20/05/20 - 00:53:39

O Brasil está à deriva

Diógenes Brayner [email protected]

A pandemia muda o Brasil. Mostra que o presidente Jair Bolsonaro não está preparado para superar crises das dimensões da que se apresenta e amedronta o povo, e balança toda estrutura do País. Estamos todos à deriva, perdidos em uma tempestade que revela indícios de tsumani. Não se vislumbra um porto seguro e não existe um projeto que transmita segurança, nem para a Saúde, usada como instrumento de perspectiva política, e muito menos para um socorro a uma economia que se corrói.

Não será fácil sair dessa. Sem qualquer conotação político/ideológica, o presidente não transmite confiança e nem expõe credibilidade. Tem levado a pandemia em tom de anedota sem a mínima graça, que vai desde a ‘gripezinha’ até à receita médica sem sustentação científica, assim como ao comando de um movimento que atiça a desobediência às orientações científicas, como o isolamento social. Pior, aproveita um clima de extrema seriedade para realização de manifestações que põem em risco à democracia.

Em nenhum momento o presidente sinaliza para a tomada de posições confiáveis, que revelem uma tentativa de conduzir o Brasil a uma condição de confortabilidade em relação a tentar estancar o avanço do coronavírus e, paralelamente, abrir caminhos para garantir a recuperação da economia, que começa a expor sintomas de fragilidade crônica, mas que revelasse perspectiva de crescimento lento, mas que se fortalecesse quando fosse atingido o picos e iniciasse a curva de descida para o fim da pandemia.

Há um extremo receio que nada dê certo. Caminha para isso. É preciso que se leve o País a sério e se atenda às necessidades, sem buscar a desordem para aplicar mudanças políticas trágicas, que provoquem o retrocesso, através de um fanatismo louco e incontrolável, de quem imagina manter-se no Poder através de ações fascistas e que vê saída no incentivo à ampliação da pandemia, como se, através dela, houvesse o terrível holocausto e se colocasse a culpa do número de mortos em um vírus que não se vê, mas que o tratam como se fosse uma arma, que possa ser explicada pelo Poder Central como  usada por adversários ou inimigos.

A hora é de reflexão. Apesar da podridão que existe no ar, é tipo de por ao lado criações danosas e adotar o gesto de baixar as armas e desnudar-se de interesses políticos, para se pensar na melhor forma de evitar o crescimento das mortes, retirar a população do confinamento social e recuperar a economia. Se continuar com essa torcida quase que generalizada pelo pior, o Brasil tende a entrar em coma e não ter leito na UTI para tentar salvar-se. Chega de irresponsabilidade, desrespeito, abandono e indiferença com todos os problemas que afetam o povo.

Pode implantar lockdown

O governador Belivaldo Chagas (PSD) concedeu ontem entrevista considerada “forte” ao radialista Edvanildo Santana, em Itabaiana, e deixou claro que não flexibiliza o decreto sobre abertura do comércio, enquanto não houver um recuo no Covid-19.

*** Belivaldo admitiu que os números são ascendentes e considerou “os piores possíveis”.

*** Disse ainda que fará uma avaliação essa semana e se não houver uma queda nos índices de contaminação e óbitos, vai avaliar a implantação do lockdown para cidades como Aracaju, São Cristóvão, Socorro e Barra dos Coqueiros.

Não discute liminar

Belivaldo disse ainda a Edvanildo que não discute liminar concedida pela Justiça, “mas qualquer uma que seja concedida em relação ao decreto, eu recorro ao Supremo”.

*** Disse que quantas liminares entrarem ele vai recorrer, porque está cuidando de vidas.

Sobre a carreata

O radialista Edvanildo Santana disse que não houve carreata ontem em Itabaiana para a abertura do comércio no município.

*** Explicou que uma pessoa usou as imagens do sepultamento de um motoqueiro e jogou nas redes anunciando que seria uma carreata para a reabertura do comércio.

*** No momento, o governador Belivaldo encerrou a entrevista com Edvanildo, para ligar ao comandante da PMSE e pedir que checasse a manifestação.

Receber crediário

Por decreto do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, o comércio da cidade foi autorizado a abrir apenas para receber pagamentos de compras realizadas via fichas e crediários internos.

*** Mas aí o pessoal aproveitou para abrir geral.

*** A preocupação é que os casos de contaminação do coronavirus estão aumentando muito no município.

Adiamento em análise

As eleições municipais devem ser adiadas e o Congresso vai analisar com deputados e senadores uma nova data para o pleito. Não haverá prorrogação de mandato.

*** A maioria dos deputados por Sergipe concorda com o adiamento porque não vê chance de realizar o pleito em um momento de pandemia.

