18/10/19 - 09:32:08

Governo Bolsonaro: acertos na Economia do País e uma “tragédia” na Política! 

A “síndrome” do “chegou para resolver” não persegue apenas o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), mas também o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Quem votou e quem não votou nele já sabia que teríamos uma gestão “polêmica” no comando do País. A população já não suportava os modelos ultrapassados de alguns partidos de “centro” (leia MDB) e criou repulsa aos “esquemas de corrupção” que foram denunciados durante os governos do PSDB e do Partido dos Trabalhadores (leia FHC, Lula e Dilma).

Em 2018, “devastado” com tanta roubalheira o brasileiro se viu diante de dois modelos, que se postavam com mais chances de vencer a eleição: de um lado o petista “pão com ovo” Fernando Haddad, que não venceu nem a reeleição para prefeito de São Paulo (SP) em 2016 e que, mesmo com a votação na disputa presidencial, não “cola” como liderança. Representa mais do mesmo, ou melhor, representa os governos do PT que, após 14 anos e praticamente destruir a Petrobras (um patrimônio do povo brasileiro), ainda juram que podem recolocar o País na “rota do crescimento”…

Do outro lado havia exatamente o extremo! Jair Bolsonaro apresentou-se como o representante da extrema direita, um militar reformado que estava pronto para resolver os problemas do País, que iria impor seus métodos em todos os setores do governo e que seria acompanhado pelos mais diversos segmentos sociais. Fez uma campanha focada no rigor excessivo no combate à corrupção, ou seja, “vendeu” exatamente aquilo que boa parte da população brasileira esperava de um candidato à presidência. E, justiça seja feita, os escândalos de corrupção “desabaram” de janeiro para cá…

Mas para ser presidente do Brasil, de um País com dimensões territoriais absurdas, rico em sua diversidade cultural, com visões e condições de vida distintas na mais variadas regiões, era necessário que Bolsonaro foi muito mais além. É inaceitável, por exemplo, a ingerência direta de seus filhos na direção do governo. Eles até poderiam contribuir, mas comandar uma Nação como a nossa é muito mais que um “negócio de família”! Daí em diante o que se tem visto na “cúpula presidencial” é um “show de trapalhadas”. Até quando está certo, o presidente se comunica mal…

Dentro de suas promessas de campanha, ele teve coragem e cumpriu o prometido: impulsionou ainda mais as redes sociais e “destruiu” o que chamamos de “monopólio da informação” que foi construído pela Rede Globo, Grupo Folha e outros. Bolsonaro assumiu todos os riscos de ter boa parte da “imprensa” contra seu governo, fiscalizando e cobrando diariamente, a cada passo, procurando um só ato falho. Quando erra, delicia a mídia, a Esquerda, a militância e as entidades sindicais; quando acerta põe para funcionar o que tem de melhor: seu “exército nas redes sociais”…

Mas em 10 meses de governo, pode-se dizer que Bolsonaro tem acertado, do ponto de vista econômico, retomando a expectativa de crescimento do País, gerando mais empregos com carteira assinada, aquecendo a economia liberando o FGTS dos trabalhadores, anunciando investimentos diversos nos Estados; por sua vez, agora falando do ponto de vista político, depois dos conflitos com um “Congresso viciado”, agora o “incêndio” no PSL externam a falta de habilidade, falta de “traquejo” com determinadas situações. Nesse caso não são os “filhos” que devem defender o “pai”, mas os líderes que precisam “blindar” o governo. É completamente diferente…

Veja essa!

O secretário-chefe da Casa Civil do governo do Estado, José Carlos Felizola, em entrevista ao radialista Narciso Machado, na FAN FM, responsabilizou o ex-governador e ex-senador Valadares (PSB) pelo déficit na Previdência do Estado, acusando o socialista de promover um “trem da alegria”, efetivando funcionários públicos sem concurso antes de promulgar a Constituição de 1988.

E essa!

