15/04/19 - 08:06:43

Levando no bico

Para conseguir o apoio do governador e dos prefeitos para a famigerada reforma da Previdência, o governo federal tem feito as mais mirabolantes promessas. O canto da sereia inclui desde robusto socorro financeiro, à execução de obras caríssimas, como o Canal de Xingó. Velho sonho dos sertanejos, este bilionário projeto não será concretizado, pois faltam vontade política e recursos. Na imensa lista de promessas também estão a conclusão da demorada duplicação de trecho sergipano da BR-101, obras de saneamento e o diabo a quatro. O Palácio do Planalto jura que os investimentos prometidos se concretizarão se a bancada federal sergipana votar favorável a tal reforma da Previdência. Todos sabem que a maioria das ofertas feitas por este governo militar dificilmente será honrada, porém é como diz o ditado popular: com banana e bolo se engana os tolos. Homem, vôte!

Pise no freio

O Tribunal de Contas de Sergipe não deve ter pressa em julgar o pedido de “desaponsentadoria” do conselheiro Flávio Conceição. Conforme publica o jornalista Gilvan Manoel no Jornal do Dia, juristas entendem que a ação contra o requerente ainda não transitou em julgado. Flávio foi punido com a gorda aposentadoria, após ter sido condenado sob a acusação de ter metido a mão grande em recursos públicos. O pedido de Conceição está sendo avaliado pelo conselheiro Carlos Alberto de Souza. Vixe!

Bom negócio

Criar e comandar um partido político é um excelente negócio neste Brasil de meu Deus. Prova disso são os 57 pedidos de registro de novas legendas protocolados na Justiça Eleitoral. O país já tem 34 siglas registradas, das quais 28 com assento no Congresso. Entre os futuros partidos estão os dos Animais, dos Indígenas, dos Afrobrasileiros e até dos Piratas. Cruz credo!

Viva a vida

Após a sanção do Estatuto da Criança e do Adolescente, há quase 29 anos, o Brasil conseguiu reduzir em 24% as mortes de crianças antes de um ano de idade. Estudo da Unicef mostra que a taxa passou de 50 para cada mil crianças nascidas vivas, no final da década de 1990, para 12 atualmente. O número se aproxima do previsto pela Organização Mundial de Saúde, que são 10 mortes para cada mil nascimentos. Que bom!

Entre nós

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, estará em Aracaju nesta terça-feira. Vem empossar o novo superintendente regional da PF no estado, Marcus Renato da Silva Lima, em substituição à delegada Erika Mialik Marena. A solenidade de posse está marcada para às 10h, no auditório do Tribunal de Contas de Sergipe.

Luto

Foi sepultado, ontem, em Aracaju o jornalista Fernando Fontes de Azevedo, 69 anos. Ele morreu em Fortaleza, onde estava internado após ter se submetido a transplante de fígado. Fernando, que era assessor de comunicação da Companhia de Saneamento de Sergipe, deixou viúva e seis filhos. Descanse em paz, amigo.

Chapéu alheio

E a ministra Damares Alves, aquela do “homem veste azul e mulher veste rosa”, veio a Sergipe fazer figura com o chapéu dos outros. A moça entregou a 25 conselhos tutelares carros, refrigeradores, bebedouros, computadores e impressoras. Os veículos e equipamentos entregues pela ministra foram adquiridos graças a emendas de deputados e senadores sergipanos. Marminino!

Aposta na saúde

A Secretaria da Saúde de São Cristóvão entregará aos moradores do povoado Colônia Miranda as instalações da Unidade Básica de Saúde. A nova UBS, instalada nas imediações da rodovia Zezinho da Everest, terá dois consultórios, recepção, banheiro e espaço para dispensa de medicamentos. Segundo a Secretaria da Saúde, a unidade estará cumprindo as normas sanitárias adequadas ao atendimento médico. Legal!

Agora vai!

E o deputado federal Valdevan Noventa (PSC) promete arregaça as mangas para que o prometido Hospital do Câncer de Sergipe se torne uma realidade. Para tanto, ele pretende se reunir com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e com o governador Belivaldo Chagas (PSD). Segundo Noventa, lá foram destinados mais de R$ 180 milhões e o hospital não saiu do papel: “Precisamos unir todas as forças para solucionarmos esse imbróglio”, diz. Então, tá!

Barra pesada

As mulheres trabalham, em média, 7,5 horas a mais que os homens por semana. Isso ocorre devido à dupla jornada, que inclui tarefas domésticas e trabalho remunerado. Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, a jornada média das mulheres é de 53,6 horas e a dos homens, de 46,1 horas. Em relação às atividades não remuneradas, a proporção se manteve quase inalterada ao longo de 20 anos: mais de 90% das mulheres declararam realizar atividades domésticas; os homens, em torno de 50%. Ufa!

Recorte de jornal

Publicado no jornal estanciano A Razão, em 29 de janeiro de 1911.

Resumo dos Jornais