessa situação e queremos implantar leitura, arte, poesia, folclore dentro dos nossos transportes em 2019. Fazendo assim uma ponte com a parte pedagógica das escolas”, informou a secretária de educação.

Foi um ano de diálogo contínuo com os professores. Segundo informou a secretária de educação, em 2018 aconteceram reuniões essenciais para estreitar laços e aproximar ainda mais os professores da Secretaria Municipal de Educação. “Realizamos, por exemplo, uma grande reunião para tratarmos das dificuldades de se ter um diagnóstico da rede e o quanto precisamos avançar em termos de qualidade. Isto tudo só poderá ser feito com os professores ao nosso lado. Abrimos as portas para a representação sindical, temos um diálogo aberto com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (SINTESE). Seus representantes passam aqui na Secretaria de Educação sempre, e conversamos rotineiramente. Apresentamos a proposta de melhoria e otimização dos recursos da educação a partir da reorganização da oferta do sistema público de ensino, dialogando também com a Secretaria Estadual de Educação”, esclareceu Quitéria.

Para além das questões administrativas, como: melhorias no transporte, na alimentação escolar, mais diálogo com os professores e diretores, os técnicos da Semed implantaram ações com foco na elevação do desempenho dos alunos, e com o apoio dos diretores e professores acompanharam o desenrolar de processos como a identificação das fraquezas pedagógicas apresentadas pelos alunos. “Estamos estabelecendo esse contato mais de perto e aplicamos recentemente um questionário para uma avaliação de diagnósticos, em novembro passado, baseada nas diretrizes da Prova Brasil. O que chamamos de “Simuladão” foi realizado para medir o nível de desenvolvimento de competências e habilidades dos alunos da rede municipal. Nosso maior desafio é assegura a alfabetização dos nossos estudantes. Precisamos que nossas crianças entrem no terceiro ano do ensino fundamental alfabetizadas. Para que não continuemos esse imbróglio de retenção e reprovação de alunos. Mapear dificuldades e ofertar alternativas norteiam nossos trabalhos. Os técnicos estão mapeando esses desempenhos dos alunos mensalmente e estamos medindo para a partir daí planejarmos ações pedagógica que tragam melhorias diretas. É avaliação para orientar a gestão pedagógica. Em 2019, os alunos farão avaliação externa do INEP (onde serão avaliados os dos terceiro e quinto anos do ensino fundamental e do terceiro ano do ensino médio). Estamos trabalhando para elevar o desempenho escolar”, informou a secretária.

Creches renovadas e equipadas

Parte fundamental da Rede Municipal de Educação, as creches municipais receberam readequações ao longo do último ano. Localizada no Grande Rosa Elze, a creche Maria de Lourdes Gomes, por exemplo, passou por considerável mudança. Com um investimento de R$ 300 mil reais, atualmente todos os cômodos ganharam maior utilidade, servindo melhor para um aprendizado de qualidade e segurança total das crianças. “Quero convidar os pais e moradores de nossa cidade para entrarem nesta creche, conferindo o trabalho que fizemos. Essa readequação será um referencial para nossa gestão”, enfatizou Marcos Santana.

Já a Creche Ezilde Serra Pinheiro, fixada na localizada na avenida Irineu Neri, teve sua estrutura física modificada para melhor receber as crianças. “O que encontramos, do ponto de vista de prédios de escolas e creches no município, nos deixou bastante tristes ao assumirmos a gestão municipal. Por isto criamos um cronograma de reformas, mas não apenas reforma por reforma, e sim pensando em quem vai usar o prédio, ou seja profissionais e crianças. Desta maneira redesenhando, readequando os prédios para melhor atender. Os pais e mães sancristovenses, que trazem seus filhos para nossas creches, precisam voltar para suas casas tendo a certeza de que seus filhos estão sendo bem cuidados e seguros. Sempre peço que cada profissional de nossa educação municipal trate nossas crianças com todo o carinho”, enfatizou o prefeito.