“Em 1988 e 1989, o estado quadruplicou o número de funcionários. Após esse fato, todas as gestões tiveram dificuldades e o déficit veio crescendo vertiginosamente. O estado não culpa os servidores, mas sim o Governo de Valadares, que inchou a folha de pagamento. Ele foi o grande responsável pela forma como aumentou o valor da folha de pagamento”, afirmou Felizola.

Vagões cheios

Ao relembrar o “trem da alegria”, Felizola ironizou: “foram alguns vagões cheios de gente”, disse em tom provocativo. “Não estamos reclamando, apenas fazendo uma constatação de um fato histórico”, assegurou. O secretário entrou no assunto após um ouvinte ter dito que o governo parece culpar os funcionários públicos pela crise financeira.

Até Belivaldo!

Na manhã dessa sexta-feira (18), a FAN FM reproduziu o discurso do governador Belivaldo Chagas, em uma solenidade ontem, quando também responsabilizou os “trens da alegria” da década de 80. Ele pontuou as dificuldades com a Previdência diante dos servidores que estão se aposentando agora.

Valadares I

Por sua vez, o ex-senador Valadares respondeu aos ataques de Felizola dizendo que “fui acusado pelo genro do governador e chefe da Casa Civil de ter sido o único causador da crise financeira que atravessa o Estado. Pura invencionice na tentativa de desviar o foco do retumbante fracasso do governo, que não encontra saídas para a crise e atira para todos os lados, sem se importar com balas perdidas que podem atingir a quem não merece nem tem culpa no cartório”.

Valadares II

Em seguida, Valadares pontuou que fez um governo “austero e realizador”, que não houve “trem de alegria” e nem nomeações em massa. “Belivaldo foi auxiliar de meu governo e sabe que tudo isso não passa de uma grande mentira. Declaro que essa conversa não passa de mais uma fake news espalhada por alguém que deveria ter a mínima responsabilidade pelo elevado cargo que ocupa, e, por isso, por sua postura, está mostrando que é Chefe da Casa Civil porque tem a vantagem de ser genro do governador”.

Procuram culpados

Valadares disse ainda que Belivaldo está “enrolado nas promessas demagógicas” que fez ao povo na campanha de 2018, sentindo-se incapaz de cumpri-las e vendo no horizonte o fracasso de uma gestão, que “chegou pra resolver”.  “Agora procura culpados e manda o seu genro atacar-me em emissora de rádio, colocando em meus ombros as dificuldades hoje vivenciadas pelo Estado. Veja se tem cabimento uma desculpa desse tipo: fui governador há quase 30 anos, e me acusam de ser o responsável pelo que hoje passa o Estado”.

Fake News

Valadares pontuou que a afirmação de que ele quadruplicou o número de funcionários, em 1988 e 1989, não procede e representa um “erro clamoroso”, uma “acusação falsa”. “Formado em Direito, Felizola devia saber que naqueles dois anos citados, a nova Constituição proibia qualquer nomeação sem concurso. E, pela gravidade se por acaso o fizesse, eu poderia ter perdido até o meu mandato, como, aliás, está sendo cassado o governador Belivaldo, embora que por outro motivo, por decisão da Justiça Eleitoral, por uso abusivo da máquina pra ganhar as eleições”.

Galeguinho no vagão I

Valadares sugeriu “cautela” ao governador e ao genro quando falar em “trem da alegria”, porque foi justamente num período anterior ao seu governo, “cujo titular, infelizmente, neste momento não pode responder por motivo de doença, que Belivaldo foi nomeado defensor público sem concurso, em meio acusações pejorativas de adversários de que chegara ao cargo dentro de uma lista do propalado trem de alegria que surgira na época”.

Galeguinho no vagão II

O ex-senador pelo PSB pontuou que “nomeado (assumo que eu pedi a sua nomeação – a CF permitia), em 30 anos como defensor público Belivaldo nunca escreveu uma petição em defesa dos hipossuficientes, mas, no entanto,  se aposentou com todos os direitos conferidos aos que exercem efetivamente a profissão. Da época em que governei o Estado, até a presente data já se passaram quase 30 anos, e, pelo menos, cinco governadores. Eu tive apenas um mandato de quatro anos. Não posso me recolher ao silêncio diante de acusação tão injusta e descabida”.

