27/03/20 - 00:18:51

O coronavirus e as eleições

Diógenes Brayner[email protected]

A impressão é que o coronavirus também pôs em quarentena os contatos políticos. Mas fica apenas nessa leve desconfiança de que ninguém está conversando sobre as eleições do próximo ano. Está sim. E muito! É verdade que, em Aracaju, a maioria das lideranças não sai de casa e nem recebe ninguém, mas todos estão pendurados ao celular orientando sobre a formação de chapas para vereador, filiações, mudanças de partido e prováveis alianças.

Nas cidades do interior, entretanto, os pré-candidatos a prefeito mantêm casa cheia e fazem contatos para fortalecimento de seus partidos. Buscam alianças e algumas estão sendo fechadas, como em Canindé do São Francisco, onde Kaka Andrade, depois de encontro com Heleno Silva, conseguiu apoio do Republicanos para disputar a Prefeitura do município. Tudo vem sendo feito com maior discrição, tendo sempre como desculpa a quarentena em razão do coronavírus.

Em Aracaju, então, a impressão é que não existe mais disputa em outubro. Talvez é o que mais equivocadamente se pense. Os presidentes estaduais dos partidos estão todos muito atarefados e até quebrando a cabeça com problemas internos. Quarta-feira, um deles teve que tomar medicamentos para acalmar a tensão, porque não conseguiu tirar o celular do ouvido, resolvendo situações conflitantes em vários municípios. Também os pré-candidatos a prefeito tratam de alianças, embora nada tenha sido fechado.

Pela calmaria existente, até mesmo com a aparente saída de cena dos pré-candidatos, imagina-se que realmente a preocupação maior seria com o coronavírus. Repórteres têm dificuldades para conversas mesmo via celular, entretanto as informações de bastidores são de que o diálogo se estende para a formação de um bloco reunindo legendas fortes e que formarão composição em condições de apresentar um candidato competitivo e que pode até levar à disputa para o segundo turno.

Um fato fica claro: nenhum dos prováveis candidatos, incluindo presidentes de partidos e correligionários, acredita que haja prorrogação – praticamente impossível – ou adiamento das eleições, porque até quatro de agosto, quando se encerra o registro de chapas majoritárias, a tendência é que todo esse medo provocado pelo coronavírus já tenha passado e se retone à tranquilidade.

Até agosto, ou bem antes disso, pode ocorrer mudanças: pelo menos dois pré-candidatos a prefeito em Aracaju vão se unir a um outro nome, fortalecer o bloco e desistir da disputa. É aguardar…

Tosse e espirro

O governador Belivaldo Chagas (PSD) tossiu no momento que concedia entrevista à repórter Laís Rocha, da TV-Sergipe, sobre reunião com empresários.

*** Belivaldo foi rápido: “Não! Não! Está tudo bem, a tosse foi casual”.

*** A preocupação com o coronavirus é tamanha que qualquer tosse ou espirro assusta as pessoas.

Situação difícil

Já começaram as manifestações de alguns empresários contra o confinamento social, dentro do que defende o presidente Jair Bolsonaro.

*** Tem jornalista que mudou de opinião e prega indústria e comércio funcionando.

*** Algumas empresa estão anunciando demissões e cria um nervosismo entre morrer infectado ou perder o emprego.

Questão do leite

Produtores de leite estão parados, porque os donos de fabriquetas e fabrica não recebem o produto. Não têm a quem vender o queijo, requeijão e a manteiga por falta de consumidores.

*** – O sertanejo e mesmo sem sorte, quando tem bom inverno e boa safra de milho, chega uma miséria desta, como o coronavirus, e a situação se complica, disse um dos produtores.

Vida e economia

O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho, acha que não adianta cobrar a quarentena dos brasileiros se não garantir renda e emprego dos trabalhadores.

*** – A conta de água, luz e a cesta básica chegam. Por isso apresentamos o projeto de Renda Básica. Precisamos fazer essa travessia protegendo a vida e a economia.

*** – A função do Estado é proteger seus cidadãos. Por isso apresentei proposta para isentar, do imposto de renda, os afetados. A vida é a prioridade, disse Rogério.

Total liberado

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) informa que o total liberado pela bancada sergipana para combate ao coronavirus é de R$ 57.430.002,00.

