22/02/20 - 17:08:04

Políticos sergipanos se “omitem” sobre irmãos Gomes! E se fosse Bolsonaro? 

A “cena pastelão” que marcou a semana política que antecede o Carnaval 2020 certamente foi a ação “transloucada” do “Rambo do Nordeste”, o senador licenciado Cid Gomes (PDT), irmão do eterno presidenciável Ciro Gomes (PDT), que de forma irresponsável e puramente desnecessária, tentou furar um bloqueio, dirigindo uma retroescavadeira, diante de um motim formado por policiais militares do Ceará que estavam protestando no 3º Batalhão da Polícia Militar do município de Sobral.

Quando “forçou a barra” e pressionou os homens que estavam atrás do portão, Cid Gomes colocou em risco diversas vidas, dentre elas as das esposas e dos filhos dos militares que também participavam da manifestação por melhores salários e por mais condições de trabalho. É evidente que muitos policiais não honraram a farda e cometeram abusos, mas jamais vai justificar a ação político-eleitoreira, além de irresponsável, de um senador da República. Era uma “tragédia anunciada”!

O “feitiço voltou-se contra o feiticeiro” e o caso virou “meme” na internet, no Brasil inteiro, de tão “ridículo e surreal” que foi. Aqui em Sergipe, a maior parte das manifestações se deu contra, mas há quem tenha ficado solidário com o senador. Agora chamou a atenção o fato de alguns políticos sergipanos, que adoram comentar e criticar algumas posturas do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), inclusive cobrando de setores da imprensa, terem “silenciado” sobre o que aconteceu no Ceará. Um deles, por exemplo, é o ex-governador Jackson Barreto (MDB).

JB é um crítico ferrenho de Bolsonaro e do governo federal, mas não falou nada sobre os “Irmãos Gomes”. Ele que está “antenado” a tudo o que acontece em Brasília (DF), parece já estar vivendo no “clima do Carnaval” e tomou um “chá de sumiço”. Como se não bastasse a “loucura” de Cid, eis que vem o presidenciável Ciro Gomes e anuncia: “se estivesse presente no momento do conflito em Sobral, o desfecho poderia ter sido ainda pior”. Vejam o quanto é absurda esta declaração! O que “seria pior”? Quantos teriam que morrer ou ser baleados?

Agora, justiça seja feita, e se fosse o presidente Jair Bolsonaro quem desse esse tipo de declaração? Como será que estaria a militância petista no Estado? Como reagiriam nossos deputados federais e senadores? Será que os governadores, inclusive o nosso “galeguinho”, iria escrever mais uma “cartinha de repúdio”? E quanto a Jackson Barreto? Melhor nem falar no prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (sem partido). Esse, então, já teria postado algo nos “stories”…e assim funciona a política, criticando em alguns momentos, silenciando em outros. Sempre dentro da conveniência…

Veja essa!

O PROS em Aracaju continua trabalhando para fortalecer sua chapa de vereadores. Além de Everton Souza, são pré-candidatos pelo partido liderado pelo ex-deputado Róbson Viana o presidente da Federação Sergipana de Futebol, Milton Dantas, e o empresário do Conjunto Augusto Franco, Joaquim do Janelinha do Saber.

E essa!

Estimulado pelos amigos e familiares, muito ligado a Róbson Viana, o desportista Joãozinho também confirmou que é pré-candidato a vereador de Aracaju. Mas anunciou que vai conversar com o ex-deputado. Joãozinho está focado em ajudar o PROS a eleger o maior número de vereadores.

Falando nele

Róbson Viana tem evitado falar de política. Seu foco é o Rasgadinho 2020. Só após o Carnaval que ele deverá comentar seus projetos políticos para as eleições municipais, na capital e no interior.

Gualberto no PCdoB

Essa é exclusiva e a turma pode copiar: circulou nas rodas políticas que, se o deputado estadual Francisco Gualberto for expulso do Partido dos Trabalhadores, uma possibilidade real seria sua filiação no PCdoB, para manter seu compromisso de votar na reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira.

Nomes no PSD

Além dos vereadores Zé Valter e Nitinho, o PSD em Aracaju deve filiar na “janela” os vereadores Zezinho do Bugio, Bigode do Santa Maria e Palhaço Soneca. A dúvida aí é Vinícius Porto. A expectativa é que a legenda eleja três vereadores, podendo chegar a quatro.

 Nomes no PDT

Por sua vez, dentro do PDT, que já tinha o vereador Jason Neto, durante a “janela” o partido deve filiar os vereadores Anderson de Tuca, Seu Marcos e Isac. A dúvida aí é Manoel Marcos. E a leitura é a mesma: faz três, podendo chegar ao quarto eleito.

Dificuldade

Boa parte das outras legendas está com dificuldades para fechar as chapas porque ainda existe o receio de vereadores com mandato “desembarcarem” durante a janela eleitoral. A turma que tá de fora quer competir em condições de igualdade e não aceita “surpresas”.

“Roleta-russa”

A estratégia de unir o maior número de vereadores com mandato em um partido funciona como uma espécie de “roleta-russa”, onde todos sabem que um ou dois ficarão de fora, na suplência, mas é a forma encontrada para tentar eleger a maior quantidade possível.

