13/07/20 - 15:22:15

Julho Amarelo é dedicado à prevenção e o controle das hepatites virais

Deputada Maisa Mitidieri afirma que trabalho de conscientização sobre hepatites virais deve ser diário

O mês de julho é dedicado à prevenção e o controle das hepatites virais com a realização da campanha “Julho Amarelo”. Mundialmente, a data é lembrada no dia 28. De acordo com Ministério da Saúde, entre as hepatites, o tipo C da doença é a que apresenta maior taxa de detecção e também a mais letal, com 26.167 casos notificados em 2018, segundo Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2019. As hepatites B e C podem ser transmitidas por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos perfurocortantes. A meta, liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é eliminar a doença, como problema de saúde pública, até 2030.

Para a deputada estadual e membro da Comissão de Saúde, Higiene, Assistência e Previdência Social da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Maisa Mitidieri (PSD), o trabalho de conscientização deve ser realizado todos os dias e o Julho Amarelo é mais uma oportunidade de intensificar e informar a população sobre forma de contágio, tratamento e exames, especialmente nesse período de pandemia, que é fundamental cuidar da saúde e da imunidade.

“Ainda há muito trabalho a se fazer junto aos órgãos e instituições para que se efetive o sentido do Julho Amarelo e aumente essa luta de prevenção as hepatites virais. Mas, isso ocorre com outros meses de referência também, como no caso do mês de setembro que é uma luta contra o suicídio, por exemplo. A cada ano a conscientização e o engajamento nessas lutas vão ficando maiores”, salientou.

Sintomas

O grande desafio no que se refere às hepatites virais é a dificuldade de diagnóstico, uma vez que a doença pode não apresentar sintomas. Entretanto, alguns sinais mais comuns são olhos e pele amarelados, cansaço, febre, mal-estar, tontura, vômitos, dor abdominal, urina escura e fezes claras. O Ministério da Saúde recomenda a realização do teste para hepatite C pelo menos uma vez na vida, com o objetivo de diagnosticar e tratar o mais precocemente. Algumas medidas simples previnem a infecção, como: usar preservativos, exigir materiais descartáveis e esterilizados em estúdios de tatuagem, salões com manicures e pedicures, não compartilhar agulhas e seringas, manter exames de rotina em dia e consultar um médico com frequência.

Com informações do Ministério da Saúde

Foto: Divulgação/vivaanapolis.com.br

Por Kelly Monique Oliveira – Rede Alese