01/06/19 - 08:55:42

Em Brasília, governo de Sergipe discute novo cenário do gás natural

Membros da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia estiveram com representantes de mais seis estados em reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil

O gás natural desponta em Sergipe como uma das mais promissoras oportunidades para o desenvolvimento do estado nos próximos anos. Entendendo a importância deste combustível, o governo do Estado, por meio do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, e do assessor técnico Marcelo Menezes, esteve nesta quinta-feira (30), em Brasília, para uma reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil.

O Comitê foi criado pelo governo federal para apresentar soluções à abertura do mercado de gás natural. Além de Sergipe, também foram convidados representantes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Pernambuco, com o intuito de discutir alternativas para o desenvolvimento do setor, sugerindo propostas que destravem pendências entre os Estados e a União com relação à comercialização do energético.

Durante a reunião, os representantes de Sergipe lembraram aos presentes sobre as recentes descobertas em águas profundas e o quanto isso representará para o estado. “Está prevista a entrada em operação, a partir de 2023, de poços dos blocos exploratórios em águas profundas operados pela Petrobras, destacando-se os de Moita Bonita, Barra e Farfan, blocos oriundos da 6ª Rodada de Licitações, que representarão um marco para o desenvolvimento do estado”, disse o secretário José Augusto Carvalho.

Ele destacou ainda a movimentação que está sendo realizada pelo governo de Sergipe para atrair empresas que venham a consumir esse gás no próprio estado. “Estamos muito interessados em participar desse novo mercado do gás, e dispostos a criar mecanismos que atraiam empresas para se instalarem em áreas próximas à Unidade de Processamento de Gás Natural a ser implantada pela Petrobras. Teríamos um gás com custo de produção mais baixo, já que a distância dos campos para o litoral é bem menor que em Campos/RJ e Santos/SP, por exemplo”, completou o secretário.

Os representantes do ministério ficaram entusiasmados com os encaminhamentos que estão sendo adotados pelo governo de Sergipe acerca do tema. Estiveram presentes na reunião o secretário executivo adjunto do Ministério de Minas e Energia, Bruno Eustáquio de Carvalho; o coordenador-geral de Infraestrutura de Gás Natural da Secretaria de Petróleo e Gás Natural, Aldo Barroso Cores Júnior; e o subsecretário de Energia, do MInistério da Economia, Leandro Caixeta Moreira.

Visita à Abrace

Além da reunião na Secretaria de Petróleo e Gás, os representantes de Sergipe aproveitaram a oportunidade para fazer uma visita à Associação dos Grandes Consumidores de Energia e Consumidores Livres (Abrace), que é uma das associações mais antigas do setor elétrico e que advoga pelos consumidores e pela importância da energia para o desenvolvimento do setor produtivo no Brasil.

A associação reúne mais de 50 grupos empresariais responsáveis por quase 40% do consumo de energia elétrica do Brasil e 42% do consumo de gás natural, em  mais de 800 unidades de consumo mapeadas em 25 estados brasileiros. A associação conta com a presença de diversos setores industriais como mineração, siderurgia, alumínio, petroquímica, papel e celulose, vidros, cloro-soda, têxtil, automobilístico, alimentício, gases industriais, ferro-ligas e cimento, entre outros.

“A visita à Abrace teve como objetivo estreitar as relações entre Sergipe e esta instituição tão importante no cenário de energia e gás natural do país”, explica o assessor técnico Marcelo Menezes. Acompanharam a visita o diretor técnico da ABRACE, Felipe Soares, e o coordenador de gás natural, Adrianno Lorenzo.

Fonte e foto assessoria