Na creche Nilza de Oliveira (Alto Santo Antônio), a Prefeitura de São Cristóvão entregou fardamento novo e também os kits de educação, seguindo o “Método Montessori”, onde as crianças brincam com objetos lúdicos e aprendem de forma natural as primeiras informações de suas vidas (cores, números, silabas, etc). Tanto as creches quanto os estudantes dos ensinos fundamental e infantil receberam fardamento novo. Ao todo, a Prefeitura de São Cristóvão comprou 14 mil uniformes.

Tempo Novo na alimentação escolar

Entre os produtos que compõem a alimentação escolar da Rede Educacional de São Cristóvão estão: frutas, cereais, hortaliças (legumes e verduras), raízes, laticínios, leguminosas e carnes. Os cardápios são elaborados mensalmente (com frequência de fornecimento de pedido quinzenal). O município destina cerca de 37,8% dos recursos da alimentação escolar para a compra de produtos do próprio município. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), determina o mínimo de 30% oriundos de empreendedores rurais. “Através da equipe da Casa da Merenda, a gestão municipal tem realizado oficinas de capacitação e aprimoramento dos profissionais que trabalham nas creches e cozinhas escolares. A intenção é facilitar o cotidiano dos profissionais, resultando em melhorias no final do trabalho, ou seja, na oferta da alimentação que é preparada e servida aos alunos”, informou a nutricionista da Casa da Merenda, Andréa Magalhães.

Jornada Pedagógica e liberdade de expressão

A II Jornada Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação trouxe o tema: ‘Desvelando sentidos e vislumbrando caminhos para a educação pública municipal’, discutindo com professores e diretores os caminhos que o município deve trilhar, através de uma educação mais inclusiva, criativa e participativa. “Queremos construir um tempo novo nesta cidade. Para isso, precisamos transformar a educação de São Cristóvão em referência positiva para todo o estado de Sergipe. Sabemos de todas as nossas limitações, mas temos a certeza que nossos propósitos estão sendo seguidos dentro do que é mais importante: o respeito”, pontuou o prefeito Marcos Santana.

Ainda em 2018, o prefeito assinou decreto assegurando aos professores da Rede Municipal de Ensino, a total liberdade de expressão e pensamento. O documento (nº 527/2018), foi assinado em novembro de 2018 estabelecendo que todos os professores, alunos e funcionários das escolas têm o direito de se expressarem livremente. “Enquanto autoridade máxima do município esta é a oportunidade que tenho de contribuir para frear e servir de contrapeso para esta onda conservadora que avassala o Brasil, e que vem apontando para atitudes drásticas, como essa anomalia da ‘Escola Sem Partido’. O que queremos com este decreto é garantir que em São Cristóvão todos os nossos alunos, professores e a comunidade escolar possam ter livre possibilidade de expressão. Essa garantia, que não seria necessária, pois está no artigo 206, inciso II, da Constituição Brasileira, só foi tomada por causa dessa onda conservadora que infelizmente se aproxima cada vez mais do país, tornando o nosso ambiente cada vez mais sombrio. Queremos que nossos professores, alunos, diretores e servidores possam se expressar contrapondo ou divergindo também, pois o que constrói a humanidade é a dialética e a divergência”, frisou Marcos Santana.

A notícia do decreto só veio reiterar a sensação de liberdade que existe na Rede Municipal de Ensino de São Cristóvão. Para a professora Maria Vera de Góis é preciso existir liberdade para o desenvolvimento das ideias. “Não posso ser podada em meus pensamentos. Durante as discussões precisamos respeitar as ideias dos alunos e vice-versa também. Quero parabenizar Marcos Santana pela iniciativa de elaborar um decreto enfatizando nosso direito à liberdade de expressão”. Para Maria da Conceição Matias Sales Santana, a livre expressão do pensamento é um norte seguido enquanto educadora. “Em sala de aula precisamos ouvir os alunos respeitando a forma de cada um pensar. Enquanto professora estou satisfeita, pois passo para meus alunos os assuntos do mundo, sem bloqueios, sem medos, mas sempre respeitando a idade dos estudantes na hora de discutir determinados temas”, declarou.

Da assessoria

Foto: Márcio Garcez