13/06/19 - 16:34:25

Inverta e apareça! No braziU, em se plantando, tudo dá…

[Por David Leite*]

Sonhei o País ao inverso, tudo ao contrário do publicado no noticiário planetário: Sérgio Moro, flagrado em conluio com a defesa de Lula da Silva para libertar o bandido petista, perde o posto de mito e The Intercept Brazil divulga o escândalo que compromete a imparcialidade da Justiça!

O PT, mobilizando as ruas, faz alarde e duras críticas ao vazamento, tudo para denunciar o “crime do hacker” e desqualificar o conteúdo divulgado, além de transformar o jornalista que divulgou o material em inimigo da esquerda mundial e do povo brasileiro – “Que não pise as sandálias com as cores do arco-íris na Venezuela”. Até oração para proteger Sérgio Moro a manada petista distribui na internet.

Já os bolsonaristas, indignados com o teor “altamente bombástico dos diálogos”, e ignorando o vazamento – “Normal, a Lava Jato era uma usina furada, mesmo; eles agora provam do próprio veneno” –, querem pregar o ex-juiz na cruz, já que passou a ser considerado persona non grata, e iniciam una campanha no braziU e na Hungria para condecorar Glenn Greenwald com a Ordem do Mérito Nacional, “pelos relevantes serviços prestados ao combate à corrupção da Justiça e do aparelhamento do Poder Judiciário para fins políticos”.

Nos meios de comunicação, blogs e redes sociais da internet, os sinais também estavam trocados. Quem antes elogiava, passou a criticar – e vice-versa! Centenas de comentaristas, analistas e punguistas querem dar pitaco. Uns, de cara cheia da “marvada”, ajoelham-se diante de fotos de Sérgio Moro e beijam o chão em homenagem ao herói, enquanto outros maldizem os Justiceiros da Justiça, que locupletada com o cinismo e a falta de vergonha, queimam o braziU lá fora.

Longe do meu pesadelo, é assim o mundo da pós-verdade! O que vale é torcer com emoção, sem medo de errar. O coração dita as regras e só ele deve ser levado em conta. Os fatos, as implicações legais e políticas, o risco à democracia e à institucionalidade, nada disso importa. É coisa de gente elitista. O povo quer sangue, sem suor e lágrimas. O que importa mesmo é detonar o inimigo e mostrar que se defende o “lado certo” – o lado certo conforme eu acho certo que seja certo e que se confirma no que leio, ouço e vejo, claro! E viva a irracionalidade.

Inda bem que tudo era apenas um sonho…

(*) É Marquetólogo.