12/07/20 - 10:05:29

Estruturação do HCamp separa pacientes por alas de baixa e média complexidades

Responsável pela recuperação de centenas aracajuanos infectados pelo novo coronavírus, o Hospital de Campanha (HCamp) Cleovansóstenes Pereira Aguiar, construído pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), foi estruturado em seis alas especializadas, de modo a separar os pacientes de acordo com o quadro médico de cada usuário, e a assegurar o devido atendimento.

As alas são classificadas em cores – Amarela, Azul, Laranja, Rosa, Verde e Vermelha – e nelas são tratados os casos de baixa e de média complexidades, haja vista os casos de alta complexidade necessitarem de leitos de tratamento intensivos (UTI), regulados pela Secretaria de Estado da Saúde.

Na Amarela, se encontram os pacientes suspeitos, ou seja, os que apresentam sintomas de síndromes gripais, mas ainda não receberam confirmação positiva de teste da covid-19. Os aracajuanos que já receberam a confirmação são distribuídos para as demais alas de acordo com a gravidade do caso.

Conforme explica o coordenador de Leitos da covid-19 na Secretaria da Saúde de Aracaju, Flávio Arcângelis, se o perfil for de maior gravidade, os pacientes são encaminhados para as alas Vermelha e Laranja, onde vão dispor de uma atenção profissional mais especializada e intensa, assim como dos equipamentos necessários para uma eventual ventilação mecânica ou utilização de uma droga mais específica.

A Ala Rosa, ressalta Flávio, é um local de remissão, destinada aos pacientes que apresentaram melhoras a ponto de serem movidos das alas Vermelha ou Laranja. “Na Ala Azul, estão internadas pessoas cujo quadro apresentou melhora após estar em situação mais grave, e pacientes que não apresentam uma maior gravidade. Ela foi concebida para ser a porta de entrada da unidade”, afirma o coordenador de Leitos.

A Ala Verde, por sua vez, é o local onde estão os pacientes também com casos de baixa complexidade, mas que já estão há dias hospitalizados e com um quadro clínico estável, por vezes apenas cumprindo o tempo de isolamento dentro do hospital, isto é, usuários próximos de receber alta.

Estrutura

O HCamp foi estruturado com o objetivo de ampliar a capacidade de atendimento da rede de saúde da capital no enfrentamento da covid-19. A unidade tem porte para 152 leitos, dos quais 60 estão ativos, com perspectiva de ampliação à medida que mais profissionais forem contratados, garantindo, assim, que os demais equipamentos de saúde já existentes na capital não se sobrecarreguem.

Tratamento humanizado

Paralelo ao atendimento prestado na unidade e preocupada em garantir o contato entre pacientes internados e seus familiares, mesmo diante do isolamento que a doença exige, a Prefeitura passou a realizar videochamadas como forma de encurtar a distância entre os pacientes e seus familiares.

“O serviço funciona como uma ponte entre a família e o paciente que está internado, uma vez que a covid-19 é uma doença altamente contagiosa e, por isso, o usuário não pode ter acompanhante, nem receber visitas. Qualquer paciente pode ter acesso, mas temos priorizado os pacientes idosos, visto que normalmente não têm facilidade com a tecnologia, ou ainda os pacientes que não possuem aparelho ou internet. Nos próximos dias, a intenção é realizar as videochamadas também para os pacientes internados nos hospitais Nestor Piva e Fernando Franco”, explica a assessora técnica da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde, Ana Régia.

Os agendamentos são feitos pela equipe do Setor de Serviço Social do Hospital de Campanha, em comum acordo com a família, no momento do internamento, quando são delimitados os melhores horários para o contato.

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Joaldo Barbosa, localizada no bairro América, foi preparada para receber os familiares dos aracajuanos internados que dispõem de um celular ou internet. No local, foi instalada uma rede com alta velocidade, propiciando uma comunicação de qualidade.

Fonte e foto SES