08/05/20 - 16:27:52

Os cuidados com a saúde mental em meio à pandemia. Tema foi alvo de debate

Tema foi alvo de debate, que girou em torno das estratégias para evitar o sofrimento psicológico

Por Suzy Guimarães

A live “Impactos Psicológicos da Quarentena e Estratégias para seu Enfrentamento”, realizada pela UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Aracaju nesta sexta-feira (08), promoveu uma ampla reflexão sobre as experiências de sofrimento psicológico causadas pela pandemia. A intenção foi de explorar estratégias para prevenir e diminuir as perdas de saúde mental causadas pela situação.

O coordenador do curso de Psicologia da UNINASSAU Aracaju, André Mandarino, explicou que o caminho para enfrentar os efeitos negativos do isolamento é descobrir como adaptar a rotina usual ao período de quarentena. “Cada pessoa deve tentar manter as atividades necessárias, mas ter também tempo para lazer, da maneira que for possível dentro das medidas de prevenção. A manutenção dos laços sociais, mesmo à distância, é fundamental para o bem-estar”, disse o professor.

Ele observou que é normal a ansiedade tomar conta das pessoas por causa do medo e da incerteza. Essa ameaça deve ser combatida com um olhar realista da situação, além da busca de alternativas para manter as condições saudáveis de vida. “Há diversos níveis de ansiedade, ideações paranoides, estresse em nível de exaustão, depressão e fantasias mórbidas”, observou.

André ressaltou que um dos principais fatores de ansiedade é o excesso de informação. “Em 2009, aconteceu uma pandemia do H1N1, porém, apesar dos smartphones já existirem, não viabilizavam o excesso de informação e a massificação das notícias como hoje”. Segundo ele, “o tempo todo somos bombardeados por notícias, o que gera uma ansiedade muito grande, e, além disso, a globalização está contribuindo para uma pandemia de pânico, o que gera medo excessivo na sociedade”, avaliou.

FAKE

Ele recomenda que, durante a quarentena, seja evitado ler matéria de qualquer lugar na internet, mas procurar fontes confiáveis para se informar, pelo risco das fake news. “Não fique o dia todo assistindo aos noticiários, procure escolher um horário do dia para se informar, caso contrário, você passará o tempo todo só pensando nisso. Evite também olhar toda hora as notificações do celular, principalmente quando estiver trabalhando e precisar de concentração”, orientou André.

O professor atentou que é muito importante criar uma rotina, principalmente para quem está trabalhando em casa. “Estabeleça um horário para acordar, lembre-se de que você não perderá mais tempo com deslocamento até o trabalho, portanto, pode até dormir um pouco a mais. O ideal é começar a rotina com um bom café da manhã e não se esquecer que ficar na cama trabalhando de pijama pode ser uma medida pouco produtiva. Procure se vestir com roupas confortáveis e criar um ambiente agradável para realizar as suas atividades”, atentou o psicólogo.

O psicólogo também recomenda a prática de exercícios físicos e boa alimentação ao longo do dia. “Muitos pacientes e psicólogos já estão migrando as sessões de terapia do consultório presencial para o online. Esta é uma medida recomendada para evitar o contágio do coronavírus e, ao mesmo tempo, cuidar da saúde mental”. O professor observou que, caso a pessoa já faça terapia, não deve deixar de realizar as sessões por conta do isolamento.

Foto assessoria