28/05/20 - 14:13:48

PREÇO DA GASOLINA E DO ETANOL BAIXAM EM MÉDIA NO NORDESTE, DIZ TICKET LOG

Levantamento revela que a primeira quinzena de maio começa com recuo nos valores para todos os tipos de combustível

A primeira quinzena de maio começa com uma nova baixa no preço dos combustíveis na Região Nordeste, revela o mais recente levantamento do Índice de Preços da Ticket Log (IPTL). Nos postos nordestinos, o destaque foi para o maior recuo na gasolina entre todas as regiões, com baixa de 6,79%, no comparativo com o fechamento de abril. Houve baixa para todos os combustíveis, como para o etanol, de 6,62% e para o diesel comum e o tipo S-10, que recuaram 7,09% e 7,08%, respectivamente.

“Percebemos que com uma nova baixa, a gasolina segue fazendo frente competitiva, na relação com o etanol nas bombas da região. Um retrato disso, se dá pelo fato do consumo do etanol ter sido menor em alguns Estados. No Ceará, no Maranhão, em Pernambuco e no Rio Grande do Norte, por exemplo, o volume de abastecimento do combustível derivado da cana-de-açúcar foi menor e não permitiu um retrato da média nesta primeira quinzena”, analisa o Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

O IPTL também trouxe um raio-x local dos valores. Na Paraíba, enquanto o preço do etanol foi o único de todo o país a apresentar avanço, alta de 2,9%, a gasolina foi a mais vantajosa de todos os postos nordestinos (R$3,737). O litro mais caro do combustível foi encontrado nas bombas do Piauí (R$ 4,179). Por lá, também foi registrado o diesel mais caro, vendido a R$ 3,384, ante os R$ 3,094 do Rio Grande do Norte.

Em Alagoas, os motoristas encontraram o preço mais alto no etanol (R$ 3,596), enquanto na Bahia foi registrado o valor mais vantajoso para o combustível (R$ 3,069). No Ceará, o destaque foi para a menor baixa, entre os Estados da região, para a gasolina, recuo de 8,3%, com o litro a R$ 3,986.

No Maranhão e em Pernambuco a gasolina recuou em média 5%, e em Sergipe o combustível baixou 6,8% nesta primeira quinzena, no comparativo com o fechamento de abril.

Cenário nacional: gasolina e diesel com menor preço médio em dois anos

O estudo também revela que, no cenário nacional, a primeira quinzena de maio começou com um novo recuo no preço médio da gasolina e uma marca histórica para o combustível. O litro foi vendido à média de R$ 3,985, o menor valor registrado no País desde agosto de 2017, quando era vendido a R$ 3,896. Com dois anúncios recentes de aumento no repasse do combustível às refinarias, a alta ainda não se refletiu nas bombas.

O etanol apresentou um recuo de 7,24% nas bombas, com o valor médio de R$ 3,201. O diesel também recuou 7,34%, em relação ao fechamento de abril, quando o litro foi vendido a R$ 3,501. O combustível, que lidera o consumo em todo o território nacional, registrou no período o seu menor valor médio registrado desde janeiro de 2017, quando obteve a média mais próxima desse valor que foi de R$ 3,247.

Nos postos da Região Norte estão os Estados com o menor e o maior preço médio para a gasolina em todo o País: Amapá, com o litro vendido a R$ 3,343; e Pará, a R$ 4,430. No Nordeste, o destaque é para o maior recuo para o combustível entre todas as regiões brasileiras, com baixa de 6,79%, no comparativo com o fechamento de abril.

Na Região Sudeste, o comportamento foi de baixa para todos os tipos de combustível, com recuo de: 5,63%, para a gasolina; 6,15%, para o etanol; 7,18%, para o diesel; e 2,41% para o gás natural veicular (GNV). Outro destaque local é o Estado de São Paulo, que apresentou o menor preço do litro do etanol, comercializado a R$ 2,384, um recuo de 8%, no comparativo com abril.

A Região Centro-Oeste apresentou baixa para o diesel comum, diesel S-10 e para a gasolina, porém, o destaque foi o etanol, que tem no consolidado da região a menor média do País, com o litro comercializado a R$ 2,841, uma queda de 7,13 em relação a abril.
Já os postos do Sul apresentaram os menores valores médios de: diesel, R$ 2,846; diesel S-10, R$ 2,905; e gasolina, R$ 3,727. O estudo revelou ainda que o GNV é 4% mais barato no Sudeste do que no Norte, com médias de R$ 3,165 e R$ 3,302, respectivamente.
O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com mais 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

A Ticket Log integra a divisão de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, juntamente com Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas, com o propósito de valorizar o tempo das pessoas para que possam aproveitar mais e melhor a vida. A marca, que atua no mercado urbano, conecta pessoas e empresas a uma mobilidade inteligente por meio de soluções inovadoras que otimizam processos e apoiam no controle da gestão de deslocamento para organizações de todos os tipos e tamanhos.

Com mais de 25 anos de experiência, a Ticket Log conta com 30 mil empresas-clientes, administra, por ano, 1 milhão de veículos em sua base de clientes e quase 2,5 bilhões de litros de combustível, com uma rede de mais de 36 mil comerciantes credenciados. Entre os produtos disponíveis, estão: Ticket Car com a funcionalidade Log&Go, que permite o pagamento de diferentes meios de transporte e serviços veículos, como lavagens ecológicas de automóveis (App Easy Carros), caronas compartilhadas (App Zumpy), serviços de assistência 24h (App Fácil Assist) e recarga do bilhete único (Onboard Mobility); Ticket Fleet e Gestão de Manutenção.

A marca é uma das Maiores e Melhores do Transporte na categoria “Automação e Informática”, no prêmio promovido pela OTM Editora e foi reconhecida como uma das “As 500 Maiores do Sul”, ranking promovido pela revista Amanhã. Também foi eleita uma das melhores empresas para trabalhar na região Sul pela consultoria global Great Place to Work ® Institute (GPTW).

Fonte Ticket Log