18/02/20 - 14:04:07

Siri na Lata contra privatização, aumento da tarifa de ônibus e ataque à Previdência

QUARTA (19/2), 9h, tem Oficina de ‘Confecção de Crachás’ na sede da CUT/SE. Mulher trabalhadora, participe! Você é nossa convidada!

O protesto de carnaval da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) SIRI NA LATA 2020 já está se preparando para ganhar as ruas de Aracaju na próxima sexta-feira de Carnaval, dia 21 de fevereiro. A concentração está marcada para as 8h da manhã, na Pça Fausto Cardoso, no Centro.

Neste ano, as lideranças sindicais vão mostrar os presentes de maldade de Bolsonaro e Belivaldo para os trabalhadores. Toda população está convidada a participar do cortejo de protesto.

O SIRI NA LATA vai fazer muito barulho na luta contra as privatizações do governo Bolsonaro e contra o projeto de terceirização da saúde pelo Governo Belivaldo. Contra o aumento da passagem de ônibus em Aracaju, na defesa do serviço público e pela Revogação da Reforma da Previdência, o SIRI vai fazer muita zoada!

Presidente da CUT/SE, Roberto Silva destacou que tem sido constante e intenso o ataque político contra as trabalhadoras e trabalhadores com projetos de lei, terceirização, privatização e tanta manobra política prejudicando toda a população. “Por isso do fim de 2019 até o presente começo em 2020, a CUT/SE tem ocupado as ruas realizando protestos, panfletagens e conversando com a população. De forma irreverente, o nosso SIRI NA LATA vai mostrar para quem está preocupado com as eleições que nós votamos e não esqueceremos dos nossos direitos nem antes, nem durante, nem depois do carnaval”, garantiu.

Outra novidade do SIRI NA LATA 2020 é a ala do Coletivo de Mulheres Trabalhadoras da CUT/SE. A secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SE, Cláudia Oliveira, convida todas as mulheres pra participar da oficina de confecção de crachás com frases sobre a Reforma da Previdência e a retirada de direitos da mulher.

Secretário de Cultura da CUT/SE, Jean Marcel destacou que o SIRI NA LATA já é um bloco de carnaval histórico, que critica com ironia e de forma divertida os ataques contra os trabalhadores. “É papel da Secretaria de Cultura da CUT mesclar e trazer pra rua um momento de lazer e a crítica política e social contra os ataques dos governos em âmbito federal e estadual, engajar a população, chamar a juventude, os trabalhadores precarizados para nosso protesto de carnaval”, reforçou.

Por Iracema Corso