07/05/19 - 00:01:13

Uma sucessão com confusão

Diógenes Brayner[email protected]

Partidos de oposição estão em absoluto silêncio sobre a sucessão municipal de Aracaju, mesmo que trabalhem discretamente. Ainda não se fixou um bloco oposicionista de estrutura firme. Alguns partidos demonstram que não estarão ao lado do Governo e, naturalmente, pretendem participar das eleições e ganhar a Prefeitura, com projeto bem definido de tentar o Palácio dos Despachos.

Talvez o interesse pela Prefeitura de Aracaju fosse menor caso o governador disputasse a reeleição. Não é o caso de Belivaldo Chagas que terá duas opções: sair em abril de 2022 para tentar o Senado, ou cumprir os quatro anos de Governo, com objetivo de eleger o sucessor, dentre aqueles candidatos que estejam inseridos na continuidade do seu projeto de Governo.

Edvaldo Nogueira, naturalmente, é o nome em evidência, porque tem candidatura certa à reeleição. E como tal vira foco de todas as especulações e uma ‘vidraça’ exposta para a oposição. Quer trocar de partido e a sigla que lhe surge é o PDT. Edvaldo não revela nada sobre a mudança, mas que já houve conversas e promessas de resposta positiva não se tem dúvida.

O xis da questão continua sendo o PT. A disputa pela Prefeitura aguça-lhe os olhos, com o projeto de “reviver os caminhos de Marcelo Déda”. Lógico que um bloco robusto deseja a trilha já traçada, mas um grupo que prefere uma discussão mais adiante, tenta moderar a impetuosidade dos mais radicais. Entretanto, os militantes acham que uma sigla com a história do PT não pode ser coadjuvante.

O bloco que apoia a unidade do bloco pode se preparar para trabalhar muito no sentido de mantê-lo coeso. Será quase impossível. Petistas não votam em Edvaldo. O próprio Rogério Carvalho desconfia que não teve dele (EN) para o Senado, além do tratamento com certa indiferença que o prefeito dispensa ao PT. A incógnita é como ficará, porque a legenda não dará apoio à reeleição, mas não pretende se desligar da aliança que elegeu Belivaldo Chagas ao Governo.

Dá para se ver que não será fácil… Para ninguém.

Clóvis Barbosa é citado

O relator da ação que pede a anulação da aposentadoria do ex-conselheiro Flávio Conceição, conselheiro Carlos Alberto Sobral, citou ontem o conselheiro Clóvis Barbosa, dando-lhe o prazo de 15 dias para ele apresentar sua defesa.

*** Depois desses 15 dias, o relator dará o seu parecer, quando será marcada a data de julgamento pelo pleno da Corte de Contas, da anulação da aposentadoria de Flávio.

Em primeira mão

O senador suplente Ricardo Franco (foto) agiu em silêncio e filiou-se em um novo partido: o PSC, presidido em Sergipe pelo ex-deputado federal André Moura. Ricardo assinou a ficha de filiação ontem pela manhã, ao lado do pai, ex-governador Albano Franco.

*** As conversas vinham acontecendo, mas só depois de um almoço ocorrido sábado foi que se bateu o martelo.

Há riscos de cisões

Partidos políticos que integram o bloco do Governo estão acompanhando atentamente a movimentação em torno do lançamento de candidaturas à Prefeitura de Aracaju. Todos acham que seja legítimo, mas deixam claro que há riscos de cisões.

*** O Governo também está atento à conversas de setores do Partido dos Trabalhadores com membros do PSB. A legenda, liderada pelo deputado federal Valadares Filho, está fora do radar para qualquer aliança política com o governo, visando às eleições de 2020.

Rogério responde a JB

O senador Rogério Carvalho (foto), do PT, respondeu ontem a Jackson Barreto (MDB), que teria dito: “partido que fizer política de isolamento terminará isolado e não tem nenhuma importância”, falou durante entrevista à Narciso Machado, da Fan.

*** Jackson representa o partido dele. “O PT tem total liberdade para fazer o que deve e precisamos estar posicionados de acordo com os anseios da população”, disse Rogério.

População entenderá

Segundo Rogério, se o PT quer caminhar sozinho haverá  justificativas consistentes para isso e a população entenderá.  “Somos um partido que sempre defendeu aliança e o primeiro a dar apoio a Edvaldo Nogueira, em 2006”.

*** “Demos apoio a Jackson em 2014. Então, ainda não há definições. Deixa Edvaldo trabalhar”. Ressaltou “que a fala de Jackson é importante pelo que ele representa, mas não para os rumos do PT”.

Heleno teria conversa

O ex-deputado federal Heleno Silva (foto) teria uma conversa ontem com liderança da base aliada ao Governo, sobre a sucessão municipal de Aracaju. Falaria sobre apoio à candidatura de Edvaldo Nogueira à sucessão.

*** A conversa não se deu. Heleno Silva teve que viajar a Brasília porque o PRB fez convenção nacional ontem e trocou de nome. Agora é “Republicano”. O novo partido também inaugurou a Faculdade Republicana.

Reconhece lealdade

O deputado Fábio Mitidieri (PSD) agradeceu a Rogério Carvalho “pelo reconhecimento à nossa lealdade”. E mais: “quem apostar contra a manutenção da nossa união pode quebrar a cara”.

*** Fábio Mitidieri acrescentou que quanto ao PSD, “somos gratos a todos os partidos do grupamento. Nossa vitória foi do grupo”.

Reunião de governadores

Belivaldo Chagas (foto) participa amanhã em Brasília de reunião de governadores com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Objetivo: tentar impedir que estados e municípios sejam retirados do texto inicial da reforma da Previdência.