Avaliação da coluna

A divergência política entre o governador e o ex-senador é natural e, quando dois não se entendem mais, podem seguir em caminhos opostos, mas não pega bem junto à sociedade esse tipo de ataques, ainda mais quando Belivaldo foi “cria” de Valadares. Querer culpar a crise financeira atual em atos da década de 80 soa para o povo e para este colunista como “ingratidão”…

Trem da Alegria I

E se houve a formação de “trem da alegria” àquela época, como perguntar não ofende, por que só agora Belivaldo e Felizola resolveram se manifestar, quase 30 anos depois? E, pelo o que diz Valadares, e até pelas declarações do governador, os “vagões” teriam sido preenchidos na década de 80, mas não foi só Valadares quem governou Sergipe naquele período.

Trem da Alegria II

Este colunista lembra que “na década de 80” foram governadores de Sergipe Augusto Franco, Djenal Queiroz, João Alves Filho e Antônio Carlos Valadares. É preciso ter cuidado com determinadas declarações porque, na ânsia de agredir alguém, outras pessoas também podem sair “feridas” neste processo. E quem “chegou para resolver” tem que responder ao povo com ações e resultados e não “atirando em adversários”…

Ilha das Flores I

Em reunião no gabinete do conselheiro Carlos Alberto Sobral, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) apresentaram denúncias de irregularidades no Instituto de Previdência de Ilha das Flores (Iprev). Conforme os sindicalistas, apesar de efetuar o desconto em folha de pagamento dos servidores, o município não repassa ao Fundo de previdência a quantia relativa à contribuição previdenciária. Além disso, segundo a denúncia, a Prefeitura não tem assegurado a paridade salarial perante os aposentados que têm esse direito.

Ilha das Flores II

“A Prefeitura não respeita o Fundo, a legislação, no sentido da paridade salarial dos servidores, de quem entrou no município até 2003 e tem direito à integralidade salarial; nós apresentamos no ofício um relatório dos professores aposentados com perdas que chegam a mais de R$1mil mensais”, destacou o professor Roberto Silva dos Santos, vice-presidente do Sintese. O Conselheiro Carlos Alberto informou que já havia notificado o município solicitando a apresentação de documentos, porém não obteve retorno. “Vou levar a situação à sessão do Pleno para que seja instalada auditoria especial e possamos responsabilizar as autoridades competentes”, concluiu.

It Consulting

Terceirizados da Seplag que prestaram serviços através da empresa It Consulting estão sem receber o valor de 9 mil e 270 reais referente ao vale alimentacao. A promessa de pagamento foi feita por George Trindade e até agora o poder público não cumpriu. Hoje existem pais e mães de famílias que estão desempregados a espera desse acordo não cumprido pelo Governo.

Falando em vagões

Já que o assunto é “trem de alegria”, há quem diga que o governo continua “inchando” a Fundação Hospitalar de Saúde e, para comprovar, basta ver na folha quanto são contratados sem concurso público. Esse pessoal encheria “quantos vagões”?

 Samu

Mesmo após requerimento do Ministério Público de Sergipe, continua existindo a prática de nepotismo no SAMU. Até o exato momento nem todos os parentes da superintendente foram retirados do setor. Alguns parentes foram relocados no Taj Mahal e outros continuam “sob a proteção” da mesma. Será que o Ministério Público perdeu a força?

Irmã Dulce

Para o conselheiro Carlos Pinna, do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), a canonização da Irmã Dulce deverá abrir um novo roteiro turístico e o Estado de Sergipe tem grande potencial para ser inserido nesse contexto, já que foi no município de São Cristóvão que Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes virou freira e recebeu o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe.