Defende unificação

O deputado Fábio Mitidieri (PSD) defende a Unificação. E explica: “não vejo clima para eleições esse ano. Já o adiamento é o mínimo que devemos fazer

*** Fábio acha que transferindo o pleito para 2022, “teríamos eleições únicas e não mais a cada dois anos”.

*** Mas acha isso improvável e admite que o Congresso deverá transferir as eleições para dezembro.

Pensar na vida

O deputado federal Fábio Henrique (PDT) concorda com o adiamento das eleições, mas que não haja prorrogação de mandato, Admite que aconteça em novembro ou dezembro.

*** – A gente tem que pensar na vida das pessoas que estão com problemas graves, na saúde e também na economia, disse.

Não agrada a todos

Já os pré-candidatos a prefeito, que não disputam reeleição, principalmente em cidades do interior, não vêem muita vantagem para eles no adiamento, porque estão sem fazer campanha e nem em contato com o eleitor.

*** Para eles, os prefeitos ao trabalharem para conter o coronavirus levam vantagem pelos ações que realizam junto às comunidades.

*** O quê, numa visão isenta, esses prefeitos cumprem com suas obrigações.

Deixar diferenças

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) faz um apelo: “precisamos deixar diferenças políticas de lado e buscar discurso único, uma aliança pelo Brasil e pelos brasileiros”.

*** – Esta evidente que não temos um líder que nos conduza nessa direção. Enquanto isso, Brasília e os Estados batem cabeça e corpos se acumulam”!

O mofo e o sol

Um banner ter sido postado nas redes sociais mostrando roupas e calçados como ficam com o desligamento do ar condiciona por 30 dias.

*** Roupas, calçados, bolsas, cintos e demais acessórios ficam mofados…

*** Isso também acontece nos guarda-roupas e locais sem ventilação. Basta colocar ao sol e passar um produto específico que volta a ser novas.

Nada de pessoal

O deputado Rodrigo Valadares, pré-candidato a prefeito de Aracaju pelo PTB, diz que não tem nada de pessoal contra a também pré-candidata delegada Danielle Vieira (Cidadania)

*** Mas ontem lhe fez críticas no zap, porque ela “resolveu colocar em seu Face uma postagem do colega, senador e correligionário Alessandro Vieira”.

*** Segundo Rodrigo, “a reação popular foi instantânea, dezenas de comentários mostrando a insatisfação do povo com o padrinho político da delegada”.

Tratando de futebol!

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) indigna-se: “1179 mortos hoje! São quase 18 mil vítimas fatais da Covid e ainda estamos longe do pico da doença no Brasil”.

*** – A economia já está destruída e vai piorar. E o presidente da República tratando do campeonato carioca de futebol. É muita falta de seriedade e competência.

Adiamento do Enem

O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho, comemorou o adiamento do Enem, votado ontem pelo Congresso Nacional.

*** – Meu voto foi em homenagem ao jovem sonhador João Pedro, que teve sua vida interrompida hoje (ontem) pelo Estado Brasileiro, disse.

*** – O Estado serve para dar oportunidades aos jovens e não tirar suas vidas!

Lamenta mortes

*** Rogério também lamenta que o Brasil tenha registrado novo recorde de mortes nas últimas 24 horas: 1.179 óbitos.

*** – São quase 18 mil mortes registradas nesses dois meses de pandemia no país.

Um bate papo

Poder360 – Câmara Federal aprovou ontem o uso obrigatório de máscaras em todo o Brasil. Tem que levar isso a sério.

Sobre alagamentos – Pré-candidato a prefeito de Aracaju, Márcio Macedo (PT) diz que “quando pensamos nos problemas desta Capital nos lembramos logo dos seus alagamentos”.

Cristiana Lobo – Não dá para fazer brincadeira, né? 1.179 mortes em 24 horas e fazer piada com cloroquina ou tubaína!

Sessões remotas – Assembleia Legislativa retoma hoje as sessões remotas, sob a Presidência do deputado Luciano Bispo (MDB), livre do coronavius.

Novos presos – Para evitar coronavírus, governo estabelece quarentena para novos presos, decisão será publicada n Diário Oficial da União.

Sem fazer festa – Os prefeitos estão proibidos de fazerem festas neste período junino, exatamente em ano de eleições municipais.

Jornal Nacional – Bolsonaro faz piada no dia que o País registra mil mortes por Covid-19: “Quem for de direita toma cloroquina. Quem for de esquerda toma Tubaína.”

Kaka Reis – Moro, Valeixo e Ramagem não sabiam que Ronnie Lessa, vizinho de Bolsonaro, era o maior traficante de armas do Rio?