01/10/19 - 10:50:38

Vereador denuncia precarização da saúde pública do município de Neópolis

Em reunião ordinária do conselho municipal de saúde, realizada no dia 23 de Agosto, o Vereador Professor Clébson (PMN), denunciou diversos problemas encontrados na secretaria de saúde, entre eles, um grave problema que se arrasta há aproximadamente um ano, as enormes filas para marcação de exames básicos, que deveriam ser ofertados obrigatoriamente pelo município.

Isto resulta num caos que parece não ter fim, as pessoas vão à secretaria de saúde, desde as duas horas da manha em busca de uma marcação que não acontece, da ultima vez, foram aproximadamente 80 pessoas que não conseguiram marcar um simples hemograma. Segundo a secretaria de saúde, Maria Jairlene Cardoso, em sua fala, transmite uma mensagem enviada pelo gestor interino Célio Lemos, e registrada na ultima reunião do conselho de saúde, onde afirma: “a maquina encontra-se quebrada e sem previsão de conserto ou substituição até o final deste ano 2019”. O custo médio de uma maquina com capacidade para fazer 280 exames por dia custa em média, de R$ 8.000,00 a R$ 12.000,00 mil reais mês, em regime de comodato, reitera a secretária. O vereador argumentou: “não tem dinheiro pra pagar um comodato que vai resolver um problema grave do município, e atender centena de usuários, mas tem pra pagar os mais de 80 cargos comissionados (CCs) lotados na secretaria de Saúde”? “Não tem dinheiro pra fazer um comodato e fazer um exame que custa R$ 4,50, mas gasta R$ 50,00 reais de gasolina pra transportar o mesmo paciente até a cidade vizinha de Propriá para realizar o mesmo exame?”… “Não tem matemática que feche essa conta, chega ser vergonhoso!”

Os pacientes que conseguem as marcações são agendados nas cotas do SUS que são limitadas, já a maioria da população sem alternativa. “Faremos o possível pra trazer de volta a dignidade do nosso povo, nosso povo não merece esse descaso, essa falta de respeito, é vergonhoso, iremos até a ultima instancia se for necessário”, afirmou o Vereador indignado com a situação. O presidente do conselho de saúde Tiago Felix e demais membros, afirmaram que há vários meses vem cobrando providencias e nada foi feito, segundo o conselho municipal de saúde, na reunião ordinária do dia 23/09/2019 nenhum plano “B” foi apresentado pra resolver o problema que afeta a população mais carente do município, que pagam seus impostos em dia e tem seus direitos assegurados no Art. 196 da constituição onde diz: “saúde é direito de todos e dever do Estado”.

Prefeito interino

O atual gestor Célio Lemos alega ser interino e não ter como intervir para resolver, nem esse grave problema, nem outros como é o caso da não implementação do PISO salaria dos Agentes Comunitários, onde o município recebeu de janeiro até agosto o montante de R$ 473.750,00 oriundo de recurso federal conforme disponível em (https://consultafns.saude.gov.br/#/detalhada/acao/pagamento). O vereador realizou uma coleta de assinaturas para encaminhar aos demais órgão competentes e responsáveis pela devida fiscalização dos gastos públicos.

Foto Ed Souza

Fonte assessoria Vereador Professor Clebson.