15/12/19 - 01:33:34

Briga em Dores, deixa ex-diretor do Cirurgia, Dr. Gilberto, com graves ferimentos na cabeça

Uma briga agitou na noite de sábado (15) a cidade de Nossa Senhora das Dores, em Sergipe, com agressões a garrafas entre o representante comercial José Ediranir dos Santos e o ex-presidente do Hospital de Crurgia, médico Gilberto Santos, pai do prefeito do município, Thiago Santos.

Segundo revelou Ediranir, ele estava no conhecido Bar do Atleta, em Dores, quando, por volta das 20 horas, foi agredido de surpresa pelo médico Gilberto Santos, com uma garrafada de cerveja na cabeça. Conta que revidou a agressou e também quebrou garrafas de cervejas na cabeça do médico, provocando sangramentos em razão de vários cortes, em maior quantida no Dr. Gilberto por sua idade mais avançada.

Edirani foi levado para o hospital de Capela e bteve alta, com quatro pontos na cabeça e já se encontra em casa. Gilberto foi transferido para um hospital de Aracaju e até a 01 horas do início da madrugada deste domingo (15) não havvia informações sobre a sua situaação.

O seu filho, prefeito Thiago Santos, de Dores, divulgou um audio nas redes anunciando a briga que envolveu seu pai e adiantou que daria novas informações de acordo com boletins médicos.

Edirani disse que o Dr. Gilberto o atacou de surpresas: “estava no bar com amigos, quando ele (Gilberto) chegou w quebrou a garrafa em minha cabeça. Revidei na hora e também o agredi da mesma forma”. Disse que ficou muito preocupado com a situação dele e contou que “Dr. Gilberto é de uma frieza muito grande” e revelou que nao lhe fez qualquer provocação.

As razões – Segundo ainda Edirani, ele vinha criticando insistentemente o Gilberto Santos via grupos sociais, denunciado a sua administração como presidente do Hospital Cirurgia, principalmente sobre a compra de um sitio em São Cristóvão, em nome do hospital, que custou R$ 3,3 milhões, conforme documento que se encontra em seu poder.

– O problema maior é que o sítio foi superfaturado, denunciou Edirani.

O representante comercial denunciou ainda, nos grupos, que no período que o Cirurgia era administrado por Dr. Gilberto a situação do hospital era precária, sem condições de funcionalidade, tanto que o índice de mortes dos seus pacientes era de 37%. “Hoje, com a intervenção, esse índice caiu para apenas 7%, além da organização administrativa do hospital.

Edirani chegou a ironizar a questão do Hospital Cirurgia na administração de Dr. Gilberto Santos: “quem ganhou mais dinheiro do hospital no período administrado por Gilberto foram as funerárias”.

O Faxaju Online não conseguiu contato com familiares do Dr. Gilberto e tentou ouvir o seu filho, Thiago Santos, mas não foi possível localizá-lo.