Carlos Pinna I

Pinna chamou atenção para essa “janela de oportunidade” que pode colocar Sergipe na rota dos fiéis que buscarão vivenciar a trajetória da Santa Dulce dos Pobres. “É uma Santa baiana, mas também sergipana, que registra nas suas cartas e no seu livro de memórias o bem que fez a ela essa passagem aqui por Sergipe”, comentou o conselheiro. Ele cita que o primeiro milagre reconhecido pelo Vaticano ocorreu no município de Itabaiana. Já em Aracaju, no bairro Aruana, fica localizada a primeira paróquia a levar o nome de Irmã Dulce.

Carlos Pinna II

Conforme o conselheiro do TCE, a canonização poderá culminar no incremento da economia e de serviços, sobretudo com a ocupação de hotéis. “É uma vinculação que nos faz bem espiritualmente e fará muito bem também economicamente”, destacou Carlos Pinna, citando dados do turismo religioso na Bahia, que chega a receber 5 milhões de pessoas por ano em nome da fé. Ao estimular a mobilização do TCE nesse sentido, ele citou o papel dos Tribunais de Contas como indutores de políticas públicas, que são ações governamentais dirigidas a resolver determinadas necessidades da população.

Theotônio Neto

Pinna enfatizou também o papel do diretor de Comunicação do Tribunal, Theotônio Neto, como um dos incentivadores da inserção de Sergipe como roteiro de peregrinação em homenagem à Irmã Dulce. “Todos têm se somado e a ideia é que façamos uma audiência pública com os atores envolvidos para que no ano que vem já tenhamos algo formatado”, concluiu.

Acordo

O Ministério Público de Sergipe, por intermédio da 2ª Promotoria de Justiça dos Direitos à Saúde, acordou com o município de Aracaju para que, no prazo de 60 dias, seja ofertada a cirurgia de paratireoidectomia – executada para tratar o hiperparatiroidismo, que atinge a maioria dos portadores de insuficiência renal crônica que faz diálise.

ACP

A Promotoria de Justiça ajuizou Ação Civil Pública em 2015 para que o município ofertasse o procedimento, conforme indicação médica e não permitisse a formação de nova fila de espera. Em setembro de 2018, o juízo da 18 ª Vara Cível, julgou procedentes os pedidos da ACP, mas a sentença não estava sendo cumprida.

Rony Almeida

“Em busca de uma solução consensual da questão, O MP designou audiência extrajudicial de conciliação, em agosto. Foi solicitado ao município de Aracaju a apresentação de fluxo de atendimento dos pacientes e as providências adotadas para a realização, na maior brevidade possível, do procedimento de paratireoidectomia. Esse mês fomos informados que o fluxo de regulação do procedimento será implementado no prazo mencionado e as cirurgias começarão a ser realizadas”, frisou o promotor de Justiça José Rony Silva Almeida.

Manchas de óleo

O governo de Sergipe, através do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Depec/SEIT), encaminhou Plano Detalhado de Resposta à Secretaria Nacional de Defesa Civil, onde foram solicitados recursos para ações de restabelecimento, em razão do derramamento de produtos químicos em ambiente lacustre, fluvial e marinho no estado de Sergipe. Para o custeio de atividades de limpeza, monitoramento, contenção e recolhimento do óleo derramado na costa litorânea, foi solicitado o montante aproximado de R$ 22 milhões ao governo Federal.

 R$ 22 milhões

Caso haja deferimento do pedido, o recurso será utilizado especificamente no litoral de Aracaju, Estância, Pirambu, Brejo Grande, Pacatuba, Itaporanga D’Ajuda e Barra dos Coqueiros – municípios mais atingidos pelo desastre, nos quais cerca de 320 mil pessoas foram afetadas diretamente, necessitando de intervenção pública para ações de resposta.

Câncer

A bancada federal sergipana esteve reunida no gabinete do senador Alessandro Vieira (Cidadania) com o presidente do Hospital de Amor (HA), Henrique Prata, uma instituição de saúde filantrópica brasileira especializada no tratamento e prevenção de câncer com sede em Barretos, São Paulo. Os parlamentares sergipanos decidiram apresentar uma emenda de bancada anual no valor de R$30 milhões para custear em Lagarto/SE a implementação do projeto referência de 35 mil metros quadrados – mesmo modelo implantado em Rondônia. Atualmente, mais de 20 mil sergipanos estão em tratamento contra o câncer.

