17/05/19 - 00:04:33

Mudanças de legendas agitam

Diógenes Brayner[email protected]

Há um movimento claro, provocado por políticos, para troca de partido. Muita gente está preocupada em fazer isso agora – já em 2020 – para se acomodar na disputa do pleito de 2022. Há um êxodo em direção a legendas que dêem apoio ao Governo. Pelo menos dois deputados chegaram a conversar para formar um bloco entre aqueles que ficarão sem partido, para fazer exigências em relação à posição dentro de uma nova sigla que venha a ocupar.

A insatisfação de segmentos de cada partido que pretendem migrar para outro lugar, vem das ações de direções regionais – e também nacionais – que estão procurando se fortalecer para ditar normas sem consultar a ninguém. Todos deixam claro que querem ser ouvidos e não pretendem ficar à margem das decisões. O quadro sucessório que se vislumbra também motiva essa reviravolta que altera bancadas partidárias, mas não muda a posição de apoio ao Governo.

O presidente de um partido político disse, ontem, que se detecta divergências em razão da redução do diálogo da cúpula com as bases partidárias. Além disso, o pessoal sente falta de uma orientação política preventiva, que se volte para as eleições estaduais de 2022, quando não se fará mais coligações. Para quem não participa do pleito de 2020, mesmo que seja obrigado a atuar para eleger aliados, corpo e mente se voltam para as eleições que cada um vai disputar.

Segundo ainda o político que comanda um partido em Sergipe, a partir do segundo semestre as mudanças vão acontecer e podem fortalecer siglas que antes estavam sem grande representação, assim como enfraquecer outras que no momento estão na crista da onda. E isso vai acontecer porque alguns prefeitos também pretendem experimentar outras entidades políticas, que estejam em condições de influenciar em favor dos seus municípios e das reeleições.

Muita coisa vai acontecer e pode mudar um cenário que no momento não incentiva nenhum desses líderes políticos a expor tendências que assegurem um futuro próspero.

Sobre recursos da Educação

O governador Belivaldo Chagas entregou carta ao presidente Bolsonaro pedindo que ele

Fizesse uma revisão na decisão de mexer com os recursos das Universidades Federais, que está criando uma onda de protestos no País.

*** Para Belivaldo, “temos que ter coragem de ser a favor quando é bom e ser contra quando não serve”.

Faz dever de casa

Belivaldo disse que “estamos fazendo gestão”. Acredita que essa é a única maneira de avançar. No ano passado, tinha-se previsão horrível com relação à Economia. Ainda não se tem uma situação de tranquilidade, “mas estamos fazendo o dever de casa”.

*** E anunciou: “estamos trabalhando com responsabilidade”.

Quê País é este?

Em seu blog, o ex-senador Valadares (foto), do PSB, critica o presidente Bolsonaro: “corta as verbas da educação, sem nenhum aviso, sem nenhuma consideração, e, mesmo assim, comete o desplante de chamar de idiotas úteis manifestantes que clamam por mais recursos e por um ensino de qualidade”.

*** Valadares pergunta: “quê país é este? Foi por essa democracia intolerante que o eleitor brasileiro deu seu voto?”.

Reforma urgente

O deputado estadual Zezinho Guimarães (foto), do MDB, disse ontem que enquanto não se fizer a reforma da Previdência em Sergipe tudo continuará em dificuldade. Ela é emergente e independe do Governo Federal.

*** Alertou que quando o Congresso aprovar o projeto de reforma de Bolsonaro, não vai se preocupar com a previdência nos Estados.

Virose superlota hospital

Uma virose que vem com vômitos e dores no corpo está atacando em Aracaju. Ontem, o Hospital São Lucas estava com sua urgência superlotada e com outras pessoas esperando vaga para serem atendidas. Um horror…

*** O Hospital Primavera também está com urgência cheia e muita gente esperando vaga. É esse o período que esse tipo de virose ataca, disse um médico.

Juiz é de Itabaiana

Artigo do médico Antônio Samarone (foto) – Dr. Itabaiana – provocou mais de 100 consultas via WhatsApp, perguntando se esse sobrenome (Itabaiana) tem relação com a cidade sergipana.

*** O nome do juiz é Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau e foi ele que determinou a quebra do sigilo bancário do filho do presidente Jair Bolsonaro!

*** Samarone continua pesquisando, mas já constatou que o “Itabaiana” vem realmente da cidade sergipana e que havia ganhado um “y” (Itabayana), mas depois retomou o “i” normal.

Prisão esportiva

Da atriz Regina Duarte, nas redes sociais: “Na pesca esportiva, você fisga o peixe, tira foto e depois solta. O Brasil inventou a prisão esportiva: A polícia prende, a imprensa tira fotos e o STF solta”.

*** Mas isso com políticos corruptos do mais alto escalão. Exatamente para aqueles que indicaram os tais ministros. Um vergonha…

Gualberto defende base

O deputado Francisco Gualberto (PT) mandou ontem um recado: “não vai jogar em time que provoca a divisão do grupo político em que está”.

*** Gualberto disse ainda que são conhecidas as tendências que há em seu partido e as discussões são livres. E bateu o martelo: “não vou fazer parte do novo que já nasce vovô”, decretou.