*** Diz que a previsão é que a transferência seja realizada nos próximos dias. “Estou cobrando para que seja o mais rápido possível, mas já são recursos garantidos”.

*** – Agora é hora de conhecer e acompanhar o planejamento e a execução por parte do prefeito Edvaldo Nogueira e do governador Belivaldo Chagas.

Sem adiamento

Alessandro Vieira não aceita falar, neste momento, sobre política. Diz que a hora é de salvar vidas e empregos: “a política terá seu momento”.

*** O senador pelo Cidadania diz, ainda, que “não existe, no momento, nenhuma previsão de adiamento das eleições deste ano”.

Serve para reflexão

Recolhido em seu escritório, um conceituado advogado disse ontem que o coronavirus pode servir para uma reflexão em relação ao relacionamento humano.

*** – O vírus não faz distinção entre rico, pobre, esquerda ou direita, ataca a todos!

*** Pede que as pessoas pensem sobre o que está acontecendo e melhorem o relacionamento entre elas sem condicionar diferenças sociais.

Prefeito desabafa

Prefeito de Pacatuba, Alexandre Martins, diz que há muita expectativa neste momento, em uma hora positiva e outra hora negativa: “estamos igual a galho de árvore em enxurrada das chuvas, sem ter porto certo”.

*** – Nas divisões entre os governos de responsabilidade social e financeira, só a parte mais fraca – a nossa, de prefeito, –  é que já está contaminada, disse.

*** Segundo Alexandre, “isso é lamentável, já que, por aqui, em Pacatuba, as dificuldades existem, porque em seguida ao atual momento vem aí a fome”!

Prefeito deixa PSDB

Mais um prefeito deixa o PSDB em Sergipe: Otávio Sobral, de Itaporanga D’Ajuda. Nas eleições de 2016, os tucanos elegeram cinco prefeitos em Sergipe.

*** O prefeito Olavo Sobral era o último ainda filiado ao PSDB. Os outros quatro há haviam deixado o partido.

*** Olavo vai se filiar no Partido Progressista (PP), do deputado federal Laércio Oliveira.

Liberar os motéis

O dono de um motel postou vídeo em que pede ao governador Belivaldo Chagas a retirada, dessa atividade, do decreto que determina o fechamento de hotéis e pousadas.

*** Ele justifica: “O cliente vem com seu carro, entra no apartamento com sua companheira, sem que haja aglomeração nenhuma”.

*** Diz que “hotel e pousada tudo bem, porque recebem turistas e pessoas de fora. Agora motel… Eu gostaria muito que o governador reavaliasse esse decreto e liberasse os motéis”.

Comércio na ativa

O governador Rui Costa (PT) sugeriu a prefeitos de cidades baianas sem casos confirmados de novo coronavírus que mantenham o comércio na ativa.

*** O pedido também se estende à manutenção das feiras livre. Para Rui, as medidas de restrição devem ser gradativas, evitando medidas mais restritivas nesse primeiro momento.

Um bom bate papo

Novo banner – Um novo banner que circula nas redes sociais e começar a viralizar: “Fique em casa, não temos presidente”.

Envia emenda – Deputado federal Bosco Costa destinou emenda de R$ 8.864.294,00 para ajudar o Governo do Estado no enfrentamento ao Coronavirus.

Rever regra – Empresas estão revendo regra que havia mandado trabalhar em casa pessoas que moram com quem está nos grupos de risco.

Provoca protesto – O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, terça-feira, pela TV, provocou protesto de quase todo o povo brasileiro.

Medo total – Deputados que foram ontem à sessão plenária deixaram o prédio da Assembleia logo após a votação final. Todos retornaram ao confinamento.

Contesta restrições – PSB entrou no STF com ação direta de inconstitucionalidade questionando a MP 928/2020, que impõe restrições à Lei de Acesso à Informação.

Esperam mais – Pré-candidatos a prefeito de Aracaju estão em silêncio e falam pouco. Aguardam esfriar o clima do coronavirus para começarem a conversar.

Contra gripe – É muito importante alcançar a meta da vacinação contra a gripe. Fique atento ao calendário e procure um posto de saúde perto de você para se vacinar na data correta.

Alexandre Garcia – Para nem pensar, na economia e na política: quem, num momento desses, consideraria o vírus como aliado e pegaria carona com o coronavírus?