*** Se ocorrer a exclusão, as regras implementadas na PEC 6/2019 serão válidas só para servidores federais, cabendo às câmaras municipais e às assembleias legislativas a regulamentação de seus próprios projetos.

Haverá outras conversas

O secretário geral do Governo, José Carlos Felizola, acompanha Belivaldo Chagas a Brasília e deve procurar o ex-deputado Heleno Silva para a conversa que haviam marcado para segunda-feira.

*** É provável que haja encontro do governador com a bancada federal para algumas definições políticas e decisões até sobre indicação de nomes para ocupar órgãos federais em Sergipe.

Prefeitura de Itabaiana

Comentários políticos em Itabaiana elevam o nome do ex-senador Eduardo Amorim (PSDB) como o candidato à sucessão municipal indicado pelo prefeito Valmir de Francisquinho. O vice seria Adailton Souza.

Garibaldi e sua posição

O deputado estadual Garibaldi Mendonça (MDB) disse ontem que a partir de agora vai pensar mais no que for melhor para ele politicamente. Vai analisar a questão da legenda e pode até permanecer no MDB se ainda lhe servir.

País já perdeu este ano

O deputado estadual Zezinho Guimarães (foto), do MDB, acha que o Brasil já perdeu todo o ano de 2019. Além disso, os Estados, inclusive Sergipe, passam por graves problemas estruturais e técnicos para empreender o crescimento e a sua recuperação.

*** Zezinho está decidido a deixar o MDB e já recebeu convites do PDT, PT, PSC e do Republicano, mas ainda não tem uma definição. Diz que é aliado do Governo, tem compromissos com ele, mas ‘fico até quando ele quiser”.

Nada de definições

O empresário Milton Andrade disse, ontem, que não há definições do seu grupo quanto à candidaturas municipais. Mas alertou: “uma coisa é certa: quem esperar que a vereadora Emília Correia seja candidata a vice, pode tirar o cavalinho da chuva”.

*** Segundo Milton, Emília será candidata à prefeita ou à reeleição e ‘eu só serei candidato se for a prefeito, mas caso não o seja estarei bem envolvido na campanha’.

Almeida é candidato

O ex-senador Almeida Lima já está decidido: deixará o MDB e vai disputar a Prefeitura de Aracaju. Vem conversando com lideranças políticas, mas ainda não definiu por qual partido. Almeida viaja hoje a Brasília e trata sobre o assunto.

Estudantes nas ruas

Márcio Macedo diz que os estudantes repudiaram a fala de Bolsonaro e lutaram contra o desmonte das universidades federais. “Quero afirmar o meu compromisso nesta luta. Como educador estarei ao lado dos estudantes hoje, amanhã e sempre!

Dos grupos sociais

///Buffet de luxo – A juíza Solange Salgado, de Brasília, suspendeu a contratação de um buffet de luxo pelo Supremo orçado em R$ 481,7 mil, em ação movida pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

*** a juíza considerou o gasto desproporcional e com potencial de ferir a moralidade administrativa. O edital da licitação previa gastos de até R$ 1,1 milhão pelo serviço, que incluía pratos finos e bebidas como uísque, gin, vodca e vinhos premiados.

///Mudança de estilo – “Não faz muito tempo e as greves de estudantes universitários eram respeitadas e resolvia dificuldades impostas até mesmo pela ditadura. Era um movimento sério e que era levado discutido com respeito, apesar de ações violentas contra estudantes.

*** Os movimento de hoje são de exibição sexual: um grupo tira a roupa, outro faz sexo entre parceiros e quebram as salas de aula. A reivindicação vira uma suruba…

*** Atenção: nada disso pode estar ocorrendo, apenas algumas exibições de fakes news, mas é preciso que se encontre a melhor forma de contestar contra a tentativa de implantar um sistema de direita radical

///Sem perder a fé – O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, defendeu ontem que as empresas brasileiras contratem pessoas que cumprem pena ou que deixaram o sistema prisional.

*** “Nunca podemos perder a fé e a esperança de que as pessoas podem se redimir. E uma das melhores maneiras é dar uma oportunidade para estas pessoas”, disse o ministro durante a cerimônia de entrega do Selo Resgata a 198 empresas de 15 Estados.

Bate papo

Saúde do Regime – Carlos Ayres Britto: Não entende de saúde do regime democrático quem lhe prescreve regime de emagrecimento.

Juventude transforma – Rogério Carvalho diz que alegria e força dos jovens também nos ajudaram a chegar até aqui. Meu apoio à vocês que lutam pela Educação.

Voo direto – Os parlamentares continuam com dificuldade de chegar a Brasília por falta de voo direto. Tornou-se um problema.

Em silêncio – Edivaldo Nogueira continua em silêncio sobre sucessão municipal. Mais ainda sobre a troca de partido. Não toca no assunto.

Inspeção técnica – Amese quer inspeção técnica em seis quartéis da Polícia Militar que se encontram em estado crítico de conservação.

Reduziu ímpeto – A oposição na Assembleia Legislativa reduziu o ímpeto e está em silêncio. Deve se agitar quando houver projetos a votar.

Deu pausa – O deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) trabalha sua candidatura a prefeito de Aracaju, mas deu uma pausa na mobilidade.

Pedir perdão – A política de educar jovens está se exaurindo. Cresce a política de armar a comunidade. Quem votou em Bolsonaro tem que pedir perdão.

Disputa eleitoral – Político experiente disse ontem que quem conhece os Valadares, jamais eles serão candidatos a vice em alguma disputa eleitoral.