17/04/20 - 13:51:24

Grupo Pinheiro é a 1ª empresa de segurança de SE a aderir ao movimento “Não Demita”

A primeira responsabilidade social de uma companhia é retribuir à sociedade o que ela proporciona, começando pelas pessoas que dedicam suas vidas, todo dia, ao sucesso do seu negócio. Assim, o manifesto de convocação do Movimento Não Demita busca estimular que empresas a manter seus quadros de funcionários e já conta com mais de 1600 empresas de todo o país.

Em Sergipe, o Grupo Pinheiro de Segurança se tornou a primeira empresa de segurança privada do Estado a aderir ao manifesto, garantindo que, durante este momento, sejam mantidos os quadros da empresa.

Segundo Marco Pinheiro, CEO da empresa, é o momento de retribuir. “A crise é forte, mas nos tornamos referência em segurança privada graças ao nosso quadro de funcionários. Mas precisamos entender que esse momento é passageiro e não apenas nós, do Grupo Pinheiro, mas diversos setores, precisarão de um novo momento de aquecimento econômico. Demitir agora não é uma questão apenas interna, mas um pequeno ato contra a retomada da economia quando este momento passar”, explicou.

“Lembro que toda crise é um aprendizado. E esta tem caráter inédito e acredito que tem data para terminar. Por isso, tomei essa decisão, mesmo nas empresas que, no momento, estão impossibilitadas de funcionar normalmente. Agora é o momento de pensar em todos, dar o exemplo e convocar todos aqueles que possam replicar esse ato a seguir o manifesto. Só sairemos deste contexto com todos unidos”, concluiu Pinheiro.

Funcionamento

O Grupo Pinheiro é formado por quatro empresas, destas, apenas atividades essenciais relacionadas à vigilância, segurança privada e monitoramento permanecem funcionando, seguindo as normas dos órgãos de saúde, alterando normas internas e adequando a organização da empresa. O setor administrativo da empresa também foi adequado, aderindo ao teletrabalho. Já o Clube de Tiro Pinheiro quanto o Infante (Centro de Formação de Vigilantes) permanecem fechados até que sejam autorizados a funcionar.

Por Marcos Rodrigues Meneses
Foto assessoria