18/12/19 - 05:00:12

CUT CONVOCA SERVIDORES PÚBLICOS PARA LUTA CONTRA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Na porta da Assembleia Legislativa de Sergipe (ALESE), em assembleia geral unificada, várias categorias do Serviço Público Estadual decidiram, na segunda-feira (16/12), que estão em estado permanente de mobilização na luta contra a Reforma da Previdência de Belivaldo.

Na segunda, os trabalhadores dialogaram com os deputados estaduais, na manhã desta terça-feira (17/12), logo cedo, teve panfletagem e ato na porta do Ipesaúde. Ainda pela manhã, os servidores continuaram em estado de vigília, ocupando as galerias da Assembleia Legislativa de Sergipe e conversando com deputados estaduais sobre a Reforma da Previdência de Belivaldo.

“A Reforma da Previdência de Bolsonaro obriga apenas que os estados façam uma adequação de alíquota e não o que Belivaldo quer: alterar profundamente os direitos dos servidores. Os deputados têm uma responsabilidade com os servidores e seus familiares de não aprovar esta reforma. Não tem nenhum tipo de obrigação de Belivaldo fazer reforma agora. A Reforma de Belivaldo amplia a idade das mulheres em 7 anos para se aposentar, as mulheres são as mais prejudicadas; enquanto os homens terão que trabalhar mais 5 anos para se aposentar”, denunciou o presidente da CUT/SE, Roberto Silva.

O movimento sindical tem conversado com deputados e com a população de Sergipe para explicar os problemas da proposta. “Essa reforma não tem regra de transição e acaba com a paridade dos servidores da ativa e aposentados, prejudicando principalmente os aposentados. Isso permite que o estado dê aumento a quem está na ativa e não dê aos aposentados. Como o governo tenta criminalizar os aposentados pela crise fiscal do estado, o que vai acontecer é que os aposentados terão um achatamento salarial como nunca tiveram”, acrescentou o presidente da CUT/SE.

Roberto Silva também alertou que além de equivocado este debate está antecipado, visto que o prazo para adequação da alíquota é 31 de julho de 2020. “Não tem necessidade de correria para o governo fazer isto agora. É final de ano, os servidores querem ter um momento tranqüilo com suas famílias e o governo quer aproveitar esse momento para aprovar esta reforma da previdência estadual  nas carreiras. Para nós é uma armadilha para vencer o poder de mobilização dos servidores, por isso a gente convoca os servidores a se somarem nesta luta, depois não vai adiantar chorar pelo leite derramado. A hora de lutar é agora”.

Confira a agenda de mobilização e luta para os próximos dias:

– Dia 18/12, quarta as 06h30 panfletagem em frente ao IPES e as 09h vigília na Assembleia Legislativa;

– Dia 19/12, quinta ato e vigília às 08h na Assembleia Legislativa:

– Dia 26/12, quinta ato e vigília às 08h na Assembleia Legislativa.

O momento é de luta, unidade e resistência contra essa reforma perversa que visa atacar os direitos dos servidores. Todos e todas à luta!

Por Iracema Corso

Foto ilustração