Não muda!

Existem rumores de que, após as eleições municipais deste ano, o Congresso Nacional repense o fim das coligações para proporcionais, já para 2022. Em conversa com este colunista, o senador Rogério Carvalho descartou. Disse que esse é um entendimento entre os líderes, do PT ao DEM. O pensamento está no fortalecimento de algumas legendas e na redução dos “partidos de aluguel”.

 Alô Simão Dias!

Terra do “galeguinho” Belivaldo Chagas está sofrendo com uma onda de violência e assaltos. A população anda assustada e já não consegue nem sair à noite. Os bandidos estão fazendo verdadeiros “arrastões”, roubando aparelhos celulares e até agredindo alguns moradores, além de arrombamentos. Um leitor da coluna chegou a denunciar: “as pessoas não ficam mais nas portas de suas residências. É assalto a todo momento”. As pessoas clamam por uma atenção especial por parte do governador…

Ação Integrada I

As classes multisseriadas, compostas por alunos de séries e níveis de conhecimento diferentes, têm dificultado a aprendizagem na rede pública de ensino, sobretudo nas zonas rurais. Presente, também, em diversos municípios sergipanos, tal realidade será revista por meio de uma ação integrada envolvendo o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e os ministérios públicos do Estado (MPE) e de Contas (MPC).

Ação Integrada II

Para alinhar a estratégia de atuação conjunta, a conselheira Susana Azevedo, vice-presidente do TCE e o procurador-geral do MPC, João Augusto Bandeira de Mello, estiveram reunidos no MPE, com o procurador-geral de Justiça, Eduardo D`Avila e o promotor Alexsandro Sampaio, chefe do Centro de Apoio Operacional dos Direitos à Educação.

Ação Integrada III

Integrante do Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (IRB), que reúne membros dos Tribunais de Contas de todo o país, a conselheira informou que a Corte sergipana está prestes a iniciar uma auditoria que vai traçar um diagnóstico das salas de aula multisseriadas em todos os municípios sergipanos e que o resultado será de grande valia para reverter esse quadro.

Susana Azevedo

“Viemos unir forças em prol da educação no estado de Sergipe; com esse trabalho esperamos conseguir ao menos uma redução na quantidade de classes multisseriadas, pois sabemos que o ensino dos alunos vem sendo prejudicado”, comentou a conselheira Susana Azevedo.

Eduardo D’Ávila

Ao assegurar todo o apoio e engajamento do MPE, o procurador-geral de Justiça salientou que as constatações técnicas obtidas pelo Tribunal de Contas através da auditoria deverão subsidiar novas frentes de atuação. “No MPE temos uma atenção especial com o Tribunal de Contas e temas como educação merecem essa interação de vários órgãos para poder trazer melhores soluções”, observou Eduardo D`Avila.

Bandeira de Mello

Autor da propositura que levou o Pleno do TCE a aprovar a auditoria, Bandeira de Mello destacou as frentes de trabalho que virão adiante: “As situações que não estiverem dentro do parâmetro legal da utilização da multisseriação e que os alunos daquela escola possam ter um ensino mais qualificado, que se possa fazer uma intervenção para que o município atue mais, para que esses alunos tenham melhores condições”, destacou o procurador-geral do MP de Contas.

Zezinho do Bugio I

O vereador Zezinho do Bugio participou uma importante reunião que teve o objetivo de planejar as ações de segurança nas bloquinhos de carnaval da capital sergipana, junto ao comandante da PM de Sergipe e outros comandantes de policiamento.  Para o vereador, foi um momento de grande importância para traçar ações táticas que devem conter a violência nestes eventos.

Zezinho do Bugio II

“A nossa polícia, como sempre, planejando uma melhor segurança para todos. Nós sabemos que as pessoas de bem vão aos blocos para curtir e divertir; no entanto, tem alguns que só vão para criar algazarra. É por isso mesmo que precisamos garantir que os eventos ocorram bem”, destacou.

Zezinho do Bugio III

O parlamentar fez questão de parabenizar os gestores e comandantes pelo trabalho que foi realizado durante os primeiros dias de folia. “No bloco Mamãe Quero Beber, por exemplo, que realizamos com milhares de pessoas nas ruas, o trabalho da nossa briosa PM foi essencial. Garanto que os próximos que ainda virão em vários bairros da nossa cidade, também serão auxiliados, de forma tática, com os nossos bravos guerreiros”, enfatizou o vereador.

Fatos isolados

Zezinho lembrou ainda alguns atos de violência que aconteceram em eventos nos últimos dias, não podem representar o que, de fato, são os bloquinhos de carnaval. “O que precisamos entender é que durante o evento, ou seja, no percurso a segurança atua muito bem. A questão é que, quando o evento acaba, os bagunceiros começam a estragar o brilho deixado. Não podemos interpretar que estes fatos isolados são o todo dos lindos blocos de carnaval que estamos vendo em nossa cidade”, enfatizou.

