14/01/19 - 07:50:05

A afronta do recesso

Até os políticos acham exageradas as férias de 90 dias a que têm direito. Tanto é assim que, de quando em vez, os próprios apresentam projetos para reduzir o exagerado descanso. O vereador Fábio Meireles (PPS) é um deles. Ele vai tentar reduzir o recesso parlamentar na Câmara de Aracaju dos atuais 90 dias/ano para 52 dias. A redução poderia ser para um mês, porém a proposta de Meireles não deixa de ser um avanço. Entre as regalias da classe política a mais exagerada e afrontosa ao povo é o recesso parlamentar. Diferente do trabalhador comum, que labuta de sol a sol e o ano inteiro, os parlamentares registram presenças quatro dias por semana, podem faltar ao “trabalho” sem risco de ter o ponto cortado e tiram férias a cada seis meses. Pior é que muitos parlamentares ainda dizem trabalhar demais. Coitadinhos!

Leve e solto

Após passar mais de um mês trancafiado no Cadeião de Estância, o deputado federal eleito Valdevan Noventa (PSC) deverá ser solto nesta segunda-feira. A defesa dele conseguiu um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal. Noventa foi em cana porque estava pressionando testemunhas. Mesmo solto, o parlamentar continuará respondendo processo sob a acusação de compra de votos na campanha eleitoral passada. Marminino!

Juntos e misturados

A partir de fevereiro, partidos que não alcançaram a cláusula de desempenho nas últimas eleições deixarão de existir: O PPL vai se unir ao PCdoB, o PRP se incorporará ao Patriota e o PHS buscou abrigo no Podemos. Segundo o jornal Valor Econômico, o caso do Rede Sustentabilidade é peculiar, pois não pode fazer nem fusão nem incorporação. Pela legislação, apenas legendas criadas há mais de cinco anos podem optar pelas mudanças e o Rede só tem três anos de existência. Aff Maria!

Vota contra

E o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) garante não existir a menor possibilidade de votar uma reforma da Previdência que não seja pra todos os brasileiros. “Se excluir militares e ou qualquer outra categoria, voto contra. Essa bomba não pode estourar só no lado mais fraco”, avisa. Mitidieri diz ter o maior respeito pelos militares “e sempre demonstrei isso no meu mandato, mas entendo que a reforma deve ser universal”. Certíssimo!

Pindaíba

Veja o que publicou no Jornal da Cidade a colega Thais Bezerra: “Não é das melhores a relação entre o prefeito de Canindé, Ednaldo da Farmácia (PP), e os servidores municipais. O relacionamento se agravou depois que a Prefeitura não pagou o 13º salário da categoria. O Sindicato dos Servidores já tentou sem sucesso se reunir com Ednaldo. Pelo visto, a turma vai penar um bocado para botar a mão no 13º salário do ano passado. Que miséria, meu Deus”. Bota miséria nisso, amiga!

PDT com Maia

E quem está satisfeito com o apoio do PDT à candidatura de Rodrigo Maia (DEM) à presidência da Câmara é o deputado federal eleito Fábio Henrique. A decisão de apoiar o demista foi tomada pelo PDT nacional no último sábado “Fico feliz porque essa sempre foi a minha posição”, afirma Fábio. Segundo o pedetista sergipano, “Rodrigo Maia tem sido um grande presidente da Câmara Federal”. Então, tá!

PM enlutada

A Polícia Militar perdeu dois policiais neste final de semana. Vítima de acidente, o sargento José Orlando Fraga Ferreira morreu sábado passado. Ontem, o sargento Erivaldo Rodrigues faleceu ao sofrer um infarto fulminante. Na última quinta-feira, o também sargento/PM Ronaldo Bispo Santos foi assassinato em Itaporanga ao reagir a um assalto. Lastimável!

Fora do processo

O ex-prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), foi excluído de 14 processos que apuram a contratação “de assessores-fantasmas” pela Prefeitura. Para tirá-lo das investigações a defesa comprovou que Alves Filho sofre do Mal de Alzheimer, doença degenerativa que provoca perda da memória. João Alves, a irmã Marlene Calumby, o ex-vice-prefeito José Carlos Machado e outros menos votados são acusados de terem contratado assessores que não apareciam no trabalho. Esta informação é do Jornal do Dia.

Aluno do capitão

De olho na Prefeitura de Aracaju, o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) diz não querer apoio dos políticos. Ué, o que será que ele tem contra a classe política da qual faz parte há tanto tempo? Gilmar até parece um aluno aplicado do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), e do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se esforçam para esconder que são políticos. Misericórdia!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Gazeta do Povo, em 18 de outubro de 1924.

Resumo dos Jornais