26/03/20 - 00:01:22

Belivaldo e o equilíbrio na crise

Diógenes Brayner[email protected]

O governador Belivaldo Chagas (PSD) participou ontem de reunião, via internet, com todos os seus colegas do Brasil. O objetivo era encontrar os melhores meios para o enfrentamento de um invasor que mata por um simples espalhar de gotículas, que para e amedronta o mundo. O objetivo é que todos saiam vivos dessa. Percebe-se um naco político nesse momento difícil para a vida do brasileiro, principalmente depois que o presidente Jair Bolsonaro fez pronunciamento e admitiu que a quarentena traria doença tão danosa quanto o vírus: o colapso na economia.

Belivaldo Chagas se manifestou na reunião com muito equilíbrio. Deixou claro que não vai recuar “nem um milésimo”, das medidas adotadas para reduzir a presença de pessoas nas ruas, assim como incentivar a quarentena, para que o vírus não se propague com a facilidade que o fez em outros países, que não adotaram medidas preventivas com urgência. Entretanto fez uma ponderação bastante equilibrada: “a necessidade de união cada vez maior dos governadores do Brasil, para que juntos possamos chegar a um amplo entendimento nesse momento de crise”.

Dentro do raciocínio aparente de que o virus não pode destruir um país unido e forte como o Brasil, Belivaldo Chagas também sugeriu aos demais governadores que se pedisse o apoio – “mais que nunca” – do Congresso Nacional, através dos seus presidentes, senador Alcolumbre, do Senado, e deputado federal Rodrigo Mais, da Câmara, para que se encontre o melhor caminho de um entendimento amplo pelo País. O objetivo é que os Estados estejam sempre unidos e sejam mais fortes, para que atuem juntos em favor do desenvolvimento econômico e social de cada um deles.

Belivaldo Chagas solicitou a suspensão do pagamento das dívidas com o Governo Federal, para que possa atuar mais decisivamente junto aos problemas do Estado, em um momento de crise, com o objetivo de evitar um colapso na economia e um estrago que trará graves consequências mais adiante, exatamente quando o coronavirus perder força e ocorrer à normalidade em cada Estado e no País como um todo. Foi uma fala serena, sem tom político, mas uma demonstração de responsabilidade para o Estado que administra de forma transparente e equilibrada.

Não deu o tom político porque provavelmente considera que não é o momento, mas manteve-se seguro de que não recuará de suas orientações e estará sempre junto aos colegas, para fortalecimento de posições que conduzam à melhoria da sociedade e o fortalecimento das instituições.

Comemora cartão

O governador Belivaldo Chagas comemorou a aprovação do projeto “Cartão Cmais”, de iniciativa do Governo do Estado, que vai liberar benefício mensal de R$ 100,00 para as pessoas de baixa renda durante quatro meses.

*** O benefício é temporário e emergencial, dedicado à alimentação de pessoas em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Recurso da bancada

A bancada sergipana, coordenada pela deputado federal Fábio Reis (MDB), se reuniu virtualmente, ontem, para discutir a liberação de recursos em torno de R$ 57 milhões de emendas de bancada, que serão utilizados no combate à pandemia no nosso Estado.

*** – A medida é uma solução urgente para a necessidade de dar respostas aos desafios impostos pelo vírus. Com esse investimento a nossa intenção é reduzir o número de caso em Sergipe”, avaliou o parlamentar.

Fundo eleitoral

O deputado estadual Luciano Pimentel publica um banner em que deixa claro que apoia “100% do Fundo Eleitoral para o combate ao coronavírus”.

*** Luciano revela que o momento é difícil em razão do vírus e que os gastos com eleições deveriam servir para proteger o povo vulnerável à contaminação.

Discurso preocupa

O deputado federal Luís Mitidieri (PSD) diz que ficou “abismado” com pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro: “Ele praticamente desmoralizou seu ministro da Saúde em rede nacional”.

*** – Afinal, a razão de estarmos todos em quarentena foi à previsão de colapso na saúde a partir de abril. Foi o próprio governo que nos passou esse cenário sombrio, disse.

É muito triste ver

Mitidieri diz ainda que “em menos de uma semana, o Jair Bolsonaro vai a TV em rede nacional, culpa a imprensa pela ‘histeria’ criada, diz que o coronavírus é apenas uma gripezinha e praticamente nos manda de volta às ruas”.

*** – Triste ver o Brasil sendo presidido por alguém tão despreparado, lamenta o deputado.

*** Segundo Mitidieri, as eleições por enquanto estão mantidas e estamos correndo para filiar todos os nossos aliados.

Repercussão negativa

O presidente Bolsonaro, com o seu discurso fora da realidade do momento, desagradou o Brasil que teme o coronavirus. A repercussão foi negativa em todo o País.