Henrique Prata

De acordo com o presidente da instituição, esse projeto terá grande impacto no interior de Sergipe e tornará a cidade de Lagarto referência regional em atendimento especializado no tratamento de câncer. “O maior propósito dessa unidade é reduzir essa distância, implantando em Sergipe o mesmo atendimento de qualidade e dignidade oferecido pela nossa instituição em São Paulo. A construção dessa unidade é uma forma que encontramos de cumprir com uma promessa feita ao meu pai, de ajudar a cidade natal da nossa família”, destacou Henrique Prata.

Alessandro Vieira

O senador Alessandro Vieira destacou a importância do apoio da bancada federal de Sergipe a projetos estratégicos na área da saúde. “O que a gente está fazendo aqui em Brasília para Sergipe é a chamada política com P maiúsculo, garantindo a fonte de recurso para poder efetivamente instalar um hospital na cidade de Lagarto, que já tem um polo de medicina. Reunindo de forma bastante objetiva as lideranças locais que fazem oposição na política da cidade, mas tem que se unir para defender a população de verdade, e garantindo que, ao longo de quatro anos, teremos recursos suficientes para ter essa obra de pé e o serviço prestado com qualidade para os sergipanos”.

 CPI das companhias aéreas  

Os deputados federais sergipanos Fábio Reis (MDB), Fábio Mitidieri (PSD) e Fábio Henrique (PDT) protocolaram o pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as companhias aéreas brasileiras. O trio concorda que, no cenário atual, há uma prática abusiva das empresas, que encarecem a cada dia os preços das passagens e dos serviços para o consumidor. O pedido contou com o apoio de 182 deputados, que assinaram o pedido. Eram necessárias 171 assinaturas para que o documento fosse protocolado.

Poço Verde

A coluna obteve a informação de que uma servidora do município, decepcionada com a secretaria de Saúde de Poço Verde e com a administração do prefeito Igor Oliveira, teria escrito uma carta de despedida e tentando suicídio. A servidora foi encaminhada ao hospital com urgência e, felizmente, sobreviveu. Na suposta carta ela confirma a tentativa e a revolta com a gestão.

Kitty Lima I

A notícia de que a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) está realizando o cadastramento dos carroceiros e promovendo a estes trabalhadores cursos profissionalizantes pegou de surpresa a deputada estadual Kitty Lima (Cidadania). Em uma rede social, o prefeito Edvaldo Nogueira afirma aos seguidores que as atividades já estão sendo colocadas em prática pela PMA, o que é refutado pela parlamentar.

Kitty Lima II

De acordo com a deputada, autora do PL das Carroças que tramita na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), as informações passadas pelo prefeito não condizem com a realidade, uma vez que ela vem tentando dialogar com Edvaldo a melhor (e eficaz) forma de promover o cadastramento, que por sua vez não se mostra interessado em discutir sobre o assunto.

Kitty Lima III

“Fui surpreendida com essa notícia enviada por diversos seguidores meus em minhas redes sociais. A verdade é que isso não acontece, está totalmente fora da realidade. O prefeito Edvaldo Nogueira mente para a população ao forçar a imagem de que está comprometido com os carroceiros e com os cavalos que são explorados nesta atividade, quando na verdade não está”, afirma.

Empregos I

A evolução do emprego no estado, medida pelo Ministério do Trabalho, através do Caged, apontou números alvissareiros para a economia sergipana no aspecto geração de emprego no mês de setembro, de acordo com análise do departamento de economia do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Sergipe. No nono mês do ano, foram gerados 3.477 novos postos de trabalho no estado. Todos os setores de atividades econômicas foram impulsionados com novos empregos criados.

Empregos II

O mercado agropecuário foi o setor que mais criou postos de trabalho, aumentando em 1.535 trabalhadores o seu contingente. A indústria também seguiu o crescimento alto, com a geração de 1.198 novos empregos. O setor de serviços teve aumento de 363 postos de trabalho e o comércio empregou 286 novos trabalhadores. Os setores de indústria extrativa mineral, construção civil, serviços de utilidade pública, e administração pública também apresentaram crescimento, com 37, 34, 17 e 7 novos postos de trabalho em cada, respectivamente.