Chama o Samu I

Chega para a coluna informações sobre a escala de serviço do SAMU para o CARNAVAL. Com relação aos técnicos de enfermagem ela está cheia de extras. Mas nas USAs também faltam médicos, enfermeiros e condutores. A denúncia é que em nenhum dia o Estado de Sergipe tem as 15 USAs completas e rodando.

Chama o Samu II

Outra denúncia tem relação com concurso para Técnicos e Condutores que a Fundação fez para eles trabalharem durante 36 horas semanais, segundo constava no edital. Em 2016 o Estado fez um acordo coletivo do trabalho (que deveria vigorar por um ano) para os funcionários só cumprirem 24 horas semanais, sem qualquer redução salarial, justificando que tinha que haver isonomia entre trabalhadores da SES que trabalhavam 24 horas (condições em Edital) e FHS. Mas se são fontes pagadoras diferentes, por que ter isonomia?

Chama o Samu III

Servidores lembram que o acordo é claramente contra princípios constitucionais da legalidade, eficiência e da moralidade pública porque, a informação extraoficial é que, ele não foi homologado na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. “Hoje a escala consta assim toda furada, com o Estado pagando horas extras de rodo”, denuncia um servidor.

Terceirização

Os servidores também questionam o argumento de terceirização do Samu, quando o Estado alega faltam 300 condutores e mais de 200 Técnicos. “Com a existência de grande quantidade de horas-extras, geradas pelo próprio Estado, por que todos os servidores da FHS não voltaram para as 36 horas? Isso não diminuiria as horas-extras? Será que o quantitativo de profissionais que faltam é esse mesmo”, questionam os denunciantes.

Doenças raras

No próximo dia 29 (sábado) a Associação Sergipana de Pessoas com Doenças Raras (ASPDR) realizará a I Marcha Pelos Raros, com concentração na Praça General Valadão, às 8h. O evento faz parte das ações pelo Dia Mundial de Conscientização das Doenças Raras (29 de fevereiro). A Marcha seguirá da Praça General Valadão em direção à Praça Olímpio Campos, passando pelo calçadão da Rua João Pessoa, no centro de Aracaju.

Dianna Batista

“Faremos essa marcha para chamar a atenção de toda sociedade para os pacientes com doenças raras, mostrar que as doenças existem e podem ser diagnosticadas e tratadas. Contamos com o apoio da sociedade para juntos podermos chamar atenção dos nossos gestores para o reconhecimento dos direitos das pessoas com doenças raras e ajudá-las a superar suas dificuldades”, comenta a presidente da ASPDR, Dianna Batista.

Número desconhecido

Segundo o Ministério da Saúde, uma doença é considerada rara quando ela afeta até 65 pessoas a cada 100mil indivíduos. O número exato de doenças raras ainda não é conhecido, mas estima-se que existam entre seis e oito mil tipos diferentes de doenças raras em todo o mundo. Sendo 80% delas decorrente de fatores genéticos, enquanto os outros 20% advêm de causas ambientais, infecciosas, imunológicas, entre outras.

 Feira da Beleza I

No dia 08 de março, data em que se comemora o dia internacional da mulher, acontecerá no Iate Clube em Aracaju mais uma edição da Feira da Beleza, Estética e Cosméticos (Fesbell). O evento terá a duração de três dias, de 08 a 10 de março, das 12h às 21h e a entrada é 1kg de alimento não perecível.

Feira da Beleza II

A feira será voltada para os Profissionais da Beleza. Serão mais de 50 expositores oferecendo produtos e serviços com descontos incríveis, que chegarão a 80%. Haverá palestras com HairStyles e técnicos de linhas profissionais e Workshops diversos. Cerca de 500 mil reais em vendas serão movimentados nos três dias de evento.

Feira da Beleza III

De acordo com Daniel Aragão, diretor da feira, a Fesbell se consolidou como o maior evento de Beleza e Cosméticos do Estado de Sergipe. Ele explica que o evento recebe caravanas de Itabaiana, Lagarto e Glória, e que, além de movimentar o mercado da beleza a Fesbell também tem um cunho social: arrecadas alimentos para doar para instituições carentes. “No ano passado a feira arrecadou cerca de 900 quilos de alimentos. Neste ano a gente pretende bater o recorde e conseguir três toneladas”, afirma o diretor.

Nota de Repúdio I

A diretoria do Suburbia Eventos vem a público externar total indignação com o programa “Debate Bola”, da Rádio Jornal, onde os radialistas teriam criticado a escolha do Suburbia para a coletiva de imprensa de apresentação do novo técnico do Confiança “com palavras pejorativas, de baixo calão e de uma natureza extremamente homofóbica citando a casa de shows como abandonada e utilizando expressões como refúgio lgbt, viado e sapatão”.

Nota de Repúdio II

“Externamos nossa total indignação e lamentamos a postura desses que se dizem profissionais do radialismo sergipano e desde já cobramos as medidas cabíveis do sindicato responsável. O que foi dito no programa se enquadra em crime de calúnia, difamação e homofobia.  O Suburbia é uma casa de eventos aberta a todos os públicos e sem nenhum tipo de preconceito”. A nota é assinada pelas entidades organizadas do Movimento LGBT sergipano e brasileiro.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

[email protected] e [email protected]