*** Bolsonaro segue à risca o presidente americano Donald Trump. Tanto que o discurso dele foi muito parecido com o feito por Trump na segunda-feira, que também sugere o fim da quarentena.

História não perdoa

O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho, admite que história não perdoa irresponsáveis e inconsequentes. “Liderar é assumir responsabilidades”.

*** – Se o decepcionante Jair de Brasília não tem essa capacidade, não coloque a vida do povo brasileiro em risco, diz.

É muito lamentável

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) reconhece que o Brasil enfrenta a maior crise dos últimos 100 anos. O mundo inteiro reconhece isso e adota providências.

*** Para ele, “só uma pequena bolha prefere se manter alheia à realidade. Infelizmente, é lá que vive o presidente Jair Bolsonaro”.

*** E conclui: “Até o ídolo Trump entendeu, mas o Jair não, o que é lamentável.”

Fecha o diálogo

Alguns governadores, que querem manter a quarentena, estão combinando de fechar o canal de diálogo com o presidente Jair Bolsonaro.

*** A partir de agora, só topariam negociar com o vice-presidente Hamilton Mourão, e com ministros como o da Economia e da Saúde.

Leite derramado

Fábricas de derivados de leite no sertão, que está sem produzir queijo e outros produtos, deixaram de comprar o leite in natura e provoca prejuízo e preocupação aos produtores.

*** Em razão disso, muito litros de leite estão sendo jogados no lixo desde ontem, em razão da paralisação da produção pelo coronavirus.

Apelo de caminhoneiro

Depoimento de um caminhoneiro gaúcho que, chorando, pede para que seja permitido o transporte de alimentos, “porque se não acontecer muita gente vai morrer de fome”.

*** Ele diz também: “não se discute uma forma para acabar com o vírus, se discute uma forma de acabar com o presidente”.

Revolta nos shoppings

Lojistas dos shoppings Riomar e Jardins estão revoltados. Ontem foram surpreendidos com um aviso do Grupo JCPM de que só vai cobrar o aluguel dos dias abertos antes do fechamento por decreto.

*** Mas que vai manter o pagamento do condomínio e de uma taxa para publicidade, que os lojistas reclamam de jamais terem visto anúncios.

*** Os lojistas têm conversado em seus grupos de internet e dizem que não vão pagar. Já tratam de entrar na justiça contra a exploração do grupo proprietários dos shoppings.

Políticos se mexem

Há um aparente silêncio político, mas os partidos estão atuando firme para registro de chapas de candidatos a vereador e nas conversas para formação de alianças políticas.

*** Tudo vem ocorrendo em off e sem se expor, para não haver falação de excessos em período de coronavírus.

Certo o adiamento

Nas conversas de lideranças políticas, o comentário é que as eleições municipais serão adiadas para 15 de novembro [primeiro turno] e 05 de dezembro segundo turno.

*** Esse adiamento já estaria sendo tratado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Câmara Federal.

Sukita faz filiações

O ex-prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita (Republicanos), está expandindo o partido no Baixo Cotinguiba. Ontem ele fez várias filiações em Rosário do Catete.

*** Sukita já levou para o seu novo partido o presidente da Câmara de Rosário e mais três vereadores, além do atual vice-prefeito e outras lideranças.

*** É provável que hoje o ex-prefeito Sukita esteja em Japaratuba e também inicie por lá uma série de filiações.

Um bom bate papo

Novo banner – Um novo banner que circula nas redes sociais e começar a viralizar: “Fique em casa, não temos presidente”.

Envia emenda – Deputado federal Bosco Costa destinou emenda de R$ 8.864.294,00 para ajudar o Governo do Estado no enfrentamento ao Coronavirus.

Rever regra – Empresas estão revendo regra que havia mandado trabalhar em casa pessoas que moram com quem está nos grupos de risco.

Provoca protesto – O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, terça-feira, pela TV, provocou protesto de quase todo o povo brasileiro.

Medo total – Deputados que foram ontem à sessão plenária deixaram o prédio da Assembleia logo após a votação final. Todos retornaram ao confinamento.

Contesta restrições – PSB entrou no STF com ação direta de inconstitucionalidade questionando a MP 928/2020, que impõe restrições à Lei de Acesso à Informação.

Esperam mais – Pré-candidatos a prefeito de Aracaju estão em silêncio e falam pouco. Aguardam esfriar o clima do coronavirus para começarem a conversar.

Contra gripe – É muito importante alcançar a meta da vacinação contra a gripe. Fique atento ao calendário e procure um posto de saúde perto de você para se vacinar na data correta.

Alexandre Garcia – Para nem pensar, na economia e na política: quem, num momento desses, consideraria o vírus como aliado e pegaria carona com o coronavírus?