Orçamento I

O Governo do Estado já encaminhou para a Assembleia Legislatura o projeto de Lei que dispõe sobre o Orçamento do Estado de Sergipe para o Exercício Financeiro de 2020, estimando a Receita e fixando a Despesa. A proposta já está em tramitação e deverá ser apreciada e votada até o final do ano, antes do recesso parlamentar. A previsão de Receita Total é de R$ 9,93 bilhões, já deduzidos os valores das transferências constitucionais aos municípios e os recursos para a formação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), estimados em R$ 2,3 bilhões.

Orçamento II

Na proposta o governo utilizou os parâmetros divulgados pelo Banco Central do Brasil, por meio do Boletim Focus, de 14 de junho de 2019, que apresentava um cenário de crescimento de 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) e inflação de 4% medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O valor estimado para a Receita Total representa um acréscimo de 0,85%, em termos nominais, em comparação com o valor estimado na Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2019 de R$ 9,84. Já para a Receita Corrente Líquida (RCL), o Executivo está prevendo um montante de R$ 7,76 bilhões, superior em 4,95% à apresentada também na LOA desse ano R$ 7,39 bilhões.

PPA

Também já foi encaminhado o projeto de lei que dispõe sobre o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2020-2023. A proposta agora será objeto de análise dos deputados estaduais nas Comissões Temáticas e em plenário. O valor total estimado do PPA é de R$ 42,02 bilhões, com os valores distribuídos em R$ 29,1 bilhões do Tesouro que corresponde a 69,4%; R$ 10,5 bilhões dos Recursos Diretamente Arrecadados que corresponde a 25,2%; R$ 1,1 bilhão dos Convênios que corresponde a 2,67%; R$ 685,3 milhões de Operações de Crédito que corresponde a 1,63%; e R$ 474,1 milhões dos Investimentos das Empresas que corresponde a 1,13%.

 Rodrigo Valadares I

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), a convite do Presidente da Frente Parlamentar Digital, Deputado JHC (PSB/AL) participou de um almoço que contou com a presença do Presidente do Movimento Brasil Competitivo,  Dr. Jorge Gerdau. ”

Rodrigo Valadares II

“Foi uma oportunidade única para debatermos as novas oportunidades pro Brasil face a revolução tecnológica. Nossa participação tem como objetivo inserir o Estado de Sergipe na vanguarda desse movimento. A revolução econômica do nosso estado será pela tecnologia!

Congresso do PT

O 7° Congresso Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT/Sergipe) será realizado no próximo sábado 19, em Aracaju. O encontro vai eleger a nova direção estadual do partido e reunir suas principais lideranças políticas. Com o tema “Lula Livre”, o congresso se inicia às 8 horas, no sábado, na sede do Sindicato dos Bancários.

Debate amplo

“O congresso encerra um ciclo de organização interna e instaura um debate mais forte para as eleições de 2020. Juntos, vamos traçar o modelo de cidade que precisamos em Aracaju e em cada município do nosso estado”, endossou o presidente do PT de Aracaju, Jefferson Lima. O Congresso Estadual antecede o Congresso Nacional, em novembro, quando o PT define a próxima direção nacional.

Odson Monteiro

O jovem Odson Monteiro avalia uma possível pré-candidatura a vereador de Lagarto em 2020. “A Câmara de Lagarto está muito presa a compromissos com  políticos e o povo sempre fica por fora das decisões. O povo precisa de uma Câmara  que defenda os seus interesses  e não as vontades de terceiros, sou jovem mas tenho uma personalidade muito firme e consciente para servir ao povo. Sempre estive voltado para a política, trago em minhas veias o sangue  político de meu avô Sr Zezito, um homem de palavras firmes e  coração enorme, se minha família e meus amigos desejarem estarei pronto para servir ao povo de Lagarto”.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

[email protected] e [email protected]