Troca de legendas

Pelo menos sete deputados pensam em deixar os partidos pelos quais foram eleitos: Garibaldi Mendonça e Zezinho Guimarães (do MDB), Luciano Pimentel (do PSB), Gilmar Carvalho e Capitão Samuel (foto), do PSC, Francisco Gualberto (do PT), Gorete Reis (do PSD).

*** Partidos cotados para receber esses parlamentares: PDT, PR, DEM, PP e PSD. As conversas já existem, mas falta bater o martelo.

Sobre ser o vice

O deputado Fábio Mitidieri (PSD) disse que nunca tratou com Edvaldo Nogueira, sobre candidatura a vice-prefeito de Aracaju: “Somos aliados incondicionais. Essa questão não me preocupa agora”.
*** Sobre o Brasil, Mitidieri acha que o país enfrenta clima tenso pelas crises internas do Governo e pela expectativa em torno da aprovação da reforma da previdência.

Sobre a Codevasf

Mitidieri informou que o nome indicado para a Codevasf em Sergipe foi o de Valmor Barbosa (foto), mas nada foi confirmado ainda pelo Governo Federal: “em nenhum Estado as nomeações aconteceram ainda”, disse.

*** De Brasília chegou à informação que a situação de Valmor Barbosa ficou complicada para a Codevasf, em razão de ele ter servido a gestões petistas ou que

votaram contra Bolsonaro.

Evânio lança livro

O jurista Evânio Moura (foto) lançou ontem o livro “Corrupção Eleitoral – Princípio da Proporcionalidade e Proteção Jurídica Insuficiente”. Aconteceu na Faculdade de Direito 8 de Julho, localizada na Coroa do Meio.

*** Aconteceu a partir das 19 horas, com a presença de políticos, membros do judiciário e colegas. Foi uma movimentada noite de autógrafos. O livro tem o carimbo da Juruá Editora, de Curitiba.

Iggor muda de legenda

O prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, já está articulando a sua saída do PSC para filiar-se ao PSD do governador Belivaldo Chagas. Desde o segundo turno das eleições estaduais que Iggor apoiou a candidatura de Belivaldo. Ele é candidato à reeleição daquele município.

Dos grupos sociais

///Segundo dados de pesquisa – Maior parte dos estudantes das universidades federais, 70,2%, é de baixa renda, de acordo com pesquisa apresentada ontem pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). Esses estudantes são de famílias com renda mensal de até 1,5 salário mínimo per capita.

*** Os dados são da quinta edição da Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação, apresentada hoje (16) pela Andifes. O estudo mostra que o percentual de estudantes nessa faixa de renda era, em 2003, 42,8%.

Bolsonaro critica imprensa – O presidente Jair Bolsonaro, que está em viagem nos Estados Unidos, criticou a imprensa ontem e atacou uma repórter da Folha após ser questionado sobre a onda de protestos contra o governo devido ao contingenciamento do orçamento de universidades.

*** A jornalista da Folha questionou Bolsonaro a partir de uma fala do presidente em que diz que “entre as 250 melhores universidades do mundo não tem nenhuma brasileira”.

*** A repórter perguntou: “É cortando verba da educação que alguma universidade brasileira vai chegar…”. Bolsonaro a interrompeu e disse: “O corte de verbas, você tem que entender que não é maldade, não tem dinheiro, então contingenciamento, que é a palavra certa”. Ela rebateu: “Contingenciamento é corte, presidente”.

*** Dirceu volta à prisão – A Quarta Seção do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou ontem recurso do ex-ministro José Dirceu, que buscava a reversão de sua segunda condenação na Operação Lava Jato, e determinou que ele comece de imediato a cumprir a pena de 8 anos e 10 meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

*** Ao final do julgamento, foi determinada a notificação à 13ª Vara Federal de Curitiba para que providencie a prisão de Dirceu, tendo como base o entendimento atual do Supremo que permite o cumprimento de pena após o fim da tramitação do processo na segunda instância

Um bom bate papo

Energia do bem – Do ex-ministro Carlos Ayres de Britto: Se tudo é energia (Einstein), a mais limpa de todas é a do bem. A mais limpa, inesgotável e totalmente de graça

De Clovis Silveira – O segredo para ser feliz é aceitar o lugar onde você está hoje na vida, e dar o melhor de si todos os dias!

Formariam bloco – Surgiu a informação de que os deputados que vão deixar seus partidos na Assembleia, fariam um bloco para filiação em uma única sigla.

Engrossar fileiras – O DEM pode levar pelo menos dois parlamentares para engrossar suas fileiras em Sergipe. As conversas andam…

Cem anos – Albano Franco esteve em Brasília e participou no Congresso de solenidade dos 100 anos do Jornal do Comércio, de propriedade de João Carlos Paes Mendonça.

Ainda sem dinheiro – Tudo caminha para que haja o Forró Caju em Aracaju, embora o dinheiro ainda não esteja garantido. Edvaldo só fará com essa grana.

Receber cachês – Os artistas locais devem lutar para receber seus cachês nos shows do Forró Caju antes de suas apresentações. Fica difícil receber depois.

Medida passa – Decreto assinado por Bolsonaro retira a autonomia de reitores de universidades. A medida passa a valer em 25 de junho.

Agitou a massa – O presidente Jair Bolsonaro precisa rever conceito e oferecer segurança. Com o corte na Educação agitou a